De acordo com a Pesquisa Maturidade do Marketing Digital e Vendas do Brasil, 94% das empresas escolheram o marketing digital como estratégia de crescimento. Isso porque os resultados têm sido satisfatórios para quem decide investir nessa tática. Porém, é preciso estar atento, afinal, cada mídia tem suas particularidades e funciona melhor para determinados públicos, sejam estudantes, estagiários, aprendizes ou profissionais formados. Enfim, é crucial ter cautela em como você posiciona a sua marca.

O marketing digital é foco nas empresas bem sucedidas 

Cada vez mais, a demanda por esse método aumenta e a atuação dos especialistas se torna imprescindível para aproximar as companhias das pessoas. Ainda conforme informações do mesmo relatório, apenas 5,5% dos participantes afirmaram divulgar seus feitos por meio de publicidade tradicional, como revistas e jornais. Além disso, 95% reconhecem a necessidade de melhorar na área. 

Dados da HubSpot apontam: 93% dos processos de compra começam por meio de uma pesquisa on-line e as vendas em lojas virtuais cresceram 70%, em 2020. Nessa realidade, os profissionais do segmento são responsáveis por atrair os clientes com técnicas de SEO, e-mails marketing, sites, aplicativos e conteúdos patrocinados, além de outras opções. 

Uma coisa é certa: esses experts precisam ser criativos, inovadores e tecnológicos. Consoante ao supervisor do curso de Marketing Digital do Centro Europeu, Filipi Oliveira, é fundamental se atentar a alguns pontos especiais. “Falamos sobre os embasamentos do marketing, a construção da marca, branding”, entre outros, como inbound marketing, landing pages, copyrighting, tópicos vitais para o sucesso nesse sentido. 

É indispensável contar com quem já entende do assunto para não seguir caminhos errôneos. “Estratégias feitas às pressas e sem entendimento do potencial de cada mídia são, quase sempre, sinônimo de desperdício de dinheiro. O apoio de especialistas é uma questão de sobrevivência”, afirma Adriano Oliveira, sócio e head de atendimento da Publiset.   

Escolha a mídia certa para colher um resultado satisfatório 

Segundo Oliveira, os canais off-line como a televisão e o rádio, embora venham recebendo menos estímulos atualmente, também são uma boa opção, pois conversam com maior percentual de consumidores do país. Conforme o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 93,3% dos lares brasileiros possuem, ao menos, um aparelho de TV. Portanto, não restam dúvidas, esse canal conversa com muitas pessoas e de todos os perfis. 

Sabe por que isso acontece? Pelas histórias memoráveis, emocionantes, criadoras de vínculos, lançadoras de tendências e programas de entretenimento, por exemplo. Assim, criam-se laços com os telespectadores. De acordo com o head de atendimento da Publiset, só se desenvolve essa conexão ao conhecer o comportamento e a persona do público. 

São fatores como: horário no qual o veículo está ativo e alguém está assistindo, os quadros prediletos, quando e por qual motivo a pessoa muda de canal, qual conteúdo compartilha com os amigos e família, quem dá a palavra final nas despesas da casa, entre outras questões. “As ações são planejadas por meio dessa coleta de informação bem fundamentada, uso de dados e de inteligência artificial”, pontua Oliveira. 

Além de entender essas condutas e saber quais decisões funcionam melhor, é preciso estar de olho nas atitudes da concorrência e nas novidades do mercado. Afinal, estar atento ao comportamento do mercado é essencial para se prevenir de possíveis erros, bem como, planejar iniciativas bem sucedidas. 

Por fim, o Nube reconhece a expansão das mídias, por isso, te convidamos a conhecer nossas redes sociais! Não se esqueça: continue acompanhando nosso blog para ficar por dentro das novidades e conte sempre conosco para o seu crescimento profissional!

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe