Quais aspectos são mais valorizados por profissionais dentro de uma organização? O mercado de trabalho tem mudado e instituições de todos os segmentos, tamanhos e regiões têm ouvido cada vez mais seus colaboradores para garantir uma boa qualidade de vida. Assim, para entender a visão da juventude sobre isso, o Nube - Núcleo Brasileiro de Estágios fez um levantamento e perguntou: “o que você espera de uma empresa onde pretende atuar?”. No ar entre 12 e 23 de julho, o estudo contou com a resposta de 25.813 pessoas entre 15 e 29 anos. 
 
Cerca de 33,9% (8.762) dos entrevistados almejam incentivos ao trabalho em equipe e treinamentos constantes. Para a recrutadora do Nube, Beatriz Menezes, os dois pontos citados são benéficos para a carreira. “A cooperação em um time permite aos indivíduos o contato com outras opiniões do mundo e isso favorece o aumento no repertório de conhecimentos e bagagem. Por sua vez, os treinamentos visam auxiliar na capacitação e gerar entregas com mais qualidade. Dessa forma, os grupos tendem a se sentir mais acolhidos e seguros em realizar suas atividades corretamente”. 
 
Outros 23,8% (6.146) desejam atuar em um ambiente com diversidade e sem preconceitos. “A humanidade é diversa, logo, como pensar no contexto corporativo sem contemplar toda essa pluralidade?”, pondera a especialista. Para ela, promover esses aspectos culmina em uma realidade mais saudável para a execução de tarefas. “Com funcionários mais seguros, motivados e confiantes para apresentar suas ideias e o seu potencial, isso eleva a criatividade e a inovação. Consequentemente, isso traz melhores resultados à organização”. 
 
Pouco mais de 21,2% (5.481) valorizam onde há preocupação com o bem estar das pessoas. Beatriz alerta como essa deve ser sempre uma pauta da gestão. “Para a entidade funcionar com melhoria contínua, é imprescindível seus talentos trabalharem com segurança e de maneira saudável. Quando a companhia se atenta a isso e estimula ações com essa finalidade, eleva-se a possibilidade desses continuarem engajados a desempenharem suas funções, gerando baixo nível de rotatividade”. 
 
Cerca de 11,8% (3.051) querem lideranças com posturas éticas. A selecionadora destaca como essa característica é de vital importância. “Gestores são representantes da cultura da marca, portanto, quando nos deparamos com um coordenador antiético, a impressão é de estarmos em uma instituição não confiável. Assim, como se sentir acolhido e seguro de que seus direitos estão garantidos?”, indaga. “A ética está diretamente ligada ao respeito, empatia e responsabilidade com as necessidades da contratante e seus subordinados”, continua.
 
Por fim, 9,2% (2.373) apreciam lugares com abertura para dar ideias e elas serem consideradas. “Quando há acolhimento para a troca de sugestões e opiniões, a tendência é aumentar a inovação, pois todos se sentem à vontade para apresentar o seu ponto de vista, sem medo de represálias, caso cometam erros. Dessa maneira, além de atingir melhor resultado em relação ao rendimento, impacta positivamente na satisfação geral”. 
 
Assim, como dica para profissionais em início de carreira preocupados em escolher uma oportunidade de maneira assertiva, a recrutadora orienta: “é importante pesquisar sobre o empreendimento para o qual está se candidatando, verificar seus valores, missões e condutas similares com suas crenças. Isso vai influenciar diretamente na sua sintonia com os demais colegas e com sua possibilidade de crescimento, entre outros fatores”, conclui. 
 
Fonte: Beatriz Menezes, recrutadora do Nube
Serviço: Trabalho em equipe e treinamentos são pontos mais buscados por jovens nas empresas

Compartilhe