Nos últimos anos, o cenário social e os avanços tecnológicos vêm se transformando cada vez mais rápido e o setor de Recursos Humanos teve de enfrentar desafios de gestão. Novos formatos de atuação trouxeram mudanças significativas e o setor precisou se reinventar. Tendências implantadas como o home office e a seleção de talentos, como estagiários e aprendizes, de forma totalmente remota foram algumas das medidas. A gestão de RH, portanto, constitui um papel fundamental dentro do organismo empresarial. 

Dentre as diversas funções, estão gerar mais engajamento

O setor é responsável pelo suporte e por possibilitar a conquista dos objetivos da organização por meio de processos inovadores de administração. O direcionamento das ações dessa área é acompanhado de um objetivo central coletivo. Algumas funções são: busca do desenvolvimento contínuo dos times, garantia da motivação dos indivíduos, remuneração, seleção e contratação de novos membros, bem como auxiliar em uma demanda ou um projeto específico da companhia. 

Segundo Celso Campello Neto, especialista em administração e CEO da Benefício Certo, os quatro maiores obstáculos para quem atua nesse ramo em 2022 são:

  • Proporcionar uma gestão de benefícios atuante e atualizada 

 

Garantir condições adequadas de labor para as equipes visando o bem-estar é vantajoso para todo processo produtivo de um empreendimento. Os benefícios podem ser vistos como mecanismos diretos para atração de grandes nomes para os quadros. “Para grande parte das pessoas, receber esses incentivos é tão essencial quanto um bom salário ou mais importante ainda, pois eles podem ser fundamentais para o desenvolvimento pessoal e profissional. Além disso, os auxílios também demonstram a valorização dos pares por parte da contratante”.

Ter esse tipo de iniciativa, segundo o especialista, traz melhorias na qualidade de vida e, por consequência, proporciona melhores refeições diárias, deslocamentos mais rápidos, assistência à saúde e rotina mais saudável, tanto do ponto de vista físico, quanto mental. “Uma das alternativas é buscar alinhar e oferecer as bonificações de acordo com as reais necessidades dos funcionários e avaliar qual é a melhor estratégia para todos”. 

  • Garantir condições adequadas de locomoção ao escritório

 

O avanço da campanha de imunização no Brasil faz o retorno aos escritórios ser possível, agora com um novo formato: o modelo híbrido. “Com todas as transformações repentinas no mundo corporativo, a área de RH deve se adaptar para gerenciar de forma eficiente os bônus fornecidos. 

  • Possibilitar um cenário favorável também no trabalho remoto

 

Para as entidades nas quais a atuação remota será mantida de forma definitiva, é necessário avaliar e garantir um ambiente saudável e confortável a todos. “Disponibilizando os recursos necessários, a marca pode dar o auxílio home office, contribuindo também com as despesas domésticas de cada um, como contas de luz, Internet e ajudando a comprar itens para o escritório”.

  • Incentivar o consumo e o acesso a programas culturais

 

É imprescindível as contratantes apresentarem vantagens relacionadas ao bem-estar dos estagiários, aprendizes e efetivos. Uma das soluções é o vale-cultura, pois dá a oportunidade de visitas a museus, cinemas, shows, teatros e pode ser usado também para comprar livros, revistas, entre outros produtos relacionados ao entretenimento e intelecto. “As empresas podem disponibilizar diversos planos aos seus liderados. Ao estabelecer propostas diferenciadas, aumenta o engajamento e produtividade”, reforça Campello Neto.

Premiações também devem ser consideradas

Tão relevante quanto esses pontos já citados, está a motivação geral dos talentos. Manter todos estimulados sempre foi um desafio dos gestores. Com mais de dois anos de pandemia e o tempo cada vez mais escasso, manter os clientes internos ativos e dispostos a entregar seus resultados se tornou primordial para as lideranças.

Um dos caminhos para isso também é a valorização de conquistas individuais ou coletivas. “A premiação é uma estratégia antiga, mas ainda sim uma das mais eficazes. Gratificar funcionários é um ingrediente indispensável para o engajamento”, revela Vanessa Novais, diretora executiva de transição de carreira da Thomas Case & Associados.

Veja dicas:

infográfico 20-04-22

 

  • Aposte nas atividades atreladas ao desempenho

 

Reconhecimentos atrelados à própria conclusão das obrigações, como, por exemplo: na área comercial, receber o dobro de leads como prêmio para o melhor da semana anterior. Recursos como emendas de feriado também são válidos. “Esse tipo de iniciativa é um gás e tanto para equipes de vendas, as quais, normalmente, gostam de desafios”, reforça a diretora.

  • Ofereça “mimos”

 

Envio de “mimos” como café da manhã ou um bolo na tarde é uma boa abordagem. A comida tem um significado responsável por transmitir carinho e cuidado. Disponibilizar algo gostoso tem um reforço lúdico de apoio mútuo entre contratante e contratados.

 

  • Bora viajar?

Com a crise sanitária, as viagens ficaram em standby. Agora, fazer esses passeios é item disputado e sempre muito valorizado. Aposte em roteiros exclusivos e desejados, mais famosos nas redes sociais, por exemplo.

  • Dinheiro é sempre bom

 

Pode parecer uma abordagem antiga, mas a compensação em dinheiro é, sem dúvidas, um grande chamariz. É direta e objetiva, podendo ser usada como uma forma de desafiar as pessoas a buscarem maneiras ‘fora da caixa’ para alcançá-la.

 

  • Folga no meio de semana

O teletrabalho não implica na impossibilidade do colaborador ter uma folga como recompensa. Liberar um “day off” após uma  meta batida pode ser uma boa tática.

  • Premiações sempre renovam

 

Oferecer honrarias focadas no bem-estar e conhecimento também vale a pena. Um dia de spa, uma palestra concorrida pelo mercado, o acesso a um e-book capaz de fortalecer a carreira… todas essas são ações capazes de valorizar o indivíduo muito bem vistas.

Segundo a especialista, o estilo de recompensas mudou. Agora, além dos famosos abonos e viagens, “mimos”, exclusividades e vantagens de cunho emocional ganharam força entre os coordenadores. “Com o coronavírus e as mudanças no estilo de entrega de tarefas, as estratégias precisam ser repensadas, atreladas ao atingimento de metas, bem como questões sentimentais”, comenta. “Também existe uma estratégia de contemplação relâmpago a curto prazo: objetivo dado no início do dia e honraria entregue ao fim dele. Essa técnica gera um pico de estímulo e resultados altíssimos”, revela.

Você sabia que a motivação é inerente aos bons resultados?

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe