O mercado passou por intensas transformações nos últimos anos e isso refletiu também nas habilidades requeridas demandadas. Além disso, a aceleração tecnológica também pede por novas maestrias e adaptações. Sendo assim, as empresas estão cada vez mais recrutando pelas soft skills. Então, se você pensa em conseguir uma vaga de estágio ou jovem aprendiz, fique ligado!

A urgência do mercado!

Atualmente, a grande maioria dos profissionais são demitidos por problemas comportamentais. Ou seja, a ausência dessas skills. “Logo, os gestores têm requerido e valorizado capacidades além do conhecimento técnico. Para quem não tem familiaridade com o tema, tais aptidões estão relacionadas às condutas e à forma de trabalho do indivíduo”, diz a gerente geral de recursos humanos da NEO, Priscila Araújo.

Em outras palavras, ela explica: “são as chamadas competências não-cognitivas, emocionais ou em relação aos hábitos. Ou seja, além de verificar se um potencial candidato tem o conhecimento necessário para a função, também observamos como ele age ou lida com diferentes situações”.

Para a especialista, essas características ganharam evidência porque não só geram mais resultados para um negócio, como também são decisivas na criação e manutenção de um ambiente mais saudável e produtivo. “Se, antes, a ênfase era na produção, hoje é na qualidade nas relações, pois por meio da colaboração surgem os melhores frutos”,complementa.

Anote e exercite

Para quem se pergunta como isso funciona para as áreas de tecnologia, veja só: “hoje, as companhias compreenderam a sua relação com pessoas e não com máquinas programadas para produzir. Com essa mudança na dinâmica, os selecionadores desse setor (eu, inclusive) consideram as skills tão significativas quanto dominar a técnica”, afirma Priscila.

Então, cabe às organizações identificar tais particularidades, sempre levando em conta o core business e a cultura interna. Fazendo isso de forma assertiva, consegue-se times mais comprometidos, produtivos e bem-sucedidos. “Contudo, por se tratar de um repertório bem vasto, é difícil desenvolver ou mesmo manifestar domínio em todas elas. Por isso, a dica é fazer uma autoanálise, selecionar as mais alinhadas aos seus propósitos e trabalhar firme em seu progresso e autoconhecimento”, expõe a gerente.

De acordo com ela, no ranking das skills mais valorizadas estão:

  • Comunicação verdadeira e eficaz;
  • Pensamento criativo para elaborar soluções rápidas e inovadoras;
  • Resiliência para recuperação após adversidades;
  • Empatia para compreender os colegas;
  • Liderança para gerir equipes;
  • Postura ética e responsável com o serviço.

Tem mais…

Letramento digital e destreza com a tecnologia - segundo pesquisa da Qlik®, a “alfabetização de dados” – definida como o potencial de ler, trabalhar, analisar e se comunicar com base em informações – será o know-how mais procurado até 2030. Portanto, saber interagir com esses espaços cibernéticos de forma lógica e estratégica é urgente.

Humanização - é preciso digitalizar, mas com individualização. Assim, as relações e a comunicação estarão cada vez mais fortalecidas na busca por saídas. Por isso, é fundamental entender a dor do próximo em conjunturas adversas.

Adaptabilidade e flexibilidade - o contexto está cada vez mais dinâmico, incerto e em constante mudança, especialmente, no pós-pandemia. Então, o profissional capaz de lidar com esses fatores terá mais facilidade para circular no mercado.

Inteligência emocional - ajuda em outras maestrias fundamentais, não só no âmbito laboral, mas também na autogestão, disciplina e sabedoria de lidar com frustrações. “Se você não tem capacidade de dominar suas próprias emoções, você não vai conseguir realizar de maneira adequada nenhum planejamento”, comenta o CEO do Instituto Gente, Arthur Shinyashiki.

Resolução de problemas - enfrentar, de maneira prática, os obstáculos da vida. Isso é, não se limitar a encontrar uma resolução, mas analisar, questionar e refletir sobre possíveis maneiras para sair dos sufocos. “Sobretudo, se você não consegue vencer a batalha travada dentro de si mesmo, certamente não ganhará outro desafio externo. Ao se criticar e se depreciar demais, as chances de alcançar o sucesso são sabotadas”, afirma o CEO.

Pensar fora da caixa - conseguir olhar o presente e imaginar o futuro. Além disso, ser curioso, pró ativo e buscar novas ideias é algo muito valorizado em meio a complexidade e constante movimento dos negócios.

Pensamento analítico - é o reconhecimento e o desfecho de quebra-cabeças usando o raciocínio e a lógica para trazer inovação.

Resiliência - se manter calmo e coerente diante de condições críticas, como a pandemia, por exemplo. Dessa maneira, enfrenta-se as adversidades, fazendo delas oportunidades de amadurecimento e de aprendizado. Isso é muito observado nas entrevistas.

Senso crítico - usar o intelecto para entender a realidade e estimular o indivíduo a pensar antes de agir. Assim, as decisões são tomadas com mais assertividade.

Ou seja,todas elas estão intimamente ligadas à evolução de carreira e são úteis desde a construção de um currículo, durante uma entrevista e até nas atividades cotidianas. “É perfeitamente possível aprimorá-las! Basta acreditar e vivenciar o processo e aprender a se autorregular (isso é, entender e aprender a administrar as próprias emoções, se recuperando mais rápido de qualquer estresse), a gerenciar o seu tempo e criar uma cultura de feedback (apontar a si próprio os pontos positivos e a melhorar)”, continua Priscila.

Você pode pedir também para os amigos e até familiares te avaliarem e também darem sugestões para melhorar. “Lembre-se: somos seres sapientes, capazes de aprender constantemente e essa habilidade ninguém nos tira. O importante dentro das relações é a nossa atitude com cada situação, como a sentimos e a resposta comportamental a ela”, finaliza a gerente geral de recursos humanos da NEO.

A sua hora vai chegar

Conforme levantamento global Capgemini Digital Transformations Institute, solicitado pelo LinkedIn, 60% das organizações têm dificuldades em encontrar talentos com essas atribuições. Ainda, de acordo com o relatório, a busca por indivíduos com foco no cliente (65%), colaboração (64%), paixão por aprender (64%), e habilidade organizacional (61%), aumentou consideravelmente.

Portanto, principalmente quem está procurando uma vaga de estágio ou aprendizagem precisa estar alinhado a essas novas tendências. Sobretudo, isso é fundamental para a vida. Então, se esforce, a sua hora vai chegar! Continue acompanhando nosso blog e as redes sociais, pois publicamos conteúdos diários com a participação de grandes especialistas. Assim, você se mantém alinhado às novas necessidades do universo laboral e se destaca. Conte com o Nube!

Seja nosso seguidor no Twitter (@nubevagas) e veja notícias diárias de ações, vagas de estágio e aprendizagem, palestras e muito mais. Assista nossos vídeos de dicas no YouTube e participe da nossa página no Facebook. Agora estamos também no Instagram e no Linkedin. Esperamos você em nossas redes sociais!

O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de estagiários e aprendizes. Basta acessar o link www.nube.com.br/ead. Todos os serviços para o estudante são gratuitos. Já instalou nosso aplicativo "Nube Vagas" em seu celular? Com ele você será notificado a cada nova oportunidade. Disponível na Apple Store e Play Store.

Compartilhe