Você já deve ter ouvido falar em relacionamento interpessoal. Trata-se da interação entre pessoas, grupos e times, seja ele no meio profissional, pessoal ou familiar. É um termo usado pela sociologia e psicologia para definir qualquer tipo de vínculo entre duas ou mais pessoas. É uma expressão muito usada no meio corporativo e de extrema importância para o sucesso. Embora o ser humano seja um ser sociável, suas relações são complexas. Pessoas agem, pensam, comportam-se e são de forma diferente. 

Em um contexto competitivo, como o ambiente de trabalho, esses fatores são ainda mais evidentes, pois refletem diretamente na performance da empresa e do profissional. O clima organizacional influencia o comportamento dos seus colaboradores. Quando existe motivação, bem-estar e satisfação, o retorno será positivo, aumentando a produtividade e lucratividade dos negócios. Quando negativo, pode prejudicar o desempenho e qualidade de vida. 

A ideia de relacionamentos interpessoais vai muito além de uma simples relação entre colegas de trabalho. Quando se fala de relacionamento interpessoal estamos nos referindo a contato entre seres emocionais e instáveis, propensos a transformações a todo tempo e isso requer certa habilidade. O psicólogo junguiano, Rafael Rodrigues comenta, "Conviver com pessoas difíceis é natural na vida, na família, no trabalho. Examinar a si, buscar auto repertório e recursos para poder lidar com essas pessoas difíceis, diminuirá nossas dificuldades."

A habilidade de cultivar um bom convívio requer autoconhecimento e empatia, para lidar com divergências de ideias, posicionamentos, percepções, valores, personalidades e objetivos. Por isso, o grande desafio das empresas e da carreira é desenvolver sabedoria para ter uma boa convivência.

Rafael explica, "uma frase atribuída a Confúcio diz: "quando a gente encontra uma pessoa boa, devemos imitá-la. Quando a gente localiza alguém ruim, vamos examinar a nós mesmos". Essa frase sugere uma reflexão. Relacionar-se com pessoas as quais nós gostamos é fácil, pois acontece uma identificação com os mesmos gostos".

O autoconhecimento é um dos principais fatores para a promoção de relações interpessoais saudáveis. Ter a percepção de seu próprio comportamento é a melhor forma de identificar falhas e promover mudanças positivas. Assim, para ter melhores relações, o primeiro passo é conhecer a si mesmo.  Logo, o ideal é se descobrir e observar as próprias limitações, dificuldades, identificar os defeitos e pontos a serem melhorados.

Esse hábito traz competências para detectar e nivelar posturas, resolver problemas e conflitos, melhorar abordagens e a comunicação entre pessoas, contribuindo, assim, para uma melhor abordagem com seus pares. Quando finalmente enxergamos é quando amadurecemos e lidamos melhor com o meio e as pessoas do nosso convívio. Isso  amplia o campo de visão, nos dando uma melhor percepção do mundo.

Quer desenvolver essas habilidades ser um diferencial competitivo de mercado? Confira abaixo dicas para alavancar sua carreira.

  1. Busque o autoconhecimento

Conheça a si mesmo para entender os outros. Esse é o primeiro e mais importante passo de quem busca melhorar suas relações. Apenas ao perceber seus defeitos e qualidades você consegue mudar a si e contribuir com os outros.

  1. Seja comunicativo

Ser comunicativo não significa falar sem parar o tempo todo, mas sim saber abordar uma pessoa com simpatia, desenvolver uma conversa com clareza e objetividade e discutir sobre várias ideias e assuntos.

  1.    Reconheça seus erros

Não há mal nenhum em errar, mas em não admitir e reconhecer um erro. Ninguém é perfeito, porque você precisa ser? Reconhecer uma falha é o maior sinal de humildade.

  1.     Tenha empatia

Procure sempre se colocar no lugar das pessoas, sem julgamento e tente entender e ajudar da melhor forma. Lembre-se, as pessoas pensam e sentem de forma diferente, a empatia é a melhor maneira de tentar compreender o outro.

  1.     Saiba receber e fazer críticas

Entenda: críticas são aprendizados e parte do processo de autoconhecimento. Receba-as com humildade e atenção. Avalie com cuidado as falhas pontuadas e veja onde pode melhorar. E, ao fazer um apontamento, procure ser gentil e entregá-lo de forma construtiva, sempre será uma oportunidade de evolução.

Se identificou com o assunto? Assista o Minuto Carreira e aprenda um pouco mais!



Compartilhe