Segundo dados expostos pela Associação Brasileira de Estágios (Abres), atualmente, temos 17,4 milhões de possíveis estagiários, quando consideramos a soma dos níveis superior, médio e técnico. Destes, uma grande parcela é parte da Geração Z. Ou seja, são estudantes nascidos entre o começo dos anos 90 e o fim da primeira década do século XXI. Nesse sentido, você sabe como esses jovens são no dia a dia corporativo? Conheça seu perfil! 

A Geração Z toma conta do ambiente de trabalho com muita inovação 

Consoante a Maurício Benetti, gerente de produtos e growth da HSM University, esse público possui sua própria linguagem e traz consigo soft skills relevantes para as organizações, como criatividade, pensamento rápido, proatividade e agilidade. “Eles são muito versáteis e flexíveis, sendo capazes de realizarem múltiplas tarefas e lidarem com os desafios do cotidiano de forma mais positiva”, explica. 

Em geral, são altamente conectados com a tecnologia e com uma forte inclinação para assumir e gerenciar novos projetos e desafios. Cada vez mais é possível perceber: esse grupo procura além de instituições legais para laboração e com boa reputação, eles querem inovação, maleabilidade e valor agregado. 

Pensando nesta persona, gradativamente os líderes devem ser vistos como norteadores e apoiadores de ideias. Assim, é necessário exercitar além da autonomia destes colaboradores, mas também desenvolvendo o autogerenciamento e oferecendo feedbacks mais claros, assertivos e constantes. 

“Estes profissionais contam com um perfil articulado e trabalham bem em equipe. Além de estarem mais abertos à diversidade e às mudanças propostas, características essenciais para as empresas nos dias de hoje”, finaliza Benetti. Enfim, é preciso ressaltar: eles acrescentam insights nas estratégias, pois estão atentos às tendências. 

Mais conectados: a Geração Z está por dentro da Internet

Uma coisa é fato: esse grupo também estabeleceu novos padrões de comportamento no mundo digital, desafiando setores a buscar maneiras distintas de atendê-los nos diferentes canais de interação. Inclusive, eles são considerados interligados, pois dominam meios divergentes com maestria. 

Uma análise recente da Comscore, intitulada “Geração Z”, indicou: o número de pessoas entre 18 e 24 anos representam 17% da população virtual, chegando a 22 milhões de usuários conectados no país. Entre eles, mais da metade (60%) utilizam apenas dispositivos móveis para navegar on-line.  

Nesse contexto, o relatório ainda apontou qualificações específicas desse público. Em suma, é composto 69% por solteiros, 41% já saíram da casa dos pais e 22% possuem filhos. Essa geração já nasceu ligada à web, por isso, 42% relatam se sentirem perdidos quando estão sem celular e 28% possuem a intenção de comprar um novo smartphone. 

Em média, esses internautas gastam uma hora e quarenta minutos por dia nas redes sociais. Entre as mídias de maior interesse e interação, estão o Instagram, Facebook, TikTok, Kwai, Twitter, Pinterest e LinkedIn. Todavia, o Brasil é a terceira nação do mundo onde esses canais são mais acessados, a população passa, aproximadamente, três horas e 42 minutos todos os dias nas telas, de acordo com estudo da Hootsuite e WeAreSocial. 

Como consequência dessa alta conectividade, a pesquisa mostrou: 63% usam do ciberespaço como a primeira fonte de informação, 61% também a consideram o principal canal de entretenimento e 49% consideram a qualidade do contato humano melhor por causa dessa modernidade. 

Segundo Alejandro Fosk, gerente geral da Comscore na América Latina, “neste novo levantamento, notamos como os jovens utilizam da Internet como ferramenta para grande parte de suas atividades, seja para se relacionar, consumir ou investir”, ressalta. Isso mostra uma predisposição geral: cada vez mais estaremos ativos no espaço virtual. Uma prova disso é a criação e expansão do metaverso. 

Quais as predisposições da Geração Z em relação a consumo e comportamento?

Para o gerente geral da Comscore na América Latina, “muitos ainda buscam por conselho para melhor administrar suas vidas financeiras. Esses insights podem ajudar as marcas a trabalhar em novos conceitos para agradar esse público bastante exigente”, comenta Fosk em relação ao estudo exposto. 

Isso se deve ao fato de mais da metade desse grupo (52%) pagariam o necessário por uma boa recomendação quanto ao capital. Inclusive, 50% têm interesse, mas acham difícil economizar. Já 41% acreditam em um poder de compra maior advindo do cartão de crédito e 25% gastam dinheiro sem pensar nas consequências.  

Além disso, a análise também identificou entre essa parcela um grande interesse por viagens, 53% acessam a categoria “Travel” nos veículos digitais. Em respostas ao estudo, 66% indicaram gostar da ideia de se deslocarem até o exterior, 54% pretendem fazer isso de avião e 12% já visitaram outras culturas. Isso também impulsionou as pesquisas dentro do conjunto “Turismo”, indicando oportunidades para o setor. 

Quanto aos principais hábitos de consumo, grande parte dos entrevistados (44%) percorrem a dimensão virtual planejando compras e 43% pregam como isso facilitou a vida. Já 38% gostam das tendências de moda e costumam adquirir por impulso e 32% pagam para personalizar produtos de acordo com o seu estilo. Para comprovar como o review na rede é poderoso, 30% dos compradores sentem-se impactados por comentários das mercadorias e 25% seguem indicações de influenciadores antes de efetuar alguma transação. 

Entre os segmentos de maior interesse para os usuários, estão: eletrônicos, itens de moda e vestimentas, produtos de alimentação e supermercado, sites de comparação de serviços e, por fim, artefatos de fragrância e cosmética. Em geral, são áreas com muitas possibilidades para quem quer ingressar no mercado de trabalho. 

É parte da Geração Z e quer entrar no mercado de trabalho? Veja dicas! 

Por fim, para contemplar quem também quer ser admitido por uma instituição e possui esse perfil descrito, separamos algumas dicas para você conseguir ser destaque em qualquer processo seletivo. Confira: 

- Faça networking

Também parte dos aplicativos mais acessados no ciberespaço, o LinkedIn pode ser um diferencial para quem deseja ter uma chance empresarial. A rede social é especializada em unir profissionais de diferentes campos e tornar a conectividade mais prática. Dessa forma, você pode encontrar amigos de profissão e acompanhar suas páginas para sempre estar por dentro das novidades. 

- Invista em idiomas: 

No futuro, o inglês não será mais diferencial, mas sim obrigatório. Principalmente para as multinacionais, ter proficiência é essencial para conseguir se comunicar com times internacionais. Nesse sentido, aprender o idioma pode ser fácil, inclua-o em sua rotina, ouvindo músicas, assistindo filmes e séries sem legendas e também conversando com pessoas da nacionalidade. Uma boa indicação é o Duolingo e o Omegle. 

Enfim, o Nube é seu aliado em buscas de melhores oportunidades e também para estar por dentro das atualidades. Continue acompanhando nosso blog e conheça as redes sociais. Ademais, não esqueça de visualizar nossas vagas pelos Painel de Vagas, assim, você consegue encontrar a ideal para o seu perfil. Conte sempre conosco para alcançar o sucesso!

Seja nosso seguidor no Twitter (@nubevagas) e veja notícias diárias de ações, vagas de estágio e aprendizagem, palestras e muito mais. Assista nossos vídeos de dicas no YouTube e participe da nossa página no Facebook. Agora estamos também no Instagram e no Linkedin. Esperamos você em nossas redes sociais!

O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de estagiários e aprendizes. Basta acessar o link www.nube.com.br/ead. Todos os serviços para o estudante são gratuitos. Já instalou nosso aplicativo "Nube Vagas" em seu celular? Com ele você será notificado a cada nova oportunidade. Disponível na Apple Store e Play Store.

Compartilhe