Entrevistas tradicionais de emprego costumam ser interrogatórios estressantes. Muitas vezes, grandes talentos são deixados de lado, pois ficam muito tensos e não demonstram seus verdadeiros potenciais. Em processos seletivos para estágios, esse cenário pode piorar. Isso porque os conhecimentos sobre a profissão são colocados em jogo e a falta de prática, mesmo não sendo necessária para essa função, tem um peso grande no emocional. Confira dicas para extrair o melhor dos candidatos nesta matéria.

1 - Procure diminuir a ansiedade do candidato

 ansiedade é essencial para a sobrevivência humana, pois estimula o indivíduo a entrar em ação. Entretanto, algumas circunstâncias funcionam como gatilhos e desencadeiam uma resposta excessiva. Dessa forma, o efeito da adrenalina é o oposto, impedindo reações. Esses momentos costumam gerar uma carga de estresse gigante, propiciando o encobrimento do verdadeiro potencial de cada um. Com isso, podemos ignorar ótimos futuros profissionais.

É comum a pessoa não conseguir se expressar, gaguejar, transpirar, dificuldade em raciocinar ou esquecimentos são muito comuns. Então demonstrar simpatia, sorrir, tentar transformar em uma conversa, são maneiras de acalmá-la e conseguir extrair o melhor.

2- Inicie com uma conversa descontraída

Ficamos mais confiantes ao falar sobre assuntos com mais conhecimento, ou até mesmo, paixão. Sendo assim, tente se aproximar mais do cotidiano do entrevistado. Pergunte sobre os passatempos, com quem mora, filmes favoritos, estilo de música, entre uma gama de assuntos.

Laura Pereira é estudante de jornalismo na Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ), em São João del Rei, MG. Recentemente, ela vivenciou essa abordagem mais tranquila. “Me senti mais calma quando conversamos sobre meus hobbies. Além disso, enquanto eu falava, me ouviam com atenção, sem interrupções. Atitudes simples, as quais me deixaram mais segura.” Ademais, essa é uma boa maneira de analisar as habilidades verbais e pontos fortes.

3- Currículo é importante, mas não diz tudo

Currículos são o resumo das principais informações. Entretanto, existe uma história por trás de cada tópico. A junção de todas essas vivências funcionam como uma colcha de retalhos e, por sua vez, formam a personalidade de cada um. Exemplificando: Steve Jobs não finalizou a faculdade, trocou de emprego diversas vezes e passou um ano na Índia e, ainda por cima, tem dislexia. Ou seja, ele não tem o "currículo perfeito”, mas isso não o desqualificou.

Segundo Danielle Alvarenga, pós-graduanda em gestão de pessoas, “assim como cada pessoa é única, cada empresa também é. Sendo assim, tem necessidades individuais, mesmo atuando no mesmo ramo. Então o currículo selecionado para uma vaga X, talvez não seria para a Y, vise versa. Nem sempre aquele com muita experiência será aceito em uma companhia com o intuito de moldá-lo, porém, seria admitido caso o contratador desejasse alguém com familiaridade para as atividades”.

4- Procure por um ambiente amigável

O clima de interrogatório é outro fator estressante. Apesar de você ser um entrevistador, é importante se enxergar como um anfitrião. Por que não apresentar os ambientes de trabalho antes de começar a conversa?

Escolha um lugar calmo, talvez até mesmo ao ar livre ou parecido com uma sala de estar. Assim, é mais propício fazê-lo se sentir confortável e à vontade.

5- Avalie habilidades em situações do cotidiano

Certos cargos requerem habilidades específicas. Explore a criatividade baseada em situações rotineiras. Um exemplo é a persuasão: como convencer um adolescente a não usar o celular durante o jantar em família ou um vizinho pagar uma taxa extra para reformar o saguão?

Existem atributos básicos, os quais normalmente são buscados por organizações, tais como: trabalho em equipe, autogestão, iniciativa, flexibilidade etc. Helenice Resende, gerente de seleção do Nube - Núcleo Brasileiro de Estágios, explica: “as características importantes vão depender da oportunidade em questão. Atuar como analista financeiro pode exigir competências como: orientação para análise, foco em resultados e iniciativa.”

6- Contrate empresas especializadas

Contar com os serviços de especialistas auxiliará na escolha de um perfil ideal. De acordo com Helenice, “durante a formação básica, os alunos de psicologia aprendem técnicas de avaliação para entrevista psicológica, utilização de instrumentos específicos como testes psicológicos ou inventários comportamentais. Outros pontos são: a escuta ativa e saber ouvir com neutralidade, sem julgamentos ou análises enviesadas.”

Bônus | Forneça feedbacks

Quem já trabalhou, certamente passou por essa situação - às vezes mais de uma vez. Quando não somos escolhidos, um caminhão de pensamentos e teorias passam pela nossa cabeça. Fornecer feedbacks, além de cessar com as conspirações, auxiliam aquela pessoa a buscar melhorias nos pontos críticos.

Curtiu? Quer saber mais sobre como o Nube pode te ajudar? Então entre em contato com nossa equipe!

O Nube é uma das maiores corporações privadas de colocação de jovens no mercado de trabalho. Possuímos uma equipe especializada em identificar, selecionar de forma humanizada e qualificar candidatos para integrá-los aos programas de estágios e aprendizagem oferecidos pelas instituições.

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe