Muitas empresas estão ensaiando ou até já efetuando o retorno para os escritórios após o avanço da vacinação e flexibilizações em espaços comuns. Como previsto, o grande desafio tem sido convencer o colaborador, seja ele estagiário, jovem aprendiz ou funcionário efetivo, a sair de casa. Afinal, o mercado de trabalho sabe da possibilidade de exercer algumas funções sem precisar atuar presencialmente. 

É preciso ter uma acolhida maior

Segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o brasileiro passa cerca de 1.763 horas trabalhando ao longo do ano, representando 20% do tempo de vida prestando algum serviço. Assim, criar um lugar capaz de promover satisfação e pertencimento aos quadros de talentos tornou-se um investimento indispensável.

Para Nicolaos Theodorakis, fundador e CEO da Noah, recentemente, empresários têm encontrado bons resultados ao oferecer novos espaços aos grupos. “Precisamos entender como, para algumas funções, não há a menor necessidade de sair de casa. No entanto, trazer a equipe de volta – ao menos de forma híbrida – fomenta ainda mais o crescimento e o fortalecimento da cultura interna. Para isso, é preciso oferecer muito mais em relação àquilo dado antes ao indivíduo, para ele ver vantagem em se deslocar para realizar a mesma atividade entregue do lar”, explica.

Dessa forma, o executivo lista ações possíveis para fazer o retorno ser mais inspirador: 

Escritórios do futuro serão de madeira

A preferência por acabamentos naturais tornou-se um diferencial para fomentar a qualidade de vida, principalmente após a pandemia. Além disso, organizações e seus membros estão cada vez mais preocupadas com o meio ambiente e adquirindo uma postura mais sustentável – consequência da ascensão da agenda ESG no Brasil.

Pesquisas realizadas pela Human Spaces apontam um aumento de 5% na produtividade e 15% no bem-estar quando há a presença de elementos naturais no local de trabalho. “O uso da madeira nos escritórios também melhora os níveis de estresse, pressão arterial e frequência cardíaca, minimiza o absenteísmo e proporciona maior concentração. Além de possuir impacto na sustentabilidade em relação ao aço e ao concreto, materiais não renováveis, os quais demandam muita energia elétrica durante sua realização”, afirma Theodorakis.

A flexibilidade proporcionada pelo home office não deve ser esquecida

O colaborador percebe como, ao realizar suas obrigações a distância, consegue dedicar-se mais às questões pessoais, pois não há tempo de deslocamento ao labor. Pessoas conseguiram encaixar em suas rotinas hábitos mais saudáveis, como praticar exercícios físicos, cozinhar, ler um livro e muitas outras possibilidades.

O hibridismo é a tendência do momento e o principal desejo dos profissionais. Segundo o executivo, a adaptação favorece principalmente os resultados dos funcionários e, ao mesmo tempo, possibilita mais autonomia na organização da rotina. “Ser flexível é a palavra de ordem para as empresas que querem sair na frente no mercado”, destaca o CEO.

O ambiente presencial serve para reforçar a cultura

Estamos vivendo um momento de aprendizado, de retomada do convívio social e de novos paradigmas. Por isso, além das atividades rotineiras, o espaço coletivo da organização passa a ter papel fundamental na socialização. “Embora algumas pessoas julguem ser mais produtivas no outro modelo, a convivência entre a staff, conversas informais ou até mesmo o ato de compartilhar com os pares um pouco do dia, desejos e aspirações, é agregador”, constata. 

Esse é o principal benefício segundo Ana Paula Almeida, estudante de publicidade e propaganda. Para ela, a interação durante seu estágio foi um desafio durante toda a crise sanitária. “É uma realidade diferente, dá para criar vínculos, mas nada substitui os olhos nos olhos”.

Nesse novo cenário, ela está animada para as interações físicas. “Mesmo ainda tendo cautela e não ficarmos muito próximos, nem nos abraçando ou algo do tipo, já temos uma conexão diferente. Isso até dá uma motivação a mais para fazer as tarefas do dia a dia”, conta. 

Por fim, o especialista destaca como, nesse novo cenário mesclado, é  possível aproveitar os dias presenciais para treinamentos, trocas de experiências e diálogos transparentes. Sobretudo, é essencial reforçar: mesmo remotamente, toda a equipe está amparada pela liderança.

Por que uma boa gestão faz toda a diferença?

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe