Nos últimos anos, a tecnologia vem ganhando cada vez mais espaço no cotidiano da população. No mundo corporativo, essa prática é fundamental para aumentar a produtividade e diminuir gastos. Por isso, os profissionais da área de TI são bastante desejados no mercado. No entanto, mesmo com esse cenário, as empresas enfrentam dificuldades para montar seus times.

O cenário de TI no Brasil

Até 2024, o Brasil terá uma demanda de 420 mil especialistas nesse campo, mas formará somente 46 mil pessoas por ano com esse perfil, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom). Portanto, quem já está nesse meio pode se aproveitar para ter vantagem na busca por uma vaga de emprego ou estágio. Afinal, será valorizado por parte das corporações.

De acordo com a Pesquisa Nacional de Bolsa-Auxílio 2021, feita pelo Núcleo Brasileiro de Estágios - Nube, os cursos relacionados à informática estão entre os mais pagos em todos os níveis. No âmbito dos tecnólogos, Banco de Dados detém a melhor média de remuneração desde 2016. Segurança da Informação, Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Jogos Digitais também figuram no top 10.

Nas demais categorias de ensino, Ciências e Tecnologias, Ciência da Computação e Informática também estão entre os mais bem avaliados financeiramente. Ademais, outras formações também precisam dessa capacidade e, por isso, as oportunidades são amplas. “Com o ‘boom’ do trabalho e tarefas a distância, assim como o aumento da necessidade por novidades, as organizações buscarão novos talentos com o propósito de inovar o cenário. Com isso, o valor pago tende a subir”, comenta a gerente regional do Nube, Evelyn Viegas.

Para quem deseja se desenvolver e corresponder às expectativas dos recrutadores, é preciso estar atento às tendências e aplicações de momento. Segundo o relatório Agents of Transformation 2022, da AppDynamics, para 89% dos colaboradores no país as habilidades e qualidades essenciais para o sucesso evoluíram nos últimos quatro anos. Com isso, precisaram adaptar sua abordagem, aprender novas competências e implementar soluções para permanecer no jogo.

Nesse sentido, o documento ainda lista alguns pontos importantes para serem revistos pelos indivíduos com vontade de evoluir:

Seja orientado por resultados: para os líderes, não basta aplicar uma inovação, também é preciso ser capaz de monitorar, observar e vincular diretamente o desempenho aos resultados de negócios. Usar insights em tempo real para otimizar a experiência digital é fundamental.

Aprimore o pensamento crítico: é fundamental ser capaz de interpretar dados e identificar tendências. Isso significa encontrar maneiras de eliminar ruídos de informações provenientes de um ambiente de TI cada vez mais fragmentado e dinâmico.

Trabalhe em toda a organização: colabore com um conjunto mais amplo de partes interessadas, tanto dentro quanto fora da organização. Isso significa dedicar um tempo para envolver, entender e aprimorar as equipes em diferentes áreas da companhia. Ao mesmo tempo, estabelece relacionamentos próximos com parceiros e fornecedores confiáveis.

Seja proativo e ágil: essas características ajudarão a se preparar para futuras demandas.

Pense como um líder de negócios primeiro: assim, conseguirá moldar a estratégia com base em métricas em tempo real. A desconexão tradicional entre TI e os negócios está desaparecendo e, de fato, 92% dos entrevistados já possuem essa visão.

Além de estudar as partes técnicas, também é crucial saber uma segunda língua, principalmente inglês, para chamar a atenção. Boa parte do cotidiano de um colaborador dessa esfera envolve esse idioma e, cada vez mais, existem oportunidades para brasileiros trabalharem em instituições estrangeiras. Sendo assim, entender e saber se comunicar é imprescindível.

Ademais, quando o indivíduo demonstra vontade em aperfeiçoar e entregar valor, passa a ser visto de outra forma. “Os gestores não buscam alguém apenas com conhecimentos teóricos. Desejam quem quer pertencer àquela equipe e esteja disposto a aperfeiçoar sua carreira diariamente”, explica o EVP da Andela, Álvaro Oliveira.

Também é necessário destacar o nível de atualização em relação às novidades do mercado. Esse setor está em constante evolução e os envolvidos devem lidar com mudanças rápidas. “Quem acompanha essas alterações sempre será um destaque”, comenta Oliveira. Logo, o conceito de longlife learning ganha espaço e é levado em consideração pelas contratantes.

Como realizar uma transição para a área de tecnologia?

Com tantos pontos positivos, esse segmento acaba atraindo integrantes dos demais. Sendo assim, como realizar uma transição assertiva e ter sucesso? “Essa iniciativa exige recursos, networking e planejamento. Provavelmente você fará dezenas de entrevistas antes de dar certo, Demanda paciência e resiliência”, ressalta a co-fundadora do Conselheira 101, Lisiane Lemos. Alguns aspectos são determinantes e, por isso, a especialista traz algumas dicas para os interessados:

Leia, pesquise e estude sobre a nova carreira: um dos primeiros passos para mudar o rumo da sua trajetória é entender tudo sobre a futura atuação. Comece com leituras em sites, notícias ou livros, por exemplo. Invista em cursos gratuitos também para conhecer mais do assunto.

Faça um planejamento: só assim será possível se organizar, estabelecer metas e objetivos a curto, médio e longo prazo, além de direcionar recursos e energias. Você precisará direcionar parte da sua renda para novas especializações sem prejudicar o orçamento mensal.

Tenha calma e paciência: quando queremos mudar de carreira, a nossa maior vontade é migrar da noite para o dia. Porém, isso não acontece. “Não é fácil controlar a ansiedade, mas é essencial se respeitar e entender o processo. É como plantar uma semente, cuidar dela diariamente, até ela crescer, dar flores, depois frutos até chegar o tempo de colher. Aprender a ter calma, colocar um tijolo de cada vez e não se comparar, vai deixar a caminhada mais tranquila”, detalha Lisiane.

Aprenda a construir o seu networking: não deixe de construir e fortalecer seus contatos. Comunicar o seu objetivo e se mostrar aberta para dicas, parcerias, aprendizados, mentorias, entre outros, é importante e pode te abrir portas. “Conecte-se com pessoas experientes, peça dicas e acompanhe os debates atuais. Redes sociais como o LinkedIn são interessantes para ampliar o repertório e encontrar vagas”, aconselha a empresária.

Mantenha o currículo atualizado: seja intencional, ou seja, mostre sua determinação. Depois, comece a apresentar nos processos seletivos como as suas vivências anteriores podem ser aproveitadas.

Portanto, se prepare, aproveite o momento e pavimente uma história de sucesso e conquistas. Se você busca por uma oportunidade de estágio para dar o início nessa caminhada, acesse o nosso painel de vagas. Boa sorte!

Seja nosso seguidor no Twitter (@nubevagas) e veja notícias diárias de ações, vagas de estágio e aprendizagem, palestras e muito mais. Assista nossos vídeos de dicas no YouTube e participe da nossa página no Facebook. Agora estamos também no Instagram , Tiktok e no Linkedin. Esperamos você em nossas redes sociais!

O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de estagiários e aprendizes. Basta acessar o link www.nube.com.br/ead. Todos os serviços para o estudante são gratuitos. Já instalou nosso aplicativo "Nube Vagas" em seu celular? Com ele você será notificado a cada nova oportunidade. Disponível na Apple Store e Play Store.

Compartilhe