O aumento da distância entre funcionários e empregadores após a pandemia trouxe impacto em todos os setores. De acordo com uma nova pesquisa da Kaspersky, os colaboradores brasileiros precisam de menos apoio dos superiores ao trabalhar remotamente, mas necessitam suporte emocional ou psicológico. Continue lendo e entenda melhor sobre o assunto!

O bem estar intelectual do time é essencial para o sucesso da empresa

Segundo a pesquisa, um dado importante está relacionado com o impacto da Covid-19 na ansiedade em relação à própria saúde e a das pessoas próximas. Nesse sentido, o apoio emocional ou psicológico se mostrou necessário quase na mesma proporção para todas as empresas: 28% nas micro e médias e 34% nas grandes.

Para o gerente-executivo da Kaspersky no Brasil, Roberto Rebouças, as mudanças geradas pelo isolamento social ainda nos afetarão por muito tempo e de diferentes formas. “Por isso é importante realizar um acompanhamento constante e avaliar todas as áreas do negócio. Logo no início, muito foi dito sobre o uso de equipamentos pessoais no ambiente de trabalho e os problemas de segurança. Já no segundo semestre, destacamos a migração do cibercrime para ataques de ransomware direcionados. Agora, destacamos um aspecto mais humano: as necessidades sociais e emocionais do time. Todas as áreas são importantes para manter a produtividade e a motivação dos trabalhadores”, analisa.

Então, para melhorar as condições de serviço a Kaspersky recomendou alguns pontos de atenção. Veja:

• Comunicação aberta e honesta com os cooperadores - organize sessões como “podem perguntar qualquer coisa” com a presença da alta administração da instituição.

• Realize pesquisas - assim é possível entender o estado emocional dos internos, suas demandas e se estão seguros em relação aos processos empresariais.

• Ajude os funcionários a administrar a sobrecarga de informações - mantenha suas equipes informadas dos fatos e da situação atual e também sobre como ficar seguras e saudáveis.

• Crie canais de comunicação - tenha disposição um meio de relacionamento para todos conseguirem resolver problemas facilmente.

De acordo com a psicóloga e especialista em psicologia organizacional e do trabalho, Thaís Alves, as entidades com atenção primária à saúde mental terão vantagem competitiva no mercado. “A ajuda especializada pode fazer toda a diferença. Custa menos investir no bem-estar intelectual ao invés de ignorar o problema. Isso também reduz gastos com o afastamento ou relacionados à baixa produtividade”, explica.

Promova hábitos saudáveis

Além do acompanhamento profissional, incentivar pequenas mudanças de hábitos podem contribuir para deixar a mente em ordem. “Costumes saudáveis como dormir bem, praticar exercícios físicos e boa alimentação são fundamentais. Além disso, é preciso trabalhar somente o tempo necessário, sem extrapolar os próprios limites, sabendo a hora de realizar uma pausa e sem se cobrar por isso”, finaliza Thaís.

Embora o tema seja ainda um desafio, cada vez mais os gestores devem atentar-se para a potencialidade de conhecer em profundidade os dados de saúde mental. Afinal, é possível obter ganhos tanto na qualidade de vida dos contratados, quanto financeiros, seja por meio de predição, análises de propensões ou de informações históricas. Ou seja, quando os elementos relevantes sobre vitalidade são coletados e consolidados pode-se utilizar isso estrategicamente, a favor das pessoas e da organização.

Portanto, invista nas pessoas! Para isso, continue acompanhando nosso blog e as redes sociais, pois publicamos conteúdos diariamente e contamos com a participação de diferentes especialistas. Conte com o Nube! Veja também a matéria do programa “Conexão Ilimitada” da TV Nube: a saúde mental no pós pandemia.

Sua empresa se preocupa com o seu bem-estar intelectual?

Compartilhe