Não é novidade para ninguém o quanto a pandemia transformou o cotidiano corporativo. Por causa do isolamento social, profissionais e empresas do mundo todo precisaram adaptar seus processos às pressas. Segundo a Pesquisa Gestão de Pessoas na Crise Covid-19, realizada pelo Instituto de Administração (FIA), o home office foi adotado como estratégia por 46% das companhias, entre as grandes, o índice de funcionários atuando de casa chegou a 55%. Já um terço do total de entrevistados (33%) adotaram um sistema híbrido de trabalho. Porém, e agora? Como será o futuro dos negócios? 


- Trabalho distribuído:

Consoante à Cauhana Pinheiro, gerente responsável pela área de Gente da Pier, essa é uma predisposição muito reforçada ainda em tempos de isolamento social. “Como o próprio nome já especifica, consiste em um modelo espalhado no qual equipes e colaboradores podem e devem estar em lugares diferentes. Neste conceito, não importa, realmente, onde eles se encontram, mas sim a entrega feita e se ela atende às expectativas do desafio acordado entre empregador e empregado”, explica. 

Ou seja, algumas pessoas estarão na sede do escritório, enquanto outras atuarão em coworkings e também podem operar diretamente do domicílio. Independentemente de onde, o vital é ter um rendimento satisfatório. Para as instituições, significa contratar alguém de qualquer lugar do mundo. “O preparo da corporação é preciso, não apenas para oferecer infraestrutura tecnológica para o acesso remoto, mas para incentivar a integração dos times e manter os profissionais motivados”, pontua Cauhana. 

“O trabalho distribuído só funciona quando os funcionários têm o sentimento de engajamento e pertencimento e, para isso, alguns passos são necessários. Entre eles a comunicação”, continua a gerente. Logo, é necessário adequar procedimentos internos a fim de atender a todos. “O primeiro passo para isso é a informação transparente, consistente e regular. Ao invés de só nos dialogarmos por e-mail, utilizamos aplicativos capazes de gerar uma fluidez onde as pessoas fazem questão de comentar e participar”, exemplifica. 

Em suma, nessa categoria, a produtividade não depende, unicamente, de estar em um local determinado por oito horas consecutivas, ou seis horas por dia se você for um estagiário, nem mesmo de começar todos os dias no mesmo horário. “As companhias nas quais seus funcionários decidem onde e quando realizar suas atividades reduzem a rotatividade e diminuem os custos organizacionais”. Ou seja, é vantajoso para todos. 

- De home office para anywhere office

Também seguindo a linha do trabalho distribuído, temos o anywhere office. Neste sistema, os colaboradores podem realizar suas atividades de qualquer local, seja em casa, em bibliotecas, cafeterias, hotéis ou até mesmo no escritório. Na prática, o espaço físico vira uma questão secundária, o mais importante é uma satisfação por parte do trabalhador, ele precisa se sentir bem para executar suas atividades. 

Para conseguir pregar esse modelo, a corporação deve investir em boas ferramentas de interação digital e contar com uma logística em nuvem. “Traz mais flexibilidade para os profissionais, mas também maiores desafios de gestão e autogestão”, ressalta Mônica Camargo Tracanella, psicóloga especialista em desenvolvimento humano. 

- Expatriados digitais:

Após a expansão das oportunidades de teletrabalho, qualquer indivíduo em seu quarto consegue uma função em uma multinacional, por exemplo. “A mão de obra brasileira entrou no radar das empresas estrangeiras. Tudo isso diminui as fronteiras de atuação e aumenta nossas possibilidades, mas também deixa o mercado muito mais competitivo, evidenciando a necessidade de você se diferenciar e construir cada vez mais relevância em sua área”, salienta Mônica. 

Da mesma forma, se um estrangeiro vier para a nossa pátria com um cargo em uma instituição brasileira, ele não será um nômade digital, mas sim um expatriado, e deve ter visto de trabalho mesmo atuando remotamente. Na nação, a resolução 45/2021 traz tópicos nesse sentido, cobrando a declaração, e qualifica essas pessoas como "imigrante que, de forma remota e com a utilização de tecnologias da informação e de comunicação, seja capaz de executar no Brasil suas atividades laborais para empregador estrangeiro"

- Crescimento gradativo da economia GIG:

A economia GIG ou GIG Economy traz o crescimento do trabalho informal, seja por projetos, freelas ou “bicos”, como muitos costumam dizer. Segundo o dicionário de Cambridge, esse conceito traz um arranjo alternativo de emprego, no qual as pessoas são pagas separadamente, em vez de ter um empregador fixo. Ou seja, é um controle no qual os profissionais poderão se ocupar cada vez menos vinculados às entidades. 

“Costumamos dizer: é uma economia com menos empregos (formais) e mais empregabilidade (maiores oportunidade). Nesse cenário, conseguir se enxergar e se desenvolver como marca será fundamental para ampliar suas possibilidades”, destaca Mônica. Afinal, o marketing pessoal se tornou imprescindível para repassar uma imagem positiva. Inclusive, o Nube tem um curso gratuito para te auxiliar nesse sentido. Acesse aqui! 

- Profissional ou Carreira Slash:

Profissional Slash é um termo aplicado para quem exerce várias tarefas simultaneamente, operando de maneira híbrida e atuando com inúmeras vertentes. A concepção “Slash Career” foi criada pela escritora especialista em futuro do trabalho, Marci Alboher, e refere-se ao formato de jornada na qual o cidadão possui mais de um compromisso, em segmentos diferentes e ao mesmo tempo. “Slash” significa barra em inglês e “Career”, carreira. “Slash Career” quer dizer então “carreiras em barras”

“Se antes o seu currículo determinava a sua vida profissional, hoje sua carreira pode ser múltipla e não necessariamente estar ligada à sua formação. É a chance do trabalhador construir um verdadeiro ‘portfólio de carreiras’, podendo montar uma ‘carteira’ para se complementar em relação a retorno financeiro, preferências e paixões, aumentando sua realização pessoal e profissional”, explica Mônica. Ou seja, você pode ser um gerente de marketing, um chefe de cozinha e um professor de yoga sem nenhum problema. 

Por fim, para ficar por dentro das tendências do mercado de trabalho e ter acesso a todas as novidades corporativas, o Nube é seu aliado! Diariamente, compartilhamos dicas e sugestões de diversos experts, de segmentos distintos, em nosso blog e nas redes sociais. Enfim, não se esqueça: conte sempre conosco para alcançar o sucesso!

Seja nosso seguidor no Twitter (@nubevagas) e veja notícias diárias de ações, vagas de estágio e aprendizagem, palestras e muito mais. Assista nossos vídeos de dicas no YouTube e participe da nossa página no Facebook. Agora estamos também no Instagram e no Linkedin. Esperamos você em nossas redes sociais!

O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de estagiários e aprendizes. Basta acessar o link www.nube.com.br/ead. Todos os serviços para o estudante são gratuitos. Já instalou nosso aplicativo "Nube Vagas" em seu celular? Com ele você será notificado a cada nova oportunidade. Disponível na Apple Store e Play Store.

Compartilhe