A virada para o segundo semestre de cada ano é um período decisivo para milhões de jovens pelo Brasil. Afinal, está chegando mais perto da data dos vestibulares. Muitos ficam nervosos, ansiosos e com incertezas nesse momento tão importante para o futuro. Afinal, é um ponto determinante de virada para desenvolvermos os próximos estagiários, funcionários e executivos do país.

Como se dedicar e focar nos estudos?

De acordo com o último Censo da Educação Superior, 3,7 milhões de estudantes ingressaram em um curso de graduação no último ano. No entanto, quantos outros não obtiveram sucesso? A tarefa é difícil pela dedicação e foco exigidos para se alcançar um bom desempenho, mas também por envolver pressão emocional e dúvidas sobre a carreira a ser seguida.

Para o fundador e CEO da Piva Educacional, Bruno Piva, essa é uma das etapas mais desafiadoras da vida. “Faça inscrição para todos os cursos do seu interesse, mas se dedique principalmente ao seu maior desejo. É preciso direcionar a energia, assim fica mais fácil saber quais conteúdos estudar e como fará isso. Na hora da prova, comece com questões mais fáceis, isso dará potência para realizar as mais complexas”.

Para melhorar o desempenho dos estudantes, Bruno Piva separou cinco dicas para aumentar a produtividade na hora da preparação:

Monte seu próprio cronograma de estudos: dessa forma, fica mais fácil organizar os assuntos e o tempo gasto com cada tópico. Observe sua rotina e verifique quantas horas do dia podem ser dedicadas. “Todos os temas devem ser estudados, mas deve priorizar as matérias com maior dificuldade e aquelas com maior peso no vestibular”, explica.

Experimente diferentes métodos: teste quais formatos trazem mais resultado para você, escolha um e siga com ele até o final. Não fique apenas lendo livros ou artigos. Intercale entre matérias de humanas e exatas. Procure assistir vídeos, escrever resumos e anotações, fazer exercícios e provas anteriores e até assistir algum filme relacionado com o tema estudado. “Não se deve persistir no erro. Não existe um método perfeito, a jornada de aprendizado é feita de obstáculos também”, ressalta Piva.

Mantenha o local de estudo organizado: fatores externos também influenciam esse processo e a organização do ambiente é um deles. “Estabeleça um lugar fixo com conforto, iluminação e privacidade. Deixe em ordem todo o material necessário e usufrua do espaço como um todo. Aproveite outras ferramentas além do caderno, utilize cores e formas diferentes. Informe aos seus familiares e peça para não ser interrompido, inclusive evitando distração com os pets”, sugere o CEO.

Elimine distrações: coloque o celular no modo avião ou desligue, assim você não verá as notificações recebidas. No computador, não deixe abertas abas com entretenimento e saiba dizer não para compromissos e convites dentro do seu horário de preparação.

Intercale os estudos com momentos de descanso: a rotina de estudos é estressante e, depois de algumas horas, a atenção e a capacidade de entendimento ficam prejudicados. Por isso, o repouso e momentos de lazer possuem um papel determinante. Faça intervalos entre uma matéria e outra, pois isso ajudará a fixar o conteúdo melhor e busque ter qualidade no sono. “É preciso entender seu corpo. Dormir poucas horas pode ser prejudicial para a saúde. A pessoa fica estressada e não tem prazer nas atividades”.

O descanso influencia diretamente no resultado

O cotidiano de um aluno pode ser uma jornada cansativa e, nas férias, muitos deles mergulham nos estudos para aproveitar o tempo livre. Essa estratégia, porém, deve ser feita com equilíbrio. Segundo a orientadora educacional do Colégio Rio Branco, Juliana Góis, após o retorno ao ritmo presencial, o recesso é ainda mais necessário, aprimorando, inclusive, a produtividade.

De acordo com uma pesquisa do Instituto Ayrton Senna e da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, um terço dos discentes tem dificuldades de concentração e 18,8% declararam se sentir sob pressão, além de uma sensação de “esgotamento total”.

Após dois anos com aulas remotas e híbridas, eles apresentam maior dificuldade na readaptação, não sabendo lidar com normas e responsabilidades. Para Juliana, eles sentem-se, de fato, mais pressionados. “Está havendo um bloqueio em conciliar a vida social e escolar, além do desenvolvimento da maturidade”, complementa.

A orientadora recomenda utilizar esse período de pausa para explorar tudo, investindo em momentos com familiares e amigos, praticando esportes, frequentando museus e outras programações culturais. Tudo isso melhora o rendimento, pois há diminuição do estresse e aumento do relaxamento e da sensação de bem-estar, fazendo esse indivíduo voltar com mais gás para o próximo semestre.

Para os adolescentes, isso é ainda mais necessário. Segundo a pesquisa, quase 20% dos entrevistados perdem totalmente o sono devido a preocupações com a vida acadêmica, além de 13,6% não terem mais confiança em si mesmos. “A intensidade de cada momento demanda uma energia muito grande, então, durante esse intervalo, eles devem fazer bom uso do período de relaxamento. Além disso, dar a devida atenção à saúde psíquica e buscar ajuda são dois pilares essenciais”, complementa a orientadora.

No entanto, um distanciamento completo também não é o ideal, especialmente para os vestibulandos. “Optar por programas culturais, compreendendo atualidades e adquirindo conhecimento de mundo, tão exigido nas avaliações, é também uma maneira leve e tranquila de não ficar parado nos conteúdos”.

Então, como fazer durante as férias?

Ao longo desses dias, é fundamental os pais estimularem seus filhos a ler e a fazer exercícios de matemática, por meio de jogos ou brincadeiras. “Usar o período para aprender se divertindo é uma excelente opção, porque apresenta um estímulo diferente do mais costumeiro em sala de aula”, destaca o CEO da Matific Brasil, Dennis Szyller.

Além disso, atividades em família também são interessantes. “Para os mais novos, tudo é exemplo. Então, para um adolescente ler mais, quem convive com ele deve introduzir esse hábito e estabelecer um cotidiano em conjunto”, explica Szyller. Essa atitude também é um grande incentivo a desejar mais conhecimento.

Ao se debruçar sobre livros ou resolver alguns problemas com números, o educando acaba voltando mais preparado em relação aos demais, tendo um retorno menos estressante e mais frutífero. Ou seja, ter essa prática estabelecida dentro de casa terá efeitos positivos no futuro e aumenta a chance de aprovação em uma boa universidade.

Portanto, não perca tempo e esteja sempre se atualizando, capacitando e complementando o seu currículo. Assim, a probabilidade de você ser bem sucedido em sua profissão é muito maior. Se busca uma oportunidade de estágio ou aprendizagem, acesse o nosso painel de vagas. Boa sorte!

Seja nosso seguidor no Twitter (@nubevagas) e veja notícias diárias de ações, vagas de estágio e aprendizagem, palestras e muito mais. Assista nossos vídeos de dicas no YouTube e participe da nossa página no Facebook. Agora estamos também no Instagram , Tiktok e no Linkedin. Esperamos você em nossas redes sociais!

O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de estagiários e aprendizes. Basta acessar o link www.nube.com.br/ead. Todos os serviços para o estudante são gratuitos. Já instalou nosso aplicativo "Nube Vagas" em seu celular? Com ele você será notificado a cada nova oportunidade. Disponível na Apple Store e Play Store.

Compartilhe