No Brasil, cada vez mais as pessoas buscam abrir seu próprio negócio. A falta de oportunidades e a crise econômica são fatores cruciais nesse sentido. Esse movimento pode ser interessante e ajudar na geração de empregos e estágios. No entanto, é preciso planejamento para alcançar o sucesso e não entrar para a estatística de empresas fechadas.

Um bom planejamento

O bom rendimento de uma corporação é determinado pela relevância em seu ramo de atuação. Metas ousadas e ambiciosas são primordiais para uma trajetória bem sucedida. Para isso, é preciso inovar. Dessa forma, é importante possuir um bom sistema de gestão. Atualmente, existem várias técnicas no mercado para ajudar os dirigentes nessa tarefa.

Nesse sentido, o consultor Pedro Signorelli destaca o método OKR (Objectives and Key Results). “Trata-se de um estabelecimento de metas. Os objetivos são determinados e, com o passar do tempo, observa-se o cumprimento dos mesmos. Isso te ajuda a definir o as ações necessárias, as prioridades no momento e onde focar os esforços”, explica.

Para isso, Signorelli cita alguns passos importantes para os empresários.

 

 

Defina planejamentos a curto prazo: muitas organizações cometem o erro de se prenderem ao passado. É preciso desapegar de algumas coisas ultrapassadas, como fazer exclusivamente planejamento anual.

Quebre o monopólio da tomada de decisão: a centralização das tomadas de decisões não engaja e, como consequência, não proporciona o desenvolvimento da equipe. “Os demais colaboradores também devem participar do processo de construção das metas”, ressalta o especialista.

Converse com o time: na era do conhecimento, isso é fundamental pois a diversidade de ideias enriquece a discussão.

Seja um líder de resultados: a autoridade vem pelo reconhecimento da atuação de cada um nas áreas do negócio e como você orienta e apoia seus liderados na execução das tarefas.

Seja disciplinado: nunca se deve perder o foco e a vontade de alcançar ótimos resultados.

Expanda para o exterior

Em uma economia globalizada, é natural muitas companhias considerarem expandir suas atividades para o exterior como uma estratégia de crescimento. Feito de maneira planejada e com os meios adequados, esse tipo de amplificação pode trazer grandes benefícios, como o aumento do público e diversidade de clientes.

Sendo assim, é fundamental avaliar os benefícios ao partir para outros países e ter conhecimento do mercado. “Devem ser considerados aspectos como a ampliação do portfólio, exposição global da marca, redução de custos operacionais, novas tecnologias e formação de um grupo com experiência e melhor formação”, explica o doutor em Políticas Públicas e professor, Gustavo Oliveira.

Em linhas gerais, a diversificação de investimento internacional é bem-vinda e vista com bons olhos. “Do contrário, o empreendedor fica exposto apenas aos riscos do cenário brasileiro e deixa de buscar outras possibilidades de ganho em países desenvolvidos, com mais crescimento e oferecem uma solidez melhor, como os Estados Unidos e a China”, aponta Oliveira.

Existem alguns cuidados a serem tomados, como verificar se o cadastro das Classificações Nacionais de Atividades Econômicas - CNAE no CNPJ possuem correspondência no local de destino. “Em casos específicos, será preciso efetuar mudanças em seu regime tributário para alcançar melhor performance e ter maior eficiência”, ressalta o professor.

Portanto, sonhe alto e conquiste o mundo! Verifique todos os processos para fazer tudo de maneira correta. Se busca novos talentos para serem estagiários ou aprendizes em sua organização, entre em contato com o Nube!

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe