O mercado digital não pode mais ser ignorado pelas corporações, afinal, os hábitos de consumo e de trabalho, por intermédio da Internet, estão cada vez mais acelerados. Especialmente, desde a chegada da pandemia. Conforme estatísticas lançadas pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), o Brasil tem 152 milhões de usuários, correspondendo a 81% da população. Ou seja, para chegar nesse público, é melhor estar on-line

Marketing digital na pandemia

Segundo um levantamento feito pela WSI Master Brasil, com base em dados do SMO Survey, essa iniciativa continuará em crescimento. Isso porque, de acordo com a pesquisa da eMarketer, 64% das empresas realizaram eventos virtuais em 2020 e 56% pretendem incorporar a modalidade ainda neste ano. 

Para Alexandre Barbosa, gerente do Cetic.br, “durante a pandemia, a Internet foi mais demandada em razão da migração de atividades essenciais. Os resultados mostram a resiliência da rede em um cenário de crise sanitária”. Contudo, diversos segmentos apostaram suas fichas na tecnologia, pois, diante da necessidade do distanciamento social, os cidadãos só conseguiam resolver suas questões por meio dela. 

Na nossa nação, as métricas não são diferentes. O mesmo estudo aponta: estamos na lista dos dez países com maior média de vendas digitais em 2020. Já o relatório Webshoppers, da Ebit|Nielsen, assinalou uma multiplicação de 23% no número de consumidores on-line. O presidente da WSI, Caio Cunha, acredita na expansão desse modelo. “Hoje o e-commerce é um produto essencial. Grandes entidades alavancaram as vendas de forma assustadora, apesar da crise, porque olham para o digital como o caminho para o crescimento dos negócios”. 

Esse foi o caso de Thamara Lima, sócio proprietária de um brechó virtual, após o isolamento social, ela notou muito mais vazão de suas peças. “Com o aumento das vendas, sentimos a necessidade de fazer um site, em busca de uma maior praticidade para os clientes”. Ademais, ela completa sobre essa tendência, “pelo fato das pessoas ficarem em casa, elas passaram a dar mais reconhecimento para esses empreendimentos”. Para ela, o conforto de se comprar em domicílio é um diferencial para o progresso das aquisições. 

Ferramentas de otimização e de análise de resultados, antigamente utilizadas apenas por agências especializadas, são grandes aliadas dos acordos. Por isso, diversos aplicativos, inclusive o Instagram, passaram a apresentar referências no desempenho do perfil, em busca de uma maior assertividade tanto para a utilização dos usuários quanto para a construção da página, com o objetivo de comercializar ainda mais. 

Conforme Cunha, em um mercado tão competitivo, os novos empreendedores devem ter em mente quais são seus objetivos e metas, para ir ao encontro das expectativas de diferentes clientes. “Eles precisam saber onde o público-alvo está navegando, quais são suas dores e necessidades. Afinal, marketing digital não é só propaganda, é se comunicar, tirar dúvidas, responder perguntas e resolver questões.”

Ainda, de acordo com o presidente da WSI, as oportunidades na web são muitas, o excesso de informações e dados preenchem os olhos e as telas dos internautas, quando pesquisam sobre um determinado produto ou serviço, eles querem, principalmente, qualidade. “É preciso levar ao público um conteúdo para agregar valor, apresentando uma solução. Assim, quando esse consumidor tomar uma decisão, vai lembrar da marca porque conheceu, avaliou e conversou com a instituição antes. Para ter retorno nesse universo, é preciso tomar as ações corretas”, completa Cunha. Pensando nisso, trouxemos algumas dicas para você explorar esse tráfego de acessos e transformá-lo em ganhos financeiros. 

Dicas para alavancar suas vendas na Internet

infográfico 30-11-21

  1. Estabeleça um objetivo

Consoante à Thamara, o primeiro passo é estabelecer um propósito. “Tenha um objetivo, procure por um nicho para seguir”. Dessa forma, você consegue alcançar com mais profundidade e propriedade uma parcela de pessoas, explorando suas vontades e preenchendo essas lacunas com a sua mercadoria. 

  1. Busque um diferencial

“Tenha ideias próprias, seja diferente da sua concorrência”, afirma a empreendedora. Essencial para quem quer ser destaque no ramo de atuação, o diferencial competitivo é a chave mestra para os usuários passarem a ter uma predileção pela marca. São atributos únicos, colocam a companhia em níveis acima em qualquer disputa. 

  1. Invista no visual

“Um ponto principal, no qual muitas pessoas pecam, é o visual. Procure sempre fazer fotos bacanas, mostre seu produto da melhor forma possível”, explica Thamara. É imprescindível chamar atenção do seu consumidor, para isso, invista na aparência do seu empreendimento, de modo a torná-lo irresistível.


 Por fim, o Nube te ajuda a trilhar um caminho profissional de sucesso, independentemente da sua escolha sobre qual segmento seguir. Acompanhe nosso blog e fique ligado em dicas, sugestões e oportunidades, postamos conteúdos diários para promover o enriquecimento de seu repertório. Conte conosco para alavancar suas conquistas!

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe