Existem diferentes maneiras para o jovem ingressar no mercado de trabalho. Uma delas gira em torno do “menor aprendiz”. Você conhece essa modalidade profissional? A TV Nube investigou o assunto em uma das principais instituições do país. Saiba mais e indique para os amigos!

"O programa de aprendizagem é regulamentado pelo Ministério do Trabalho e Emprego e oportuniza a inserção de estudantes com pouca experiência e vulnerabilidade social para o mercado”, afirma Rosangela Bertola, coordenadora educacional do Saber - Instituto Brasileiro de Aprendizagem . Nessa linha, a especialista completa: “o estudante precisa ter entre 14 e 24 anos e cursar (ou já ter concluído) o ensino médio em alguma instituição de ensino reconhecida pela MEC - Ministério da Educação”.

De acordo com a legislação, mais especificamente o decreto 5.598/05, a “duração do trabalho do aprendiz deve ser de até seis horas diárias”. Ou seja, essa carga pode ser menor se a empresa preferir. Assim, o estudante consegue conciliar as atividades corporativas com as funções da instituição de ensino. Vale ressaltar: o ofício é como uma extensão da escola ou da faculdade e tem como função aprimorar cada vez mais os conhecimentos profissionais.

Para um aluno participar de uma aprendizagem é necessário obrigatoriamente 75% de carga horária prática e 25% teórica. Por isso, o jovem frequenta a corporação por quatro dias da semana e o outro faltante é destinado a um treinamento gratuito em sala de aula, normalmente realizado por uma ONG. "Nós acreditamos na educação como uma ação transformadora do Brasil. Quando uma empresa contrata um aprendiz, ela investe no jovem e em nosso país”, garante a presidente do Saber , Fatima Zequeto.

Aprendeu sobre o assunto? A TV Nube está ao seu lado, oferecendo sempre boas informações para o estudante conseguir uma boa oportunidade profissional. Conte com a gente!

Matérias relacionadas:

Tire dúvidas sobre Aprendizagem

A cartilha do aprendiz

Aprendiz: carga horária

Compartilhe