Em mercados competitivos, vários pontos devem estar ajustados para a obtenção do sucesso. Para esses aspectos ficarem alinhados ao objetivo do negócio, a presença do líder é fundamental. No entanto, quem realmente é essa figura? Como desenvolver tais qualidades? Isso tudo pode ser praticado e evoluído desde os estagiários até os funcionários com mais tempo de casa.

Como se tornar um líder?

Um bom dirigente consegue conquistar os demais e convencê-los de suas ideias, podendo ser no ambiente pessoal ou profissional. Em função disso, grande parte do sucesso do grupo depende da atuação desse indivíduo e de como ele está capacitado para levar o grupo na direção do sucesso.

Hoje, muitos se apressam em querer exercer imediatamente a função de comandante e, neste momento, já ocorre um primeiro erro: isso não é imposto, você deve conquistar seu espaço junto ao time. Por isso, existem muitos chefes, mas poucos líderes. Outro erro muito comum é a famosa política da boa vizinhança. “Na realidade, o normal é ser contestado em suas decisões, mas saber a importância do rumo a ser tomado para chegar aos objetivos finais”, explica o diretor geral da Farmarcas, Paulo Roberto Costa.

Nesse sentido, o especialista deixa algumas dicas:

Tenha paixão: ao realizar suas ações com prazer, os colaboradores acreditarão no projeto. Caso contrário, não haverá inspiração e entusiasmo.

Não pense apenas na popularidade: muitas pessoas confundem os papéis de amizade e liderança. Na verdade, é necessário ser um guia para todos quererem caminhar junto.

Seja sincero e ético: também é relevante demonstrar maturidade, com base em experiências passadas e teóricas, pois a busca pela melhoria e reciclagem deve ser contínua.

Não tente ser perfeito: busque sempre se aprimorar. Ninguém sabe tudo e todos possuem muito a aprender. O líder sabe a necessidade de ouvir os liderados e ter uma troca saudável de ideias;

Seja corajoso: quem não busca o diferente está fadado a ser ultrapassado. É fundamental ter audácia, posicionamento de opinião e assumir responsabilidades.

Se conheça: dessa forma, saberá seus limites e a hora de se retirar para não prejudicar o projeto. O ego pode ser um grande problema, pois leva a uma perda de controle. É preciso estar pronto para mudar de rota sem perder o foco, conduzindo sua equipe nas mudanças do mercado;

Saiba se comunicar: um dos grandes erros é não deixar claro os caminhos tomados. É essencial se posicionar e fazer reuniões para atualizar todos.

Para alcançar o nível desejado, é preciso estar em constante aprendizado. “A melhor alternativa é a capacitação. Cursos, treinamentos, workshops e a troca de experiências com outros profissionais do ramo são essenciais para a construção de um novo perfil, capaz de coordenar uma equipe e caminhar para a evolução”, acrescenta Costa.

O líder protagonista

Ser protagonista vai muito além de um cargo e corresponde a deixar de lado a posição de vítima das circunstâncias, ou seja, quem se queixa o tempo todo e atribui todos os motivos dos acontecimentos ao outro ou à organização. Por isso, é necessário assumir a responsabilidade pelos rumos de sua carreira, promovendo impactos positivos nas pessoas e na empresa. É, antes de tudo, uma atitude e está nas mãos de cada um.

Para a especialista em desenvolvimento humano, Susanne Andrade, o primeiro passo começa antes mesmo de se pensar no ambiente corporativo, passando por cuidar de si mesmo e cultivar uma boa saúde mental. “É preciso ter seu papel muito bem definido, pois hoje vivemos em um “novo mundo” e ter um posicionamento assertivo ajuda a diminuir a sobrecarga e a pressão de querer resolver tudo ao mesmo tempo. Assumir essa postura de ‘super herói’, muitas vezes leva ao esgotamento emocional e atrapalha os resultados”.

Hoje, os problemas estão relacionados às “doenças da alma”, como estresse, depressão e ansiedade. O Brasil é o segundo país com maior número de trabalhadores afetados pela Síndrome de Burnout. Segundo a Organização Mundial da Saúde - OMS, 86% da população do país sofre com algum transtorno. Ademais, somos a nação mais ansiosa e a 5ª mais depressiva.

De acordo com Susanne, muita gente enfrenta essa situação sem perceber. “Tudo isso é causado pelo excesso de tarefas, quando o colaborador não respeita seus próprios limites e não tem um posicionamento claro, sentindo-se perdido e agindo sem entender qual o seu real propósito”, comenta.

Para solucionar essas questões, é fundamental a conquista da qualidade de vida, a partir do relacionamento com a carreira. Hoje, o próprio indivíduo deve ser o responsável por sua trajetória, partindo do seu autoconhecimento para entender onde está sua felicidade. Dessa forma, dará maiores contribuições para a corporação e se sentirá mais realizado.

Por isso, a especialista destaca algumas atitudes essenciais para ser um gestor protagonista:

Contribuir para a transformação digital humanizada: com respeito, diversidade e empatia, para deixar de ser uma “máquina” de produzir resultados.

Buscar uma atuação com propósito: entendendo o sentido de sua função e os efeitos em outras pessoas.

Desenvolver o mindset da eficácia: com a mudança do foco da eficiência para a eficácia.

Fazer a autogestão na relação com o tempo: para produzir com maior qualidade de vida.

Viver o presente: para construir o futuro com saúde mental e combatendo os medos.

Ser agente de transformação: desenvolver novos dirigentes a partir de uma atuação focada na evolução humana.

Inspirar os colegas: praticar a empatia e a escuta ativa é essencial para a valorização do ser humano, quando naturalmente promove a transformação do outro.

Ao atuar nessa perspectiva, estamos progredindo como sociedade. Afinal, esse é o real sentido de inovação. “Precisamos deixar para a inteligência artificial as tarefas repetitivas e maçantes e, para nós, o desenvolvimento de soft skills. Esse é o caminho”, finaliza. Após a pandemia, os executivos buscam novas características para compor seu staff.

Sendo assim, pratique essas habilidades em você e em sua organização. Dessa forma, você estará na trilha do sucesso. Não seja ultrapassado pela concorrência! Caso busque estagiários e aprendizes para te acompanharem nessa jornada, entre em contato com o Nube. Temos os melhores candidatos para o seu negócio!

Seja nosso seguidor no Twitter (@nubevagas) e veja notícias diárias de ações, vagas de estágio e aprendizagem, palestras e muito mais. Assista nossos vídeos de dicas no YouTube e participe da nossa página no Facebook. Agora estamos também no Instagram e no Linkedin. Esperamos você em nossas redes sociais!

O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de estagiários e aprendizes. Basta acessar o link www.nube.com.br/ead. Todos os serviços para o estudante são gratuitos. Já instalou nosso aplicativo "Nube Vagas" em seu celular? Com ele você será notificado a cada nova oportunidade. Disponível na Apple Store e Play Store.

Compartilhe