Rio - Em meio à crise econômica provocada pela covid-19, ingressar ou retornar ao mercado de trabalho têm sido uma tarefa árdua para os jovens. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de desocupação de pessoas entre 18 e 24 anos ficou em 29,8% no 4º trimestre de 2020. O DIA conversou com especialistas que deram orientações para conseguir um novo emprego.

Cláudio Riccioppo, especialista em Gestão de Carreira e CEO da Employability, pondera que os jovens precisam estar atentos as alterações no mercado de trabalho. Segundo ele, mudanças que eram esperadas por especialistas para os próximos cinco anos "já são verdades absolutas no universo profissional", em razão da pandemia de covid-19 e da necessidade de adaptação aos meios digitais.

“Uma das alterações e talvez a principal é a utilização das ferramentas digitais como elementos básicos para qualquer atividade econômica. Daqui a muito pouco tempo, optar por não estar no universo digital não será uma opção, ou você estará neste jogo ou não estará em lugar algum”, indica Riccioppo.

Na avaliação do especialista, quem está à procura de um primeiro emprego precisa aprender a se apresentar como solução para algum problema que a empresa possua. "Se você não possui experiências que descrevem resultados obtidos e atividades desenvolvidas em nenhuma empresa, terá que ser criativo e trazer para o universo corporativo, habilidades e competências adquiridas em sua vida", pontua Riccioppo.

"Por exemplo, vamos supor que você ajudou a sua igreja em uma campanha de alimentos para os mais necessitados. Nesta missão, sua função era cuidar que os alimentos chegassem até a casa das pessoas. Se isso aconteceu, você já possui uma visão de administração de armazenamento e controle, além de distribuição. Isso já é o início para conquistar uma vaga de estagiário ou auxiliar de logística", analisa.

"Teve participação na empresa júnior da faculdade? Qual foi sua função lá?", questiona. Ele avalia ainda que o candidato deve descrever os conhecimentos adquiridos de forma semelhante aos interesses de um recrutador: "Avalie como as vagas de emprego as quais você possui interesse são anunciadas, o que se busca dos candidatos e a partir daí prepare seu material curricular".

Apesar do jovem estar iniciando a carreira profissional, Antônio Ornellas, especialista em Gestão de Carreira, reforça a importância do networking entre parentes, amigos, colegas e ex-colegas de faculdade. A rede de contatos profissional pode possibilitar indicações para vagas. Por meio da troca de conhecimentos, o trabalhador também pode adquirir experiências.

"Faça um minicurrículo e treine muito a resposta a esta pergunta: 'Fale sobre você!' Como você resume sua formação, as escolas que estudou, as disciplinas que brilhou e as línguas que já têm certa facilidade? Contar sobre você com energia e entusiasmo já faz parte de uma 'venda'", ensina. Desta forma, depois de investir no autoconhecimento, o jovem poderá mostrar suas habilidades.

Falta de feedback

Fora a expectativa e a ansiedade para saber se conseguiu a oportunidade esperada, os candidatos ainda convivem com a falta de feedback das empresas após o processo seletivo. À procura do primeiro estágio, o estudante de Engenharia de Materiais Vitor Corrêa, de 21 anos, reclama que a maioria dos recrutadores não envia uma resposta sobre o resultado das entrevistas.

Dar um retorno sobre o processo "é o mínimo", de acordo com o estudante. "O ideal seria avisar por que você não conseguiu a vaga e qual foi o critério que te eliminou. Porque muitas vezes você está concorrendo a várias oportunidades e não consegue nenhuma. Então, você tenta modificar alguma coisa do seu perfil e, na verdade, nem precisava alterar", afirma.

'Pense fora da caixinha'

Para o especialista em carreiras, Leandro Rampazzo, CEO da Godiva Propaganda, as pessoas têm que pensar fora da caixinha. "A pandemia mudou a forma de contratação de muitos locais, mudou as atividades exercidas na área. E, os jovens têm que se atentar para conseguir as oportunidades. Um bom início, para isso, é seguir as redes sociais das empresas em que se quer atuar, por exemplo", explica Rampazzo.
Postergar o estágio? De acordo com o especialista, o ideal é buscar vagas desde o primeiro semestre da graduação. "Pesquise sobre o que a maioria das empresas está exigindo de um candidato. Não fique preso a um nicho ou a uma empresa. Hoje, as pequenas e médias empresas oferecem muitas oportunidades e você pode crescer conforme ela cresce".

Ainda segundo Rampazzo, as redes sociais Linkedin, CIEE, Nube e até mesmo o Facebook podem fazer com que o estudante consiga um estágio. "Entre em grupo de discussões da sua área de atuação, busque manter-se informado e se possível faça freelancer. Mantenha-se em contato com profissionais da área. Recentemente, o Linkedin desenvolveu um filtro de perfil para quem está buscando um emprego, utilize sem medo as redes sociais", aponta.

Capacitação profissional

Rampazzo aconselha que os candidatos busquem atualização por meio de cursos na área desejada. "Entre nas vagas e veja o que é necessário para estar naquela área. Um curso? Um conhecimento? Mostre que você está atualizado com o que as empresas estão buscando. Além disso, se sua área permitir trabalhos freelancer, monte um portfólio com seus trabalhos", sugere.

Os cursos do Senac RJ (confira abaixo) seguem o modelo de Aulas em Tempo Real, que acontecem em um ambiente virtual de aprendizagem, com múltiplos recursos de interação. As aulas são conduzidas pelo docente responsável nos dias e horários programados, com a mesma carga horária do modelo presencial. Mais informações sobre os cursos, incluindo valores e link de inscrição podem ser conferidas no site http://www.rj.senac.br.

Marketing Digital

Curso voltado para quem deseja aprender a criar um plano de Marketing Digital, utilizar as principais ferramentas digitais e criar campanhas para a divulgação de produtos e serviços.
Início: 13 de abril
Dias e horários: Terça e quinta, das 18h às 22h.
Início: 8 de maio
Dias e horários: Sábado, das 9h às 13h.

Programador Web

Curso que prepara o aluno a desenvolver sites e sistemas para web, especificando, testando, realizando manutenção e documentando suas funcionalidades de acordo com as melhores práticas de mercado.
Início: 24 de maio
Dias e horários: Segunda, quarta e sexta, das 18h às 22h.

Informática Básica

O curso proporciona aos estudantes operar editores de textos, planilhas, apresentações, internet e webmail.
Início: 13 de abril
Dias e horários: Terça e quinta, das 18h às 22h.

Excel

O curso possibilita aos participantes o conhecimento necessário para elaborar planilhas com recursos de formatação e cálculos, conseguindo processar um considerável volume de dados.
Início: 10 de abril
Dias e horários: Sábado, das 9h às 13h.
Início: 27 de abril
Dias e horários: Terça e quinta, das 18h às 22h.

Excel Avançado

Este curso tem como objetivo permitir que os participantes adquiram os conhecimentos necessários para elaborar planilhas dinâmicas com formatação e cálculos utilizando recursos avançados, podendo gravar macros e processar um considerável volume de dados.
Início: 8 de maio
Dias e horários: Sábado, das 9h às 13h.
Início: 25 de maio
Dias e horários: Terça e quinta, das 18h às 22h.

Compartilhe