A pandemia do Covid-19 colocou a sociedade em estado de alerta e impactou nos resultados da economia. Enquanto alguns setores tiveram alta na demanda, muitos sofreram perda de faturamento. O mercado de estágios foi bastante afetado e registrou queda nas vagas. Por isso, o Nube - Núcleo Brasileiro de Estágios, analisou o cenário dos cinco meses de crise de 2020 em relação a 2019. Foi observada uma melhora gradativa ao longo do período. 

Em abril, o número de oportunidades foi 8% da quantidade oferecida no ano anterior. Com a urgência do distanciamento, muitas empresas tiveram as operações paralisadas e precisaram cancelar ou suspender os processos seletivos. “Parte das corporações voltadas para os serviços de primeira necessidade e com possibilidade de atuar em home office seguiram contratando. Contudo, uma fatia expressiva das chances vem da área de serviços e essa foi intensamente afetada, reduzindo bastante a oferta de estágio”, explica Seme Arone Junior, presidente do Nube. Além disso, um ponto relevante nesse período foi a possibilidade de atuação remota para os alunos. “A Lei do Estágio não apresenta nenhuma restrição quanto a esse formato. A prática também ganhou maior respaldo jurídico em março, com a MP 927/2020, a qual previu o teletrabalho para os estagiários e aprendizes”, salienta. 

Já em maio, o valor foi de 17%. “Muitos negócios conseguiram se estruturar com sucesso a distância e alinhar as estratégias para o momento de quarentena. Assim, alguns recrutamentos suspensos puderam ser retomados, revigorando discretamente o panorama”, destaca o presidente. Além disso, o modelo de contratação remota tornou-se mais frequente. “Processos desse tipo já eram uma realidade para nós e as organizações parceiras. Eles utilizam nossa tecnologia para realizar vídeo entrevista, além da opção de outras ferramentas on-line”, afirma Arone Junior. 

Abertura de vagas de estágio em 2020 comparado com 2019

Abril

8%

Maio

17%

Junho

35%

Julho

55%

Agosto

65%

Setembro (previsão)

70%

 

Em junho, ficou em 35%, comparado com o mesmo mês de 2019. “Surgiram novas ideias de negócios para atender às necessidades em meio à turbulência. O setor de tecnologia, por exemplo, teve sua demanda aumentada exponencialmente, criando, assim, chances para os estudantes”, continua o presidente. Posteriormente, em julho, o dado foi de 55%. “Com a confiança no estágio a distância, reforçada pela Nota Técnica 11/2020 do Ministério Público do Trabalho, a realidade para os candidatos teve outra recomposição”, ressalta o especialista.  

Por fim, em agosto foi registrada uma abertura de 65%. Para setembro, mais uma boa notícia! A expecativa é de serem abertas 70% das vagas em relação ao mesmo período de 2019. “Notamos a recuperação do mercado neste momento, apesar do percentual ainda estar longe da previsão para o ano feita antes da pandemia”, pontua. A dica para os estudantes é manter uma busca ativa a fim de não perderem as chances existentes, bem como se preparar para quando as coisas se restabelecerem. “Nossa esperança é o desenvolvimento e aplicação da vacina no país. Só assim haverá a segurança necessária para viver o ‘novo normal’”, finaliza o presidente. 

 Fonte: Seme Arone Junior, presidente do Nube. 

www.nube.com.br

 

Compartilhe