Recesso de janeiro, é época para curtir as férias escolares e deixar de lado as preocupações com os estudos e o futuro profissional? Aos que procuram oportunidade de estágio, não é bem assim. Este período é o mais indicado, uma vez que boa parte dos contratos é renovada na transição de um ano para outro e, consequentemente, surgem milhares de vagas para alunos dos ensinos médio, técnico e superior.

O Instituto Via de Acesso, por exemplo, projeta um crescimento entre 6 e 8%. “Janeiro tem confirmado essas expectativas”, diz o superintendente da instituição, Ruy Leal. Se as vagas estão abertas, cabe ao estudante apresentar diferenciais que permitam o seu êxito nas etapas de processo seletivo e, posteriormente, nas organizações. “As empresas querem estagiários inovadores e com brilho nos olhos”, acrescenta Leal.

Estudo do Núcleo Brasileiro de Estágios (NUBE) confirma essa retomada para os três primeiros meses do ano, considerados a Primeira Temporada de Estágios. Após uma queda de 10,1% em 2016 e uma pequena elevação de 3,2% em 2017, a expectativa é criar 35 mil novas vagas em 2018, um crescimento de 9,4% em relação ao ano passado.

Experiências

De olho neste cenário positivo e em uma experiência que possa confirmar as suas convicções sobre carreira é que a estudante do quarto ano de Engenharia Mecânica, Isabella Andrade Caponero, 21 anos, participou, na semana passada, de um processo seletivo para ingresso em uma grande empresa do setor de embalagens flexíveis. Esperançosa, ela aponta os caminhos para o possível êxito. “Estou sempre pronta a dar o melhor de mim, preocupada em aprender coisas novas”, diz.

Estudante do quarto ano de Engenharia Mecânica, Isabella Caponero, 21 anos, participou de um processo seletivo para ingressar numa grande empresa do setor de embalagens. (Foto: Claudinei Nascimento)

Para Isabella, o estágio será fundamental para dar início a uma carreira vitoriosa por possibilitar a ela colocar em prática todo o conhecimento adquirido na faculdade. E ela não quer parar. “Quero logo engatar uma pós-graduação ou uma MBA, para me aperfeiçoar profissionalmente”, afirma.

Se Isabella ainda busca oportunidade em sua área de atuação, Vinícius Vieira de Macedo Lima, 19 anos, estudante do terceiro ano de Jornalismo, começou o ano com motivos de sobra para comemorar. Ele conquistou uma vaga de estagiário no NUBE. Para tanto, passou por um processo seletivo rigoroso, no qual teve de superar cerca de 600 candidatos. O segredo. “Quando me proponho a fazer algo, me entrego de corpo e alma”, explica.

Vinícius Vieira de Macedo Lima, 19 anos, estudante do terceiro ano de Jornalismo, começou o ano contratado como estagiário no NUBE. (Foto: Claudinei Nascimento)

O estágio, na verdade, não é algo novo na carreira de Lima. Desde o primeiro ano de Jornalismo, ele tem convivido com experiências na área, mas percebe agora uma maior possibilidade de desenvolvimento. “Sou muito exigente comigo mesmo, quero melhorar sempre e aberto para receber feedback que me ajude a desenvolver as minhas capacidades.” Os pensamentos de Isabella e Lima estão bem alinhados ao que as companhias esperam dos jovens: talento, mas principalmente vontade de aprender.

Estágio: o gás que desperta

Já aTotal IP, empresa de tecnologia referenciada por entregar soluções para teleatendimento, tem como princípio manter estagiários em todas as áreas de atuação. “Eles não têm a experiência, mas vêm cheio de gás, vontade, garra e determinação”, diz o coordenador comercial Tiago Oliveira Sanches.

Para o diretor de Políticas de Empregabilidade do Ministério do Trabalho, Higino Brito Vieira, o estágio é fundamental para o estudante conhecer o ambiente organizacional. “Ele promove conhecimento e faz despertar para a importância das atribuições profissionais”, garante.

Compartilhe