Nunca é demais reforçar a importância de um currículo bem feito. Afinal, este é o primeiro meio pelo qual o candidato se apresenta para um possível emprego, estágio ou aprendizagem. Justamente por isso, é imprescindível seguir alguns preceitos na hora de se mostrar para as organizações com chances abertas. Por isso, veja as dicas a seguir para se preparar!

Preceitos básicos a seguir 

Aliesh Costa, especialista em recursos humanos e carreiras e CEO da Carpediem RH, destaca como, até para quem já tem muitas vivências, o Curriculum Vitae (CV) mal feito pode prejudicar na busca por uma colocação. “Mesmo se sua experiência for consistente, um CV incompleto diminui a probabilidade de se chegar até a entrevista”, explica. 

Justamente por isso, após se interessar por uma oportunidade compatível com seu perfil, é preciso verificar as informações e apresentá-las, portanto, de forma atrativa. “Antes de clicar em enviar, a pessoa deve fazer o máximo possível para se destacar”, compartilha a especialista.

Redação, estética e clareza são três pontos muito bem quistos

Em linhas gerais, o documento deve ser factualmente preciso, incluindo datas das últimas posições ocupadas, caso houver, escolaridade, assim como cargos e habilidades adquiridas em cada função. Dessa forma, o recrutador conseguirá avaliar de forma precisa quem é o concorrente. 

No mais, a redação concisa, sucinta e direta e o uso correto da gramática também são pontos cruciais. “Acima de tudo, pense no documento sob a ótica do marketing, ou seja, como uma ferramenta estratégica para comercializar sua marca individual”, complementa Aliesh.

Mariana Brito, estudante de pedagogia, confessa já ter enfrentado dúvidas na hora de elaborar essa apresentação. “A Internet ajudou muito, mas às vezes, o excesso de informações atrapalha. Precisei filtrar as orientações dos sites e montar algo mais a ‘minha cara’”, compartilha. 

Veja, a seguir, 11 dicas da especialista para um currículo atraente e eficaz:  

  • Coloque suas informações de contato

Em primeiro lugar, o empregador precisa saber quem é você e como acioná-lo. Assim, logo no topo do documento, devem constar o nome completo, idade, endereço (com a cidade onde reside), números telefônicos, endereço de e-mail e, se possuir, também o perfil do LinkedIn. “É vital estar atento ao seu correio eletrônico, evitando utilizar apelidos ou títulos genéricos, como nome de personagens, o bairro onde se vive ou conjuntos musicais, por exemplo, pois isso soa pouco profissional”, alerta Aliesh. Informações como CPF e RG são dispensáveis.  

  • Exponha seus objetivos 

Devem ser inseridos no início, logo após os dados, pois é muito importante deixar claro as áreas de atuação desejadas. “Os objetivos devem ser sempre alterados conforme as corporações, para estarem alinhados com os valores de cada organização”, diz.  

  • Faça um resumo

É opcional e consiste em tópicos com a finalidade de trazer uma visão geral de como foi a carreira até ali, as principais posições e setores por onde passou e qual tipo de responsabilidades assumiu. “A ideia é contar objetivamente sua trajetória para facilitar o trabalho do recrutador”, sugere a especialista.  

  • Insira sua formação

Estas informações devem ser sucintas e prezar pela clareza. Basta colocar o nome das instituições onde estudou ou ainda frequenta. “É necessário apontar também os anos de conclusão, pois assim os recrutadores conseguem ter uma noção do quanto a pessoa está atualizada”, destaca a orientadora. “Caso o curso esteja em andamento, deve ser colocado o ano previsto para pegar o diploma”.  

  • Capriche na experiência 

Este é o “coração” do arquivo, sua parte mais relevante. Para a seção ser lógica e informativa, é preciso listar as vivências em ordem decrescente, ou seja, das mais recentes para as antigas. Em cada uma, o candidato deve inserir o nome da organização, cargo ocupado e um breve resumo das atividades realizadas. “Quando estiver concentrado nessa parte, a pessoa deve fazer uma reflexão para elencar as atividades essenciais desempenhadas”, diz Aliesh. “Assim, o recrutador não terá dificuldades em avaliar se há ou não aderência à vaga”. 

Caso você não tenha vivências anteriores, como no caso de quem busca chances de estágio e aprendizagem, o ideal é apostar em cursos extracurriculares, trabalhos acadêmicos de destaque, voluntariados e outros. O ideal é apontar como essas passagens favoreceram seu desenvolvimento e jornada até o momento.   

  • Faça uma carta de apresentação

A dica vale para quando o CV for enviado por e-mail. Consiste, basicamente, em se apresentar para o recrutador de maneira mais pessoal, explicando as motivações e tudo aquilo não abordado no currículo. “Uma carta de apresentação bem elaborada pode fazer a diferença entre conseguir uma entrevista ou ter a inscrição ignorada, por isso vale dedicar um tempo para escrever um texto cuidadoso e personalizado para cada candidatura”, fala Aliesh.  

  • Adapte-se à situação

É imprescindível fazer modificações constantes e aprimorar as diferentes versões, enquanto avança na carreira. A cada oportunidade desejada, é preciso pesquisar sobre a contratante e ler a descrição do cargo com atenção. Assim, o documento poderá ser adaptado de forma eficaz. “Para facilitar este processo de customização, uma boa dica é ter um currículo base, onde estejam listadas todas as realizações em detalhes e, a partir deste arquivo mestre, o candidato seleciona o relevante para cada posição específica visada”.  

  • Liste cursos extracurriculares e idiomas

Aqui, vale colocar tanto cursos presenciais, quanto on-line, filtrando por aqules com maior aderência à oportunidade. Para cada um, é imperativo inserir o nome da instituição de ensino, bem como mês e carga horária. Com relação a idiomas, o essencial é listar o nível de proficiência (básico, intermediário, avançado ou fluente), sendo a escola e o tempo de estudo opcionais.  

  • Seja verdadeiro

Acima de tudo, não minta. É comum, antes da contratação, as empresas solicitarem testes e avaliações comportamentais – nesta fase, informações falsas são facilmente detectadas e isso resulta na perda da oportunidade.  

  • Revise antes de enviar

É primordial atentar aos detalhes. É preciso garantir um design alinhado. Margens, tamanho e tipo da fonte e espaçamento devem ser padronizados. O uso de negrito e itálico pode até ser válido, mas para alguns poucos destaques. Ou seja, o visual do documento deve ser “clean”. Em segundo lugar, deve-se verificar a ortografia, pontuação e escolha de palavras. “Errar no português é uma falha grave”, alerta Aliesh. “Especialmente nos dias de hoje, no qual temos ferramentas tecnológicas à disposição”, reforça. 

Seja para galgar a admissão para ser estagiário, jovem aprendiz, funcionário efetivo ou até líder, apostar em uma comunicação clara é essencial. Que tal algumas dicas para entrevistas?

Boa sorte!

Seja nosso seguidor no Twitter (@nubevagas) e veja notícias diárias de ações, vagas de estágio e aprendizagem, palestras e muito mais. Assista nossos vídeos de dicas no YouTube e participe da nossa página no Facebook. Agora estamos também no Instagram e no Linkedin. Esperamos você em nossas redes sociais!

O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de estagiários e aprendizes. Basta acessar o link www.nube.com.br/ead. Todos os serviços para o estudante são gratuitos. Já instalou nosso aplicativo "Nube Vagas" em seu celular? Com ele você será notificado a cada nova oportunidade. Disponível na Apple Store e Play Store.

Compartilhe