Como de costume, um dos assuntos mais falados do momento é o Big Brother Brasil. O programa tem uma das maiores audiências e ganha o coração dos brasileiros pelo entretenimento oferecido, mostrando a realidade de 20 pessoas convivendo juntas em uma casa, sem conexão com o mundo aqui fora e disputando um prêmio de 1,5 milhão de reais. No entanto, algumas lições podem ser tiradas do reality e aplicadas por estagiários, funcionários e gestores no cotidiano empresarial.

O BBB e as empresas

Muita gente considera o BBB fútil e apenas algo para atrair os telespectadores, mas na realidade não é bem assim. De acordo com o CEO da Heach RH, Elcio Paulo Teixeira, muitas coisas podem ser aprendidas pelos fãs. “Ele é muito bem planejado e por trás dos acontecimentos com os participantes, existe uma equipe. Cada momento foi estrategicamente pensado, até mesmo a escolha dos papéis de parede e cores da casa”, conta.

Pensando nisso, Teixeira resolveu listar alguns pontos para se prestar atenção:

infográfico 14-02-22

Inteligência Emocional: essencial para qualquer negócio, para tomar decisões certas, negociações, ter uma boa convivência, gerir conflitos, entre outros fatores. Dentro de um ambiente tão desafiador, esse quesito é testado o tempo todo e isso acontece diariamente na vida das pessoas, inclusive nas corporações. Ou seja, quem não consegue lidar com as suas emoções pode sofrer com consequências negativas.

Marketing pessoal: segundo o CEO, nosso cérebro tende a se aproximar de pessoas agradáveis, com discursos positivos e enxerguem “o lado cheio do copo” e isso tudo reflete no marketing pessoal. “Quem sabe se vender e usa isso a seu favor, consegue atuar em grupo e pensar no coletivo, tanto dentro do BBB quanto no mercado de trabalho, acaba se destacando”, explica.

Perfis diferentes: sempre existem indivíduos diferentes, seja por questão de etnia, religião, orientação sexual, local de nascimento, entre outros. As organizações precisam entender a importância de ter essa diversidade, até mesmo para haver diferentes pontos de vista dentro de um projeto a ser elaborado. Essa soma aumenta o conhecimento entre os colaboradores.

Gestão de crise: é comum vermos brigas e desentendimentos entre os brothers e é possível perceber também como a não resolução de forma clara causa mais confusões. Isso prejudica os envolvidos e todo o ambiente. Nas instituições, isso também acontece. Por isso, é necessária uma gestão de crise. Assim, todos têm a chance de se explicar, podendo dar continuidade em suas rotinas, sem se sentirem excluídos e incomodados.

Transparência sobre a personalidade: o Big Brother está ali, 24 horas, nos sete dias da semana, observando e mostrando cada passo e conversa de cada um. Apesar de na vida real não termos câmeras o tempo todo, as redes sociais são uma boa forma de analisar cada pessoa. É interessante a utilização dessa ferramenta para conhecer mais sobre seu time e futuros contratados, entendendo a forma como eles pensam, suas capacitações, os gostos e assim por diante. Também é importante ressaltar: deve-se diferenciar a vida pessoal e profissional.

Liderança Estratégica: no dia a dia, é necessário estar sempre atento em tudo ao seu redor, para ajudar nas tomadas de decisões e posicionamentos de liderança. Assim, podendo alcançar promoções e novos cargos, além de mostrar habilidades no seu ofício.

Gamificação

Muito comentada e adotada nos últimos anos, a gamificação é uma ferramenta com o potencial de trazer resultados extremamente positivos, independentemente do contexto. De acordo com levantamento da P&S Market Research, o faturamento do setor deve ultrapassar 22 bilhões de dólares até 2027.

Para explicar de forma simples, é caracterizada pela aplicação de elementos, lógicas e mecânicas de jogos em atividades dos mais variados tipos. “São utilizados recursos como recompensas sociais e materiais, designs criativos e diferenciados, storytelling, métodos de pontuação, feedbacks rápidos e componentes visuais de progresso e desenvolvimento com a intenção de tornar uma tarefa motivadora, engajante, animadora, integrativa e divertida”, comenta o Fundador do Qranio, Samir Iásbeck.

Dessa forma, algumas das ações têm a possibilidade de interfaces e plataformas semelhantes aos games. “Os objetivos são profundos e complexos, envolvendo o aprendizado de novos conhecimentos e aumento do desempenho, por exemplo”, explica o especialista. Contudo, dinâmicas como a do programa da Rede Globo podem ser aplicadas no seu empreendimento, como o líder da semana, grupo VIP, entre outros. Nesse momento, vale usar a imaginação.

Portanto, aproveite os assuntos do momento e use isso para animar e motivar o seu time. Dessa forma, de maneira alegre e divertida, você pode melhorar o desempenho. Caso esteja em busca de estagiários e aprendizes para te ajudar nessa missão, entre em contato com o Nube!

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe