Em um cenário ainda incerto na economia e na sociedade de maneira geral, a oferta de vagas também é impactada. Assim, mesmo quem se graduou pode enfrentar dificuldades para conseguir uma oportunidade de trabalho. Sendo assim, como se destacar entre a concorrência com qualidades além do diploma? Entenda!

Cenários desafiadores

Segundo Priscila Araújo, especialista de RH, o mundo está vivendo, hoje, uma pandemia responsável por afetar diretamente o mercado de trabalho e, portanto, os desafios são ainda maiores. Além disso, é preciso levar em consideração, a alta taxa de desemprego de 14,7% no primeiro trimestre de 2021, segundo o IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Assim, de acordo com Priscila, diante de um cenário com tantos profissionais em busca de vagas, é essencial conseguir demonstrar suas habilidades emocionais. “Para você chegar até elas, é muito importante você ter o autoconhecimento para poder trabalhar isso todos os dias”, explica.

A carreira é uma responsabilidade individual

É relevante ter como noção o fato de como a carreira é uma construção e obrigação individual. “É sua responsabilidade trilhar ao qual você quer percorrer, saber aonde quer chegar e não depositar nenhum tipo de frustração no recrutador, nas empresas ou em qualquer outra pessoa”.

O Nube realizou a mais nova Pesquisa de Empregabilidade de Recém-Formados, baseada em quem pegou o diploma entre 2019 e 2020. O objetivo do estudo foi justamente analisar como o mundo empresarial está recebendo os profissionais formados nos últimos anos e, assim, ter uma percepção ampla sobre a situação atual.

Como enfrentar estatísticas desfavoráveis?

Dos mais de 8,4 mil participantes, apenas 14,8% conseguiram inserção em suas respectivas áreas em menos de 3 meses. Outros 52% estão desempregados há mais de um ano e dos 43% contratados, apenas 19,93% estão executando atividades pertinentes às suas profissões

De acordo com Rogério Bragherolli, economista especialista em capital humano e empregabilidade, como especialista no tema, a economia brasileira está se recuperando a passos lentos. “Tudo vai depender do sucesso da vacina e da redução dos casos de Covid-19”, explica.

Atitudes internas para enfrentar a crise

Além disso, ainda conforme o especialista, o Governo também precisa resolver alguns aspectos como a reforma administrativa e a tributária. “Tudo isso pode alavancar a geração de empregos”, pondera. Entretanto, cada indivíduo pode tomar algumas atitudes para lidar com o cenário.

A primeira delas é a resiliência. “Fazer mais com menos, ver sempre o lado positivo e trabalhar de maneira proativa. A segunda é a flexibilidade. Trabalhar em horários alternados, atuar em uma função diferente da sua. Não é vergonha nenhuma você se formar como administrador e exercer a posição de nível médio, é um começo, a maneira de você se expor e mostrar seu potencial”, completa Bragherolli.

Quem quer enfrentar as adversidades

Mateus Freitas da Silva, se formou em gestão de empresas ao final de 2020, mas é um dos milhões de brasileiros desempregados. Para superar a crise e conquistar uma vaga, ele já tem alguns planos em mente. “Nesses últimos seis meses, busquei cursos gratuitos em plataformas on-line, fiz tecnólogo e estou estudando em inglês”, conta.

Portanto, o preparo, em qualquer circunstância, seja ela favorável ou não, é o preparo. A situação é desafiadora, mas o desânimo não pode tomar conta de nossas vidas. Agora, a meta é reaquecer a economia, vacinar a população e recuperar as energias. Com isso, será possível restaurar o Brasil com força total.

Como se destacar no mercado de trabalho?

Compartilhe