Segundo dados divulgados pela Association for Talent Development (ATD), as empresas investidoras em programas de treinamento personalizados para as demandas de seus colaboradores apuram uma melhora de até 218% na produtividade e nos resultados. Para corroborar, tais empreendimentos conseguem identificar até 24% de margem de crescimento de suas receitas. Logo, é notável como investir no funcionário se converte em uma potencialização de recursos por um meio muito mais simples e sustentável. Sendo assim, entenda como estimular as capacitações e descubra dicas. 

Em um mundo cada vez mais digital, aumenta a procura por treinamentos on-line

Uma coisa é certa: a pandemia mudou o mundo do trabalho, acelerou as tendências digitais e proporcionou uma nova visão. Essa adaptação às pressas exigiu soluções urgentes, como o teletrabalho. Esse período incerto de adequação fez muita gente repensar o papel da ocupação em suas vidas, de modo a questionar conceitos, rever suas rotinas e buscar um propósito para alcançar maior satisfação tanto pessoal quanto profissional. 

De acordo com um levantamento da Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo (FEA-USP) e pela Fundação Instituto de Administração (FIA), 73% das pessoas estão mais satisfeitas com o home office. Quando se considera a intenção de manter esse cotidiano após a pandemia, o número cresce para 78%, se comparado com 70% do ano passado. Quanto ao número de indivíduos com vontade de voltar ao escritório, o volume caiu de 19% para 14%. 

Para Alfredo Freitas, especialista em educação e tecnologia há 20 anos e diretor da universidade americana, Ambra University, houve um aumento na procura das instituições interessadas em investir na atuação de seus times on-line. “Nos últimos dois anos vimos algumas empresas errando no virtual por falta de preparo para atuar com a equipe remota”, comenta. 

Conforme uma pesquisa encomendada pela Sodexo, 92% dos trabalhadores brasileiros querem permanecer com a ocupação à distância. Para Freitas, driblar a discriminação com a atuação por meio de aportes tecnológicos é essencial para as instituições crescerem. “Infelizmente ainda há muito preconceito com estudo e trabalho remoto. De modo geral, ainda se acredita na falsa crença de não ser possível aprender e atuar de forma satisfatória via Internet. Os empresários precisam entender como esse modelo veio para ficar”, pontua o especialista. 

Investir em capacitação no inglês é um diferencial para o time em busca de crescimento

Quando pensamos nas vantagens de falar inglês, automaticamente idealizamos os proveitos para um estudante ou para um funcionário, os quais investem nessa especialização por conta própria. No entanto, o retorno para as companhias também é alto. Afinal, com a globalização e a interconexão gradativamente maior, as fronteiras diminuíram, logo, o conhecimento de uma segunda língua, às vezes até terceira, é essencial para não se tornar obsoleto. Principalmente, para as instituições em busca de serem destaque diante das concorrentes. 

Consoante a Marin Perri, CEO (chief executive officer) da Nulinga, durante muito tempo os cursos de idiomas eram vistos como benefícios pelos profissionais. Alguns anúncios de vagas, inclusive, portavam essa oferta como parte integrante do pacote. No entanto, com a crescente capacitação e a maior exigência por resultados, esses workshops passaram a integrar programas de desenvolvimento de colaboradores com uma frequência maior. 

Para Perri, essa aprendizagem mais direcionada, tendo em vista a aplicação corporativa, é de grande serventia. “Essa aproximação da teoria e prática possibilita um maior engajamento por parte dos funcionários com o curso”, afirma. Além disso, a flexibilidade também é algo muito procurado. “Com a tecnologia, é possível aprender de onde estiver, até mesmo na sua residência, eliminando gastos e tempo com locomoção”, pontua o CEO. 

Conforme um estudo da Nulinga, das 80 companhias com clientes ativos na plataforma, 48% oferecem a aula de inglês como um benefício, já as outras 52% solicitam aos cooperadores para fazer o curso como parte da preparação interna. “Essas empresas oferecem aulas para ajudar no dia a dia corporativo, isso também propicia um crescimento do colaborador”, explica Perri. 

Ademais, investir no aprendizado também ajuda a instituição a reter talentos. Afinal, o funcionário se vê valorizado e enxerga o seu trabalho como uma forma de se desenvolver e investir em seu próprio futuro. De mesmo modo, investir em aulas traz uma imagem positiva para o empreendimento, melhorando sua reputação perante a comunidade. Isso, inclusive, é uma vantagem competitiva. 

Treinamentos de alto impacto ajudam a encorajar as equipes para o pós-pandemia 

Todavia, com a vacinação em massa e o mercado de trabalho se aquecendo novamente, a volta ao escritório está cada dia mais perto. Nesse sentido, as corporações investem em programas de especialização, de forma presencial e virtual, para engajar e encorajar seus staffs a retornarem motivados, aumentando sua confiança e neutralizando qualquer questão exposta. 

Sendo assim, as capacitações de alto impacto, com várias técnicas para promover transformações, ajudam as pessoas a enfrentar obstáculos e a melhorarem o desempenho. Para o founder head coach, Jean Patrick, o distanciamento social aprofundou diversas dificuldades. “Sob o ponto de vista das instituições, elas passaram por períodos de retração em suas vendas e passaram a buscar uma melhora no protagonismo e engajamento das equipes. Como forma de não só vender mais, mas também de buscar novos caminhos em conjunto”, ressalta. 

Quanto aos profissionais, se antes da crise sanitária alguns já enfrentavam problemas para se relacionar com os colegas ou não conseguiam ser proativos perante os desafios, essas condições se cristalizaram com o isolamento. “Este é o momento para estimular os colaboradores a mudarem a forma de pensar, agir e reagir. Ou seja, de romperem padrões comportamentais e crenças limitantes e sabotadoras. É preciso provocá-los, para ampliarem a visão sobre si mesmos, enxergarem suas fortalezas e fraquezas”, expõe Patrick. 

Por fim, é essencial sempre estudar, de modo a buscar a evolução profissional e pessoal. Todavia, para se manter atualizado e por dentro das tendências corporativas, o Nube é seu aliado. Diariamente, compartilhamos dicas e sugestões de diversos experts, de modo a trazer as novidades empresariais para o seu convívio. Continue acompanhando nosso blog e conheça as redes sociais. Enfim, não se esqueça: conte sempre conosco!

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe