Deixar o chefe ou um recrutador frustrado é, sem dúvida, um tiro no pé. Mesmo se a oportunidade profissional em questão não for das mais atraentes, irritar o responsável pelo processo deixará o seu currículo longe de futuras seleções. A TV Nube separou atitudes indevidas em uma entrevista e ao longo da trajetória profissional. Reflita e indique para os amigos.

“Identificar traços de desonestidade em um candidato é um dos aspectos mais frustrantes para o selecionador”, afirma Alvaro Fernando, escritor e palestrante. Colocar competências a mais no currículo, por exemplo, apenas com o objetivo de fisgar o recrutador se voltará contra você na etapa de entrevistas. ”A verdade é o aspecto mais valorizado pelas empresas e qualquer deslize nesse campo é fatal”.

Na mesma linha, o especialista complementa: “um dado muito falsificado é o nível de idiomas. Muitos dizem ser fluentes em inglês, francês e espanhol inclusive durante a apresentação, mas no momento do teste, não desenvolvem a questão”. Outro exemplo são cursos superiores: “alguns nem estão matriculados e no momento da contratação, não entregam o comprovante de escolaridade”.

Lembre-se: atitudes assim denotam falta de transparência. Falar a verdade é a melhor opção! Além disso, mentir no currículo é um ato de desonestidade! Existe sempre o perfil certo para a vaga certa. Não desanime! Seja leal consigo e com os demais e poupe o tempo de ambos durante uma dinâmica. Desejamos sucesso em sua trajetória!

Leia mais:

Teste: você sabe se controlar?

Tenha profissionalismo!

Compartilhe