Começar a trabalhar em grandes empresas é uma oportunidade única e importante para construir uma carreira de sucesso. É a chance de atuar com grandes profissionais experientes, aprendendo muito e agregando em sua experiência. O programa de aprendizagem é essa porta de entrada para o mercado,, gerando excelente possibilidade de efetivação. 

Ser um Jovem Aprendiz é evoluir constantemente. São adolescentes almejando crescimento profissional dentro de uma área de atuação, valorizando a educação e, principalmente, desejando realizar sonhos. Desenvolver habilidades para atender as demandas do universo corporativo e ter o primeiro registro em carteira são as principais vantagens.

A assistente social Roberta Teixeira explica os requisitos básicos para participar do programa de aprendizagem: "O jovem precisa ter entre 14 e 24 anos e estar matriculado ou terminado o ensino regular. Além disso, ele deve realizar a sua inscrição em uma entidade formadora".

Surgem diversas dúvidas quanto o processo de cadastro e participação do programa. Um dos desafios do jovem no mercado de trabalho é encontrar uma primeira oportunidade de emprego, respeitando o fato dele ser uma pessoa em desenvolvimento e estimulando a continuar os estudos e o desenvolvimento profissional, além de garantir direitos trabalhistas e previdenciários. 

Roberta ressalta a possibilidade de inserção desse jovem no mundo corporativo não exige dele experiência. Então pessoas com ou sem experiência concorrerão igualmente as vagas disponíveis. É uma maneira eficiente de contribuir como solução do cenário atual e desafiador para a juventude promovendo a evolução profissional no Brasil. 

Desenvolver um currículo atrativo também é um grande passo para participar do programa. Traz uma boa impressão para os selecionadores. Aqui vão algumas delas.

1. Escolaridade

Coloque sua escolaridade de forma correta e atualizada. Especifique o nome da sua instituição de ensino, o curso, o ano ou semestre e o total de anos ou semestres do curso.

2. Erros de português

Preste muita atenção em erros de português. Em caso de dúvida, consulte um dicionário, uma gramática ou até mesmo o seu professor.

3. Cursos complementares

Insira informações sobre cursos complementares realizado. Nome, data e um pequeno resumo vão muito bem. Fez um curso rápido de informática? Vale colocar. Estudou algum idioma? Mesmo tendo o conhecimento no nível básico, ele pode contar pontos.

4. Palestras

As palestras assistidas também são importantes. Descreva quais foram elas, quando ocorreram e, se for o caso, o tipo de conhecimento elas trouxeram para sua vida. 

5. Cursos online

Cursos online também são válidos. Se você fez cursos a distância sobre currículo, administração de tempo, marketing pessoal, por exemplo, tudo isso pode entrar no currículo. Se você aprendeu a programar com um tutorial do YouTube, essa informação também pode ser valiosa.

6. Atividades complementares

Atividades complementares também são importantes para o currículo de jovem aprendiz. Se você criou uma empresa na escola ou se faz um trabalho voluntário, lembre-se de contar tudo isso no currículo. 

7. Complementações

Corra atrás do tempo perdido. Se mesmo com todas essas dicas você não encontrou nada interessante para destacar no seu currículo, a recomendação é correr atrás do tempo perdido. Saia de casa e busque alguma boa história para contar. Procure cursos, faça trabalho voluntário, envolva-se em algum projeto especial da escola. Vale a pena.

De um lado, os jovens têm a oportunidade de inclusão social com o primeiro emprego e de desenvolver habilidades para entrar no mundo corporativo. De outro lado, os empresários colaboram ativamente com a formação dos futuros profissionais, difundindo os valores e cultura de sua empresa. 

Gostou do assunto? Assista nosso Minuto Carreira e entenda melhor!

Compartilhe