A liderança tem papel fundamental para a efetividade das ações definidas pela empresas, focando em treinamentos e transformações. De acordo com a pesquisa encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), 90% das companhias consultadas fizeram mudanças em relação aos funcionários e 75% aprimoraram a gestão durante a crise do Covid-19. Por isso, é uma função tão importante e está relacionada tanto à capacidade de fazer e entregar resultados sustentáveis, quanto a meta-competências relacionadas a “ser”. Quer saber mais sobre o tema? Continue lendo a matéria!

Diante da nova realidade imposta, algumas aptidões serão decisivas para as lideranças. Logo, dirigentes de várias organizações compartilham dicas de habilidades-chave para o sucesso daqui para frente. Veja:

Mantenha a equipe unida

Para o CEO da Área Central, Jonatan da Costa, é essencial manter a proximidade, independentemente da modelo, seja home office ou presencial. “Ações internas para engajamento do time fazem a diferença, pois por meio delas conseguimos nos unir, conhecer melhor os colaboradores e mostrar a preocupação com o bem-estar de todos”, explica.

Segundo ele, o cuidado com as pessoas faz a marca ser reconhecida como é. “Em nossa jornada, construímos uma cultura de pessoas para pessoas, um ambiente inovador, com transparência dos processos, abertura para todos terem voz e se sentirem produtivos e evoluídos”, finaliza Costa.

Crie sempre novas metas e estratégias

Ninguém estava esperando, nem preparado para lidar com a pandemia. Com isso, os “cabeças” das instituições precisaram rever as estratégias e o planejamento. Bem como, as metas também necessitaram ser ajustadas. “É fundamental estar de olho no mercado e no cliente, pois eles ditam as regras do negócio”, compartilha o CEO da startup Open Banking Transfeera, Guilherme Verdasca.

Ouça seus colaboradores

Ouvir a equipe antes de tomar decisões é importante para qualquer companhia e, além disso, mantém um bom clima organizacional. Com base nisso, escutar os funcionários se tornou ainda mais decisivo, como definir a volta ou não para o escritório, por exemplo. Na Effecti, startup do Rio do Sul (SC), foram realizadas algumas pesquisas internas para entender como os indivíduos estavam se sentindo nesse momento. “Com base nos resultados, deixamos como opcional o retorno, sempre respeitando uma quantidade máxima de ocupação no escritório. A tendência é adotarmos um modelo híbrido, pois muitos cooperadores relataram estarem mais felizes trabalhando de casa e a produtividade até aumentou em alguns casos”, explica Fernando Salla, CEO da Effecti.

Assim, a palavra-chave é engajamento. Para manter isso, é importante conhecer as funções existentes na companhia, do estagiário ao CEO. Logo, explique a importância das tarefas de cada membro. Com isso, sabendo quem é o responsável por cada demanda, certamente, poupa-se tempo e aumenta-se o rendimento.

Portanto, considere todos os stakeholders. Para definir algo, entenda as políticas internas, construa um diálogo consistente e confie no seu staff. Essas são algumas atitudes esperadas dos gestores, principalmente, diante de momentos instáveis. Não se esqueça: todos estão no mesmo barco.

Por isso, a empatia tem lugar de destaque na Gestão de Pessoas e se torna uma das habilidades mais importantes para as organizações do século XXI. Acompanhe nosso blog e as redes sociais, pois publicamos conteúdos diariamente e temos opiniões de diferentes especialistas. Como você tem cuidado da sua equipe? 

 

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe