Todas pessoas envolvidas no mundo corporativo buscam otimizar o tempo na realização de tarefas para produzir mais, se desenvolver e crescer na carreira. No entanto, muitas vezes acabam esbarrando em dificuldades na rotina e se tornam improdutivos, prejudicando o próprio desempenho. Com a pandemia e a consequente adoção dos modelos híbrido e remoto, esse desafio ganhou novos capítulos.

Como otimizar o tempo da equipe

Mesmo com a flexibilização das medidas restritivas, como a volta do trabalho presencial com ocupação máxima nos escritórios, muitos preferem o home office integral. De acordo com pesquisa da Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo - FEA-USP e da Fundação Instituto de Administração - FIA, 78% dos brasileiros têm essa opinião, mas se preocupam com o excesso de carga, como prova os 23% com jornadas de até 70 horas semanais.

Segundo o fundador e CEO da Rupee, Guilherme Baumworcel, aproveitar melhor as horas na realização de tarefas pode garantir mais eficiência. Isso melhora o clima da equipe e a assertividade na execução de metas. Além disso, a aplicação é simples, basta uma boa administração e dedicação”, comenta.

Para ajudar nesse sentido, o especialista cita algumas dicas para a rotina:

Estabeleça metas: o start inicial é a definição de um ou mais objetivos e um prazo para cumpri-los. “Podemos iniciar com focos diários, semanais ou até quinzenais. É importante estabelecer datas. Aos poucos, você aproveita a sensação de dever cumprido e poderá se desafiar a diminuir o período”, explica o CEO.

Crie um cronograma nivelado: “a rotina significa fazer as mesmas coisas diversas vezes. Isso pode causar um desânimo por estar sempre naquele ponto. Por isso, é interessante criar um cronograma nivelado”. Para o executivo, essa ação pode tornar o cotidiano mais atrativo. Outro detalhe é separar as demandas por relevância, complexidade ou urgência.

Tenha persistência e Determinação: “persistência é ir além, mudar os meios para chegar ao resultado desejado. Encontrar o erro ou o problema, solucioná-lo e continuar a caminhada. O colaborador também precisa ser criativo e inovador”. Para ele, é fundamental não se entregar à desistência ou procrastinação.

Utilize tecnologias e metodologias de gestão: “existem várias soluções para garantir uma melhor gestão do tempo e controlar os processos. Vale a pena pesquisar mais sobre elas e de como inseri-las no seu negócio”, comenta. Um diferencial dessas ferramentas é disponibilizar alertas e possibilitar um acompanhamento da sua própria evolução.

Conte com imprevistos: algumas situações podem ser prevenidas, mas outras não. “Imprevistos acontecem o tempo todo. É essencial contar com problemas pelo caminho. Faz parte da nossa construção profissional”, finaliza Baumworcel.

Investir na saúde da equipe também faz a diferença

A saúde mental e física dos colaboradores afeta diretamente no resultado das corporações. Conforme levantamento da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas - FGV EAESP, 22% dos participantes sentem dificuldade para desempenhar plenamente suas funções no trabalho.

Diante desse cenário, os gestores devem adotar medidas voltadas ao bem estar organizacional. “A prevenção é o melhor caminho. Quando uma pessoa necessita de tratamento médico avançado, muitas vezes a situação já é considerada grave. Isso gera custos enormes para todas as frentes envolvidas, além de causar danos severos para o paciente”, afirma o sócio-diretor da Magicel, Marcus Vinicius Todesco.

O investimento nesses mecanismos diminui os custos, a quantidade de faltas e afastamentos e melhora o ambiente. Para isso, podem ser feitas campanhas de conscientização periódicas de combate ao tabagismo, apoiar a alimentação saudável, prática de atividades físicas, ergonomia e realizar sessões de ginástica laboral e alongamentos durante o dia. De acordo com Todesco, vários casos mais complicados podem ser evitados. “Um indivíduo com diabetes, por exemplo, poderia ter reduzido e equilibrado sua taxa de glicose apenas comendo melhor e mudando seu estilo de vida”, finaliza.

Lembre-se: a mente também faz parte do corpo. Dessa forma, cuidados com o psicológico têm extrema relevância. Práticas simples podem fazer a diferença nesse sentido, como encontros semanais para conversas mais descontraídas, folgas, benefícios, premiações e valorização do time.

Aumente o engajamento dos colaboradores

A falta de engajamento do time é uma reclamação de muitos líderes. Por vários anos, a alta cúpula focou apenas em vendas, lucro e tecnologia, mas esqueceram do principal ativo da empresa: as pessoas. Elas fazem a engrenagem girar e entregam seu produto ou serviço ao cliente.

Segundo uma pesquisa realizada pela Great Place To Work, 46% dos entrevistados permanecem nas companhias quando possuem oportunidade de crescimento. Apenas 13% prezam pela remuneração. Nesse caminho, os gerentes precisam entender o motivo de estabelecer um bate-papo contínuo com transparência e empatia. A head de pessoas e cultura da CBYK, Juliana Dimário, explica como fazer isso:

Crie uma cultura voltada para pessoas: essa atitude traz espontaneidade, faz o integrante se sentir parte de algo significativo e dá sentimento de legado. Os egos ficam sob controle, porque existe um objetivo comum.

Tenha um propósito: é a missão da empresa para desenvolver uma sociedade melhor, gerando prosperidade e felicidade. “Quando o indivíduo se sente dentro de algo maior, desperta sua gratidão e, consequentemente, veste a camisa todos os dias, comemorando cada conquista e compartilhando derrotas”, destaca Juliana.

Estabeleça a visão da sua empresa: quais os passos precisa dar para alcançar seu objetivo e compartilhe os números com o time em encontros mensais, TV corporativa, e-mail ou outros canais de comunicação.

Respire os valores: precisam ser demonstrados nas atitudes no dia a dia, principalmente na liderança. “Caso contrário, cai no descrédito. Eles são expressos na forma como a companhia se comporta e interage com clientes, fornecedores e seus membros”.

Desenvolva uma liderança humanizada: como fazer isso? Envolva os gestores em treinamentos e práticas sobre segurança psicológica, escuta ativa, entre outros. O comandante precisa compreender sua missão junto a equipe, de cuidá-la e formá-la. Não apenas cobrar entregas.

Cuide da qualidade de vida dos seus colaboradores: realize pesquisas de felicidade, crie hábitos relaxantes e ofereça conteúdo sobre o assunto.

Portanto, insira esses costumes na sua organização e esteja cada vez mais próximo do sucesso. Se procura por estagiários e aprendizes, entre em contato com o Nube. Esperamos por você!

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe