Aos poucos, grande parte do segmento corporativo vai aderindo ao modelo híbrido. Com a retomada presencial, novos desafios surgem aos gestores. O aumento de transtornos mentais e do trauma psicológico provocados diretamente pela infecção por Covid-19 ou por seus desdobramentos secundários chegou a ser chamado pela Organização Mundial da Saúde - OMS de “quarta onda".

A saúde mental da equipe

Esse tema traz à tona a importância de as empresas terem ações em prol da saúde mental de seus profissionais, estagiários e aprendizes. Entre os problemas agravados pela pandemia, a Síndrome de Burnout ganhou destaque nos últimos dias com a decisão da OMS em classificá-la oficialmente como uma doença do trabalho a partir de 1º de janeiro de 2022.

A síndrome é caracterizada por exaustão física e mental relacionada à vida corporativa do indivíduo e pode evoluir para doenças psiquiátricas como a depressão e transtornos de ansiedade. Com a crise, a sobrecarga de tarefas e a falta de limites entre vida pessoal e o trabalho o assunto se popularizou. “O retorno às atividades presenciais também é um motivo de preocupação para as corporações, pois pode desencadear sentimentos de angústia e estresse em algumas pessoas”, comenta o CEO da Psicologia Viva, Fabiano Carrijo.

A F.O.R.T.O. (Fear Of Returning To the Office), ou “medo de retorno ao escritório” (em português) é caracterizada pelo receio de voltar a uma rotina tal qual era antes. Em geral, as pessoas com esta síndrome tendem a ser mais silenciosas sobre seus sentimentos com relação à retomada e precisam de tempo e coragem para dar esse passo.

Para Carrijo, ter um RH focado em gente e cultura é o primeiro passo para as organizações nesse momento. “É preciso se preparar para acolher esses colaboradores e entender a particularidade de cada indivíduo, sem impor regras a todos da mesma forma. Treinar os líderes e entender como isso influencia no trabalho de diversas formas é a chave para tudo ocorrer de maneira menos abrupta”, explica.

De acordo com dados apresentados na última edição do Fórum Econômico Mundial, as companhias perdem cerca de 2,5 trilhões de dólares por ano em produtividade com faltas e rotatividade. Portanto, criar ambientes saudáveis, cuidar da equipe e proporcionar a harmonia entre todos, também significa mais lucro.

Os feedbacks

Neste período de início de ano, é comum os dirigentes avaliarem os resultados e traçarem as metas. O feedback é uma prática relevante para todos saberem a percepção dos líderes sobre seus pontos fortes, habilidades, expectativas e trocar conhecimento. Para isso, essa comunicação deve ser da maneira correta, para ter o efeito positivo desejado e não gerar constrangimentos.

No entanto, a diretora de Operações da TotalPass, Isabelle Araújo, ressalta: o desempenho do time vai além das entregas em si. “Existem outros fatores, como frequência em reuniões importantes, fit cultural, entre outros pontos. Por isso, é fundamental coletar o máximo de informações e analisar todos os pontos levantados”, explica.

A especialista ainda cita algumas dicas de como realizar essa etapa de maneira assertiva:

Tenha-cuidado-com-os-colaboradores-na-volta-ao-presencial

Seja objetivo: a subjetividade gera desconforto e ansiedade para a pessoa avaliada.

Tenha empatia: existem várias formas de falar a mesma coisa, basta saber o tom adequado para cada situação.

Crie uma relação de confiança: dessa forma, haverá mais liberdade para perguntar sobre dúvidas, fazer sugestões e contar se existe algum problema.

Não fale em público: essa conversa deve ser particular para não afetar o desempenho da equipe como um todo.

Dê dicas no cotidiano: as orientações podem ser passadas diariamente ou quando necessário.

Mantenha proximidade: diversas empresas contrataram integrantes de outras cidades, estados e até mesmo países. Com isso muitos nem se conhecem pessoalmente. Sendo assim, é essencial criar a sensação.

Portanto, tenha cuidado no trato com o seu time e proporcione um clima saudável no seu negócio. Afinal, isso impacta diretamente nos resultados finais. Caso busque um estagiário ou aprendiz para se tornar ainda mais forte, entre em contato com o Nube.

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe