Segundo um levantamento do Sebrae a partir de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), divulgado pelo Ministério da Economia, os pequenos negócios foram responsáveis por aproximadamente 220 mil novos postos de trabalho em fevereiro deste ano, chegando a cerca de 67% do volume total, o qual inclui empreendimentos de todos os portes. No acumulado de 2022 até o momento, as micro e pequenas empresas (MPE) criaram 304 mil vagas, um equivalente de 63,5% de toda a estatística. Ou seja, o mercado está positivo para quem quer empreender. Portanto, descubra dicas para fazer sucesso! 

Segundo estatísticas, pequenos negócios giram a economia brasileira com novos empregos

Consoante a Carlos Melles, presidente do Sebrae, o ritmo de contratações pode mudar. “Isso se deve, em grande parte, ao papel desempenhado pelos pequenos negócios. Mais uma vez, são as MPE a moverem a economia brasileira, respondendo pela maior parte da geração de empregos”, afirma. 

Entre os setores, o de Serviços obteve grande destaque, com a abertura de cerca de 134 mil cargos. Na sequência, a Construção Civil registrou a entrada de aproximadamente 31 mil. Observamos como o cenário dos últimos seis meses de 2021 se repete agora. Praticamente todos os setores de atividade listaram saldos positivos”, observa Melles. 

Quanto às regiões brasileiras, o Centro-Oeste dispara em admissões, abrindo 27 novas ocupações a cada mil já existentes. O valor é quase 34% superior à média de 20 contratações por mil empregados contabilizada pela região Norte, a segunda do ranking. Já o Sul, Sudeste e Nordeste, respectivamente, têm 17,14 e 12 postos inéditos a cada mil contratados. Isso deixa claro como o empreendedorismo está passando por uma boa fase. 

Para empreender com sucesso explore profundamente as redes sociais! 

As mídias digitais se tornaram essenciais para o diálogo entre marca e usuário, como um pilar imprescindível nessa relação. Com o isolamento social, tudo foi adaptado para a web, desde carreira, consumo até lazer. De acordo com estudo da Agenzia Mkt, as corporações não utilizadoras das redes sociais para vender, estão perdendo oportunidades de exposição e comunicação com seu público, de modo a deixar de crescer em até 50%. 

Para David Mendes, CEO da Agenzia Mkt, o on-line é vital nesse momento. “A dor da presença virtual acontece principalmente para as MPE. Muitas vezes elas acreditam na impossibilidade de incluir a estratégia de vendas por falta de conhecimento e investimento financeiro. De fato, esta é a maior dificuldade para esses empreendedores participarem dessa transformação digital, mas também sabemos como este segmento é o principal propulsor de empregos na economia brasileira e com grande parcela no PIB do país, portanto não podemos simplesmente ignorar”, explica.

Contudo, manter uma constância na dimensão cibernética é um obstáculo. ​​​“Estar presente todos os dias, embora a gente saiba como é fundamental, é um grande desafio”​​, conta Samuel Icaro, proprietário da Aldeia das Tortas, negócio com unidades em São José dos Campos e São Paulo (Moema). Nesse sentido, plataformas automatizadas podem ajudar na criação e publicação dos posts, para facilitar essa tarefa. Todavia, independentemente do segmento da instituição, é vital possuir contas nos canais de comunicação da atualidade. Afinal, “quem não é visto, não é lembrado!” 

Como abrir a minha própria empresa? Conheça o passo a passo

De acordo com a pesquisa da Global Entrepreneurship Monitor (GEM), realizada com apoio do Sebrae e em parceria com o Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBPQ), a taxa de empreendedorismo potencial no Brasil teve um crescimento de 75% em 2020, totalizando 50 milhões de brasileiros com vontade de abrir um negócio próprio. 

Quando esse sonho aparece, inúmeras preocupações vêm à tona, entre elas, os trâmites fiscais ganham destaque. Afinal, nem todo mundo sabe quais pontos precisam de serem feitos, onde e com quem devem contar para facilitar esse processo. “A parte burocrática consiste em três etapas, elas envolvem município, estado e a federação. É fundamental para o empreendedor saber como algumas taxas variam de região para região e entender como fazer pode até ajudar a economizar”, explica Luana Menegat, CEO da Razonet Contabilidade Digital. 

Segundo a especialista, existem três etapas principais. Confira:

Infográfico sobre empreendedorismo contendo passo passo listado. 

Passo 1) Viabilidade:

A avaliação de viabilidade é feita perante o município. Ou seja, é solicitado uma autorização para a prefeitura para analisar se a pessoa pode abrir sua empresa, com seu ramo de atuação, na localidade desejada. Em alguns casos, pode ser negada, porque o indivíduo não pode exercer determinada atividade em local específico, como uma indústria química no centro da cidade, por exemplo. 

Passo 2) Documento Básico de Entrada (DBE):

Nessa fase, o empreendedor vai informar à Receita Federal sobre quais atividades pretende exercer, se tem sócios, quem eles são, qual a participação dos mesmos no negócio, o endereço da empresa, dados para contato para, por fim, criar o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica, o CNPJ. “Muito embora a pessoa consiga o número do CNPJ nessa etapa do processo, ainda não poderá utilizá-lo e nem emitir notas fiscais. Isso só acontece no final, quando já existe a empresa constituída”, ressalta Luana.

Passo 3) Registro na Junta Comercial:

O executivo fará o Registro na Junta Comercial do seu estado e criará o contrato social para reger a sua sociedade. Nele, devem conter informações sobre os associados, a participação societária, qual capital social da corporação e o conjunto de regras e normas, parte da sua filosofia empresarial. 

Em seguida, o acordo é aprovado na Junta Comercial. As taxas desses órgãos variam de estado para estado, por isso é importante realizar esse procedimento no local onde você atuará e contar com o auxílio de uma organização especializada. Caso o documento não seja aprovado, será apontado os pontos a serem adequados. 

“Ao final dessas três etapas, a pessoa vai ter seu processo deferido, seu negócio constituído e partir para o Cadastro da Empresa no município para ter permissão para emitir nota fiscal”, finaliza a CEO da Razonet, startup de contabilidade digital com mais de 30 anos de experiência. 

Por fim, para ter acesso à novidades e ficar por dentro das tendências corporativas, o Nube é seu aliado! Depois de abrir a sua empresa, invista em estagiários e aprendizes! Para facilitar seus processos, use assinatura digital em seus contratos. Isso vai poupar tempo e dinheiro e, para quem está iniciando, é fundamental! Enfim, diariamente, compartilhamos dicas e sugestões de diversos experts em nosso blog e nas redes sociais, portanto, explore essa oportunidade! Não se esqueça: conte sempre conosco!

Seja nosso seguidor no Twitter (@nubevagas) e veja notícias diárias de ações, vagas de estágio e aprendizagem, palestras e muito mais. Assista nossos vídeos de dicas no YouTube e participe da nossa página no Facebook. Agora estamos também no Instagram e no Linkedin. Esperamos você em nossas redes sociais!

O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de estagiários e aprendizes. Basta acessar o link www.nube.com.br/ead. Todos os serviços para o estudante são gratuitos. Já instalou nosso aplicativo "Nube Vagas" em seu celular? Com ele você será notificado a cada nova oportunidade. Disponível na Apple Store e Play Store.

Compartilhe