Não há um tempo certo para conseguir uma vaga, mas existem épocas mais favoráveis para isso, como a 2ª Temporada de Estágios. Segundo levantamento do Nube - Núcleo Brasileiro de Estágios, nos meses de agosto e setembro serão abertas 23 mil oportunidades para estudantes de todo o Brasil. Com isso, observamos um aumento de 50,3% em relação ao mesmo período de 2020 - ano marcado pelo caos trazido pela pandemia.

Essa temporada é conhecida pelo grande leque de posições injetadas no mercado de estágios. Isso porque muitos contratos são encerrados e pessoas efetivadas, ou seja, é uma fase de renovação nas entidades. Dessa forma, cerca de 40% a 60% dos estagiários permanecem nos quadros da corporação com a carteira assinada e outros saem em busca de novas empreitadas.

Para o presidente do Nube, Seme Arone Junior, o pior já passou, graças ao progresso da vacinação. “Ainda estamos abaixo do montante de 2019 (24,5 mil), mas, levando em consideração a instabilidade generalizada de 2020, já podemos suspirar. Muitas empresas têm ido na contramão do vírus e potencializado suas equipes e produções. Logo, temos perspectivas de otimização desse cenário, pois vemos a evolução a cada mês”, analisa.

Para os alunos do nível superior, serão aproximadamente 19,2 mil chances, um acréscimo de 50% em relação a 2020. Já para quem está no ensino médio, serão 3,8 mil, um reforço de 52%. “São possibilidades únicas para quem se manteve fiel aos estudos até aqui. As companhias têm valorizado o esforço desses estudantes em ensino a distância (EAD). Inclusive, muitas das colocações são disponibilizadas para home office, seja temporário ou híbrido no futuro”, complementa o presidente.

Assim, com a mesma esperança das corporações, os jovens precisam continuar se capacitando. “Diante da crise do coronavírus, o mundo mudou, logo, as habilidades solicitadas pelas organizações também passaram por transformações. Os recrutadores têm olhado bastante para as soft skills - a inteligência emocional, a capacidade de adaptação, autoconhecimento, entre outras. Ou seja, características importantes para a vida e para carreira”, explica Arone Junior.

Além disso, quem está cumprindo o isolamento social da Covid-19 em casa, geralmente tem mais tempo de “descansar” e procurar por uma posição de estágio. Dessa forma, quem usufrui dessa fase estrategicamente, tem chance de se sobressair em meio à concorrência. “As faltas se alargam e quem prioriza o processo seletivo ganha visibilidade e, consequentemente, amplia suas probabilidades”, expõe o presidente.

Uma dica final, muitas seleções estão acontecendo de forma on-line, inclusive a dinâmica. Dessa forma, tente ficar pronto cerca de 15 minutos antes. Avalie a iluminação do seu ambiente, o fundo do local onde escolheu – cuidado para não aparecer a desorganização desse espaço. Cheque a altura da mesa para você conseguir olhar de frente para o selecionador. Centralize a imagem com parte do seu corpo como se fosse uma foto 3x4. Por fim, caso exista algum barulho, use o fone com o microfone do celular para garantir um som nítido e limpo da sua fala. Quem deve se destacar é você, não o som do ambiente. Claro, mesmo sendo por vídeo, a apresentação pessoal é fundamental!

Portanto, para quem está aspirando por uma entrevista, a orientação é aproveitar o tempo para fazer cursos extracurriculares e, principalmente, investir no português. “Falar corretamente, sem gírias ou gerundismo e ter uma boa escrita são pontos fundamentais. Ademais, treine a apresentação pessoal e tenha em mente suas qualidades e desafios. Sobretudo, conte com o Nube”, finaliza Arone Junior. Fique calmo e boa sorte!

Fonte: Seme Arone Junior, presidente do Nube - Núcleo Brasileiro de Estágios

Serviço: 23 mil novas vagas impulsionam o mercado brasileiro de estágios entre agosto e setembro

Compartilhe