É estudante? Pretende fazer a prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) esse ano? Sonha em ser aluno de uma universidade? Muito além dos livros exigidos nos vestibulares, algumas produções são fundamentais para adquirir conhecimento. Inclusive, muitas delas podem mudar a sua percepção de mundo. Nesse sentido, elencamos dez indicações essenciais. Está preparado? Então, vamos lá! 

1) "O Discurso do Método", de René Descartes (1637):

De acordo com a educadora de filosofia e sociologia do Colégio Positivo - Master, Mariana Rogeski Boá Marzola, essa é “uma obra do período moderno, na qual o autor, Descartes, apresenta um método seguro para a construção do conhecimento para a metodologia científica por meio da razão”. Para ela, essa recomendação é crucial para quem quer compreender a forma como as pessoas pensam. 

Compreendendo esses pontos, “o estudante estará apto a iniciar pesquisas científicas com maior facilidade”, afirma Mariana. Outro benefício é a possibilidade de se questionar sobre referências do senso comum, repassadas de geração para geração. “Tomamos muitos conhecimentos como verdade em vez de questioná-los. Essa percepção pode formar uma visão crítica”, pondera. 

2) "Como as democracias morrem", de Daniel Ziblatt e Steven Levitsky (2018):

Com o objetivo de falar sobre o processo histórico e social da construção da democracia, rompendo e criticando a visão utilitarista de mundo, a sugestão visa explicar o surgimento e fortalecimento de governos autocráticos refletores do autoritarismo. Para o professor de geografia do Colégio Positivo - Ângelo Sampaio, Eduardo Berkenbrock Lopes, essa sugestão é fundamental pois visa explicar a sociedade contemporânea como resultado das relações de poder, de modo a trazer a valorização de conquistas historicamente adquiridas “e compreender a importância de garantir direito de fala e representatividade às minorias, buscando justiça social”, conclui. 

3) "Memórias Póstumas de Brás Cubas", de Machado de Assis (1881):

Uma recomendação imperdível, "Memórias Póstumas de Brás Cubas" é a dica da instrutora de redação do Colégio Semeador, de Foz do Iguaçu, Denize Juliana Reis Cardoso. “Esse é o marco inicial do realismo no Brasil e evidencia a genialidade de Machado de Assis ao retratar a história do defunto autor e todas as suas dúvidas e questões pessoais”, detalha.

Em suma: a produção começa com o narrador falando sobre sua própria morte e como ela o afetou nos atos observados depois de morto. Em seu conteúdo, é possível ter acesso a questões culturais e sociais importantes, discussões filosóficas e um aparato do contexto histórico da época. 

4) “O Teatro dos vícios", Emanuel de Araújo (1993):

“O Teatro dos vícios” é a escolha do mentor de História do Colégio Positivo - Ângelo Sampaio, André Marcos. Para ele, a obra “faz um estudo das práticas políticas e sociais no período colonial operantes até a atualidade”. Dessa forma, são páginas profundas para compreender algumas características formadoras do Brasil de hoje, como o famoso “jeitinho brasileiro” e as práticas comuns às normas do país. “É claro: cada área de estudo tem seus próprios interesses, mas, de forma geral, é muito importante para os acadêmicos ter uma visão crítica dos processos políticos brasileiros”, ressalta o docente.

5) "Os Sertões", de Euclides da Cunha (1902):

Celebrando um encontro entre história, jornalismo e literatura, “Os Sertões” marca presença em muitas listas de avaliações. Todavia, poderia ser leitura obrigatória para todos, não apenas para quem pleiteia uma vaga em uma instituição de ensino. Para o professor de História do Colégio Positivo - Master, Jakson Carlos Baniski, “é uma obra do escritor e jornalista brasileiro Euclides da Cunha, publicada pela primeira vez em 1902. Ainda, é considerado o primeiro livro-reportagem do Brasil e seu tema principal é a Guerra de Canudos, ocorrida no interior da Bahia, em 1897”, comenta Baniski. 

6) “Vidas Secas”, de Graciliano Ramos (1938):

Um romance muito atual, mesmo quase cem anos depois de sua primeira edição. Essa é a sugestão da coordenadora do Colégio Passo Certo, Liziane Paiz Petri.  “É um livro atemporal, revela parte da realidade do brasileiro, muitas vezes distante da história do aluno, mas fundamental para conhecimento do futuro profissional”, expõe. Portanto, independentemente de qual fase você esteja, é um pedido máximo, pois promove uma reflexão acerca das circunstâncias diversas de um povo em busca de melhores condições. 

7) “Quarto de Despejo - diário de uma favelada”, de Carolina Maria de Jesus (1960): 

“Todos deveriam ler Carolina em algum momento da vida. A autora nos ajuda a entender o Brasil - o racismo, a desigualdade social, a fome. Ninguém sai o mesmo depois de ler ‘Quarto de Despejo’”, ressalta a pedagoga de literatura do Colégio Positivo - Joinville, Caroline Knüpfer. A produção, reconhecida por ser o diário oficial de uma mulher negra, favelada, mãe solo e catadora de materiais recicláveis, já vendeu milhões de cópias. “Precisamos de profissionais com mais empatia, não importa em qual área. Muitos universitários vivem desde sempre presos em sua bolha social. Ler Carolina ajuda a compreender melhor o país e seus moradores”, defende Caroline.

8) "Dom Casmurro", de Machado de Assis (1899)

Mais uma vez, o renome da brasileira aparece nas recomendações. O formador de literatura e arte do Colégio Positivo - Ângelo Sampaio, Rodrigo Wieler, selecionou outro clássico. Para ele, é “um dos maiores mistérios das letras brasileiras, considerado por muitos - inclusive por mim - o maior livro de toda a nossa Literatura”. Entretanto, para além da grandeza histórica, ele destaca o quanto o exemplar pode ajudar a ampliar a capacidade de argumentação e o capital intelectual dos indivíduos. 

“Ler esse título permite conhecer a maior obra do escritor mais renomado da Literatura Brasileira, estar a par das discussões, formar uma opinião sólida a respeito da polêmica, inteirar-se sobre a sociedade brasileira do século XIX e vivenciar experiências de caráter humano, como o ciúme”, completa Wieler. Por isso, essa indicação possui um valor inestimável. 

9) “Aprendendo Inteligência”, de Pierluigi Piazzi (2014)

A sugestão da docente de Ciência do Colégio Passo Certo, Daiane Cristine Peternela Chimello, é de uma publicação para ajudar os acadêmicos a organizarem seus estudos. “Indicado para qualquer nível de escolaridade, esse livro demonstra como, com um pouco de esforço e dedicação, a tarefa de aprender com mais facilidade, apesar de aparentemente ousada, é possível”, destaca. Portanto, independentemente da idade, essa é uma dica para todos. 

10) “Os Miseráveis”, de Victor Hugo (1862)

Escrito há 160 anos, essa é uma exigência, pois já ultrapassa a literatura. Já foi adaptada para o teatro, o cinema, a música e as artes plásticas. Ainda, continua com visibilidade e promete crescer muito mais. O clássico é a indicação da professora de língua portuguesa do Colégio Passo Certo, Kalen Franciele Piano. “‘Os Miseráveis’ traz uma mensagem social e emocional e é fundamental para aprendermos a nos portar perante a sociedade. Em geral, é uma lição sobre o quanto devemos ser honestos, íntegros e empáticos”, finaliza Kalen. 

Por fim, a leitura é imprescindível para quem quer expandir os horizontes e conquistar novas fronteiras. Afinal, ao exercitar essa habilidade, é possível notar uma melhora em muitas outras. Conte com o Nube para alcançar o sucesso acadêmico e também profissional!

Seja nosso seguidor no Twitter (@nubevagas) e veja notícias diárias de ações, vagas de estágio e aprendizagem, palestras e muito mais. Assista nossos vídeos de dicas no YouTube e participe da nossa página no Facebook. Agora estamos também no Instagram , Tiktok e no Linkedin. Esperamos você em nossas redes sociais!

O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de estagiários e aprendizes. Basta acessar o link www.nube.com.br/ead. Todos os serviços para o estudante são gratuitos. Já instalou nosso aplicativo "Nube Vagas" em seu celular? Com ele você será notificado a cada nova oportunidade. Disponível na Apple Store e Play Store.

Compartilhe