Há alguns anos, os processos seletivos vem passando por uma transformação. As perguntas tradicionais vêm perdendo espaço para conversas e avaliações mais humanas. Atualmente, isso vai além de uma simples análise curricular. Sendo assim, a contratação de funcionários, estagiários e aprendizes é mais assertiva. Facilitando a escolha da pessoa ideal para aquela vaga.

As soft skills

Pode até soar como contraditório, mas mesmo com o mundo cada vez mais tecnológico, as habilidades sociocomportamentais vem ganhando importância. Contudo, se observarmos bem, na hora da disputa por uma oportunidade no mercado, as capacidades técnicas ou hard skills são o cartão de entrada, enquanto as soft skills são a matéria de desempate na escolha do candidato.

Ou seja, essas competências são relevantes para ingressar em uma empresa e para crescer na carreira. “Ter diversas graduações, especializações e cursos técnicos, além de um idioma fluente, pode até te ajudar a ser chamado para uma entrevista. Porém, não é mais o suficiente para ser selecionado e evoluir profissionalmente em um cenário dinâmico e altamente competitivo”, explica a professora de Gestão, Comunicação e Negócios da Uninter, Andressa Bueno.

De acordo com estudo da Universidade de Harvard, 85% do sucesso resulta dessas aptidões pessoais. Já segundo o Linkedin, elas vêm se tornando mais populares e valorizadas graças à automação de tarefas. A partir do acesso às novas tecnologias, as máquinas passaram a realizar operações com muito mais precisão e agilidade. Além disso, com o volume e velocidade de informações, o conhecimento técnico perdeu valor.

Para Andressa, os últimos acontecimentos na sociedade aceleraram esse processo. “Passamos de um mundo Vuca (sigla em inglês para representar Volatilidade, Incerteza, Complexidade e Ambiguidade) para o Bani (em português, Frágil, Ansioso, Não Linear e Incompreensível). Nesse cenário, a presença do digital se tornou primordial para o planeta não parar de vez”.

A pandemia marcou essa transição. Mal tínhamos nos adaptado a um universo e já vivemos em outro. Sendo assim, o diferencial está nas características do ser humano, não podendo ser imitadas ou representadas por robôs. Flexibilidade, adaptabilidade, criatividade, inovação, sentimento de urgência e empatia são capazes de agregar valor à corporação. Por isso, são cada vez mais desejadas.

A busca por diversidade

A demanda por diversidade e inclusão no ambiente corporativo é crescente e a relevância do tema é inquestionável. Apesar da urgência, 27% das organizações nem discutem o assunto nos conselhos administrativos, conforme aponta um estudo realizado pela consultoria Exec.

A situação melhorou nos últimos anos, mas esses dados reforçam como ainda estamos longe do ideal. O quadro se agrava quando olhamos para as condições de trabalho da população negra no Brasil. Segundo o Instituto Ethos, esse público ocupa 57,5% dos aprendizes, porém, nas lideranças o número reduz drasticamente para 6,3% em gerência e 4,7% em cargos executivos. Ou seja, quanto maior a ocupação, menor a quantidade dessas pessoas.

Nesse sentido, alguns lugares abriram mão de exigências em busca de um recrutamento sem corte social. “É fundamental os dirigentes estarem engajados nessa missão. Podem promover cursos de capacitação e intensivos para os colaboradores com o compromisso de eliminar barreiras e focar nas fortalezas de cada indivíduo”, comenta a líder do programa Black at Infor Brasil, Talita Braga.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, o número de pretos ou pardos é maioria nas instituições de ensino superior da rede pública. Sendo assim, consequentemente aumenta a chance de conseguirem uma vaga de estágio e, futuramente, de serem efetivados.

Para Talita, esse deve ser um foco para todos os gestores do país. “Assim, criará um ambiente onde o respeito e a valorização do indivíduo se assumem como parte fundamental da estratégia. Cabe a nós líderes impulsionar a transformação, contribuindo para uma sociedade mais igualitária e justa”, complementa.

Portanto, siga as tendências do mercado e mantenha-se atualizado. Se você deseja fortalecer o seu time com estagiários e aprendizes, entre em contato com o Nube, será um prazer ajudá-lo!

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe