Pensar em uma cultura ética se tornou essencial nos últimos anos, ainda mais com o advento da pandemia. Unir valores e crenças pessoais ao fortalecimento de programas de compliance, mostraram uma tendência positiva em relação ao bom convívio corporativo e à saúde mental. Então, se você é estagiário ou aprendiz, deve ficar atento a isso.

O medo de perder o emprego sobressai a sua moral?

Segundo a 5ª edição da pesquisa bienal “Perfil Ético dos Profissionais das Corporações Brasileiras”, realizada pela consultoria de gestão de riscos, ética e compliance, ICTS Protiviti, o perfil profissional com uma moral pouco rígida e desconsiderando normas, caiu de 11% para 1% nos últimos dez anos. Isso é um sinal otimista.

“O medo de perder o emprego, a instabilidade de prover a família em um cenário econômico de dificuldade, assim como a dúvida de lidar com pressões situacionais, somado à falta de sustentação dos programas de ‘disciplina’ são os principais indicadores para esse resultado”, explica a porta-voz da pesquisa e diretora executiva da consultoria ICTS Protiviti, Heloisa Macari. Ou seja, a crise é um dos fatores de impacto, nesse caso.

De acordo com o professor da pós-graduação em Gestão Estratégica de Pessoas da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (Fecap) e especialista em gestão e coaching, Antônio Terassovich, nosso mindset - mentalidade - é formado desde a infância e determinado pela família, pela cidade e pelo país onde nascemos. “Nossos valores e crenças formam os nossos pensamentos, os quais geram todos nossos hábitos. Esta é uma forma do nosso cérebro economizar energia e fazer as coisas no piloto automático. A gente toma atitudes sem refletir, como escovar os dentes, dirigir, comer, ter relacionamento com pessoas, chefes, stakeholders e muitas outras”, expõe.

Você hesita em denunciar atos antiéticos ou ilegais?

Quando analisada a disposição para denunciar atos antiéticos, quase metade dos indivíduos apresentavam convicção sobre a queixa (47%). No entanto, nos últimos quatro anos isso mudou: 30% tem essa insegurança, mas delata e 67% analisam a situação.

“A hesitação reflete não apenas na ação do próprio sujeito, mas também no aumento da probabilidade de ser conveniente com as irregularidades, sentindo-se muitas vezes confuso para comunicar um desvio ético por não saber como isso pode impactar em sua posição”, continua Heloisa. Ou seja, muitos querem falar, contudo, se retraem com medo de perder seu cargo ou vaga.

O suborno também segue a mesma característica e, enquanto em 2010 apenas 38% dos trabalhadores analisavam a situação para aceitar ou não, em 2020 o número saltou para 54%. A apropriação indébita também apresenta o mesmo quadro. Há 10 anos, 18% dos funcionários analisavam as circunstâncias para cometer o ato. Já em 2020, esse indicador subiu para 35%.

A conclusão de Heloisa foi: nesses dez anos, o cooperador está mais consciente do certo e errado. “Esse é um fruto do trabalho executado pelas companhias com ações focadas em conformidade. Porém, as constantes instabilidades econômicas e políticas do país remontam este cenário, forçando os indivíduos a viverem dilemas éticos os quais desconstroem a jornada moral das entidades”, finaliza.

Portanto, quem deseja mudar os costumes precisa começar alterando o mindset. “Ele deve ser adequado e adaptado à área de negócio e à posição desejada na sua carreira”, conclui Terassovich. Sempre é tempo de renovar: mentalize a alteração, entenda e reconheça a necessidade dela, abra o coração e esteja disposto.

Acompanhe o nosso blog e as redes sociais, pois publicamos conteúdos diariamente e temos opiniões de diferentes especialistas. Dessa forma, você se destaca no universo corporativo. Conte com o Nube!

Seja nosso seguidor no Twitter (@nubevagas) e veja notícias diárias de ações, vagas de estágio e aprendizagem, palestras e muito mais. Assista nossos vídeos de dicas no YouTube e participe da nossa página no Facebook. Agora estamos também no Instagram e no Linkedin. Esperamos você em nossas redes sociais!

O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de estagiários e aprendizes. Basta acessar o link www.nube.com.br/ead. Todos os serviços para o estudante são gratuitos. Já instalou nosso aplicativo "Nube Vagas" em seu celular? Com ele você será notificado a cada nova oportunidade. Disponível na Apple Store e Play Store.

Compartilhe