O início do ano traz, para grande parte dos estudantes, a chance de descansar e viajar a lazer. Contudo, aproveita mesmo quem utiliza o tempo livre para se dedicar ao ingresso no mundo corporativo. De janeiro a março, ocorre a 1ª Temporada de Estágios, uma das épocas com mais chances de conquistar uma colocação. Somente nesse primeiro trimestre, a expectativa do Nube – Núcleo Brasileiro de Estágios, é de 32 mil novas oportunidades em todo o Brasil, um crescimento de 3,2%.

O número projeta um cenário otimista se comparado a 2016, quando ocorreu uma queda de 10,1%. Assim, em 2017, estima-se 5.600 vagas para o ensino médio e técnico (ascensão de 1,8%). Já para o nível superior, são 26.400 (elevação de 3,5%). “Os três primeiros meses trazem boas perspectivas pois, com o fim do ano, muitos contratos são encerrados. Os alunos se formam ou são efetivados e, dessa forma, há necessidade de preenchimento nas equipes. As organizações, então, abrem processos seletivos”, explica Carlos Henrique Mencaci, presidente do Nube.

Todavia, mesmo com a melhora nos índices, é preciso ficar atento, pois a recessão econômica ainda impacta o país. “Por isso, é essencial o candidato focar todas as suas forças nesse momento e se empenhar ao máximo para garantir seu espaço”, explica. Por ser um período de férias escolares, muitos se ausentam das seleções e, quem se mostra interessado, tem ainda mais chances. “Durante essa fase, as faltas nas dinâmicas chegam a 70%. Logo, com a alta das vagas e diminuição de concorrentes, certamente, fica mais fácil obter êxito”, ressalta o presidente.

As áreas responsáveis por mais contratações, separadas por nível, são:

Superior
1 - Administração (concentra 22,3% das oportunidades)
2 - Engenharia (14,9%)
3 - Comunicação Social (11,5%)
4 - Direito (9,1%)
5 - Pedagogia (7,5%)

Superior Tecnólogo
1 - Análise de Sistemas (18,8%)
2 - Recursos Humanos (16,6%)
3 - Marketing (10,4%)
4 - Logística (8,6%)
5 - Tecnologia da Informação (6%)

Médio Técnico
1 - Administração (33,1%)
2 - Informática (8,7%)
3 - Eletrônica (8,5%)
4 - Segurança do Trabalho (5,1%)
5 - Química (5,1%)

Compartilhe