Nos últimos anos, as empresas passaram a investir em diferentes e inovadoras ferramentas para entregar melhores condições aos colaboradores, engajá-los de forma mais ativa e ainda oferecer um ambiente produtivo. Uma das soluções adotadas pelas companhias é a gamificação - aplicação de elementos utilizados em jogos, visando chamar a atenção e ensinar novos conceitos.

Confira os benefícios

Boa parte das pessoas confunde essa estratégia com a prática de brincar por entretenimento. Isso faz parte da dinâmica, mas os impactos vão muito além do lado lúdico, contribuindo também para o aprendizado, desenvolvimento de novas habilidades e intensificação do comprometimento com a organização.

Segundo pesquisa realizada pela consultoria Research and Markets, esse conceito amplia os níveis de produtividade dos times em 90%, além de aumentar em 86% a conscientização sobre as metas do grupo. Para elucidar um pouco mais sobre isso, listamos alguns mitos e verdades sobre o tema. Veja:

infográfico-26-10

Não há real aprendizado com a gamificação
Mito! “Ela vem como uma camada a mais para tornar o processo mais persuasivo, engajante e agradável. Na realidade, percebemos uma maior fixação dos conteúdos e facilidade na jornada de aprendizado e resulta em muitos ganhos práticos na rotina de trabalho das equipes”, analisa o CEO e fundador do Qranio, Samir Iásbeck.

Melhora a capacidade de raciocínio lógico dos colaboradores
Verdade! De acordo com ele, uma das principais atribuições é a melhora no raciocínio lógico e isso influencia diretamente na capacidade de organização, execução de planos e projetos. “Há uma relação de causa e efeito, pois dependendo do elemento utilizado, os cooperadores poderão ter conhecimentos muito mais fluidos”, diz.

Só é efetiva com o público mais jovem
Mito! O termo é relativamente recente, mas o ato por si só já existe há muitos anos e não é ligado somente ao público mais jovem. “Só precisa ser analisado qual elemento será mais atrativo para cada faixa etária. Uma das características da ludificação é ser flexível e permitir a adaptação a qualquer idade e finalidade. Por isso, não há nenhum empecilho para diminuir o sucesso da aplicação”, revela Iásbeck.

Ajuda a engajar mais a equipe
Verdade! Outro ponto vantajoso é o fortalecimento do envolvimento dos funcionários. “Dentre outras experiências, os jogos têm dois pontos muito significativos: competição e colaboração. Eles já possuem naturalmente essa tendência de despertar o engajamento das pessoas e dependendo da forma como forem utilizados, podem ajudar na formação de equipes, integração do time e para descobrir novos talentos e lideranças”, finaliza o CEO da Qranio.

Segundo a head de marketing e comunicação estratégica da Keyrus LATAM, Marília Sforcin, a implementação desse tipo de programa não é simples no início, por experiência própria. “As pessoas perguntavam quais eram as metas, como fazer, como seriam medidos, quem iria gerenciar o time. Após seis meses, pudemos constatar a incorporação da proposta”, pontua a executiva.

A estratégia na Keyrus alcançou importantes resultados para a gestão de pessoas em 2020: redução de 15% do turnover, queda de 33% em custo de improdutividade, por consultores desalocados e aumento de 40% em treinamentos. Além, é claro, de promover o envolvimento e estimular o desenvolvimento de novas iniciativas na área de Recursos Humanos (RH) da companhia.

Acompanhe nosso blog e as redes sociais, pois publicamos conteúdos diariamente e temos opiniões de diferentes especialistas. Dessa forma, você se destaca no universo corporativo. Conte com o Nube!

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe