Medicina é a profissão dos sonhos de muitas pessoas. O médico trabalha com a manutenção e a restauração da saúde. A palavra derivada do latim ars medicina (fon. árs mêditina), significa a arte da cura. O conceito, em sentido amplo, refere-se à prevenção e tratamento das doenças humanas a partir de técnicas e abordagens para manter o bem-estar físico, mental, psicológico e social dos seres humanos.

O perfil do médico

No geral, o perfil de quem se interessa pela área são de pessoas curiosas e interessadas por ciências da natureza. O aluno deve ter gosto pelos estudos, equilíbrio emocional, muito foco, determinação, sensibilidade para questões sociais e interesse em ajudar e amparar pessoas. A medicina é um mundo! Existe espaço para quem tem ou não facilidade em se comunicar, por exemplo, pois as possibilidades são diversas.

Estudos e especialização

A trajetória acadêmica tem em média seis anos de duração e possui um currículo exigente. O período é integral e por ser uma área em constante atualização, também é necessário reservar espaço na sua agenda apertada para participar de congressos e atividades extras. Algumas instituições de ensino oferecem disciplinas práticas já no início da formação. Contudo, o graduando começa a lidar com pacientes só a partir do quarto ou quinto semestre.

É uma área dinâmica, bem remunerada, com novas descobertas e desafios. Nos dois primeiros anos, o estudante tem matérias básicas, como anatomia, bioquímica, fisiologia e patologia. Outras disciplinas, incluem: Genética e Biologia Molecular, Urgência e Emergência, Cirurgia, etc.

O curso básico forma o Clínico Geral e os alunos vivenciam atendimento nas UBSs, ambulatórios, hospitais, centros cirúrgicos, prontos-socorros e UTIs. Depois de formado, os dois anos de residência médica são para quem quiser obter uma especialização. São 53 especialidades médicas reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). Entre elas, podemos encontrar: cirurgião, cardiologista, dermatologista, pediatra, anestesista e neurologista.

Mercado de trabalho

Para atuar na área, o profissional deve antes ser registrado no Conselho Regional de Medicina. Embora o mercado mude de acordo com a região, é a carreira com a maior remuneração e porcentagem de ocupação. Segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), a facilidade de encontrar um emprego, é expressa pela taxa de ocupação de 97% dos médicos formados, é a maior entre todas as carreiras. Sempre há vagas para esses profissionais, principalmente em regiões afastadas de grandes metrópoles como São Paulo. 

Quem finalizou a grade de estudos pode procurar emprego no setor privado ou realizar concursos para atuar em serviços públicos. Seu salário dependerá do ambiente de trabalho, pois o preço cobrado por médicos em consultórios possui algumas variáveis. Apesar não haver um salário mínimo formal para médicos, a Federação Nacional dos Médicos (Fenam), recomenda um salário de R$ 14.131 para uma jornada de 20 horas semanais.

De acordo com o Sine (Site Nacional de Empregos), um médico inicia sua carreira ganhando entre R$ 4.820 e R$ 8.147. Já no meio dela, a remuneração média passa a ser entre R$ 11.769 e R$ 19.891. Apesar disso, há profissionais ganhando mais por cobrarem de acordo com seu conhecimento e experiência. Nas cidades do interior, há postos de saúde com salários de cerca de R$ 20 mil.

É muito importante se atentar para garantir espaço no mercado, o profissional da área da saúde deve estar sempre atualizado e investindo em ações para aumentar a visibilidade de sua clínica ou consultório. Portanto, mantendo uma boa estratégia de marketing, excelente atendimento e relacionamento com o paciente.

Então, essa profissão tem tudo a ver com você? Siga em frente e boa sorte! Conte com o Nube para o seu crescimento e lembre-se de refletir bastante antes de fazer a sua escolha. Acompanhe a TV Nube para mais dicas!

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe e nos conte sua opinião! Assista o Carreira de A a Z para conhecer um pouco mais sobre o curso de Medicina.

Compartilhe