Cada dia mais, o mundo corporativo tem um papel muito importante para a transformação e a evolução da sociedade. Dessa forma, as empresas têm o dever de fazer parte da solução das vacinas e de tantas outras iniciativas para a transformação dos negócios e, sobretudo, da coletividade.

Conhecimento é a palavra-chave!

Você sabia: as pessoas confiam mais nas empresas ao invés de jornalistas (51%), líderes religiosos (42%) ou governo (33%)? Segundo a pesquisa “Edelman Trust Barometer 2020'', as companhias estão entre as instituições mais confiáveis existentes, não importa se familiares (71%), privadas (68%) ou públicas (65%).

Diante das adversidades dos últimos meses, as organizações precisam colaborar com a operação de imunização contra o Covid-19. Elas podem e devem contribuir acelerando o processo com recursos econômicos e estruturas logísticas. “Têm de informar e esclarecer os benefícios da dose para o máximo de seres humanos: seus colaboradores, seus familiares e toda sua cadeia produtiva”, explica o CEO da um.a #diversidadecriativa, Ronaldo Ferreira Júnior.

Nesse sentido, é importante os negócios empregarem todo o esforço coletivo para a imunização da maior parte da população, o mais rápido possível. Para o dirigente, isso ajudará a restabelecer a liberdade de ir e vir, um retorno seguro ao convívio social e ao trabalho para todos os sujeitos.

Vacina para questões sociais?

Por outro lado, imagine se tivéssemos o poder de criar vacinas para tantos outros males da sociedade? “Um antídoto com o poder de estancar a fome com uma simples gotinha, combater o preconceito a partir de uma picada relâmpago, proteger as pessoas do bullying e do assédio. Bem como se eliminasse o racismo, o machismo, a violência doméstica, males ainda tão comuns no Brasil, a vitimar mulheres e crianças”, comenta Júnior.

Em vista disso, segundo uma das fundadoras da Newa, Carine Roos, há um chamado urgente e necessário para desenvolvermos lideranças mais conscientes. “Em um momento de crise econômica, política, social e ambiental, as entidades precisam colocar a diversidade como peça-chave para inovação e criatividade”, analisa a especialista em liderança feminina.

Aliás, de acordo com ela, o propósito das organizações deve contribuir para uma mudança genuína na humanidade. Bem como construir times mais diversos, com protagonismo feminino e uma gerência capacitada. “Nós engajamos a média e alta liderança no tema para as mudanças e transformações serem efetivas e trazerem valor ao corpo social como um todo”, expõe Carine.

É preciso unir forças

O velho argumento: “não temos negros qualificados para posições estratégicas” caiu por terra. Segundo estudo do IBGE, o número desse público com ensino superior triplicou nos últimos dez anos. Por isso, principalmente diante do cenário atual, é essencial para reforçar nossa Im(h)u(ma)nidade.

Afinal, o contágio despertou a consciência da importância da cadeia de valor e qual o nosso protagonismo como agentes da mudança. Todavia, ainda estamos lidando com a realidade sem alterar a perspectiva. É preciso mudar isso já!

Portanto, quebre barreiras! Assim como o incentivo às vacinas, lutemos também contra os outros males da sociedade. Acompanhe nosso blog e as redes sociais, pois publicamos conteúdos diariamente e temos opiniões de diferentes especialistas. Conte com o Nube!

Veja também os programas "Conexão Ilimitada!, da TV Nube: inovação é a melhor vacina contra a crise? e TV Nube: os benefícios da diversidade para sua empresa.

Sua empresa é diversa?

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe