Com o advento da Covid-19, muitos procedimentos corporativos foram colocados à prova, desde a transferência às pressas para o remoto, até sua assertividade quanto aos lucros. A principal delas, no entanto, diz respeito à produtividade no home office, hoje não há dúvidas: realmente funciona. De tendência iminente, esse formato se tornou uma realidade consagrada entre as empresas e tem tudo para continuar no pós-pandemia. Por isso, o questionamento resiste, existem regras de conduta na dimensão on-line

As métricas aprovam o home office

Uma pesquisa realizada pela Microsoft com mais de 30 mil profissionais do mundo todo constatou: 70% deles pretendem realizar suas funções em casa. Outros 46% dos entrevistados admitiram a possibilidade de mudar de cidade, tendo em vista a opção de exercer suas atividades remotamente, onde o lugar não tem tanta importância assim. A própria companhia revelou suas métricas: as reuniões via Teams, aplicativo para gerenciamento dos times, cresceram 500%. 

Essa aceitação é global e diversas multinacionais pretendem prosseguir com esse paradigma. Além disso, a medida é extremamente aceita entre as equipes. Raphael Castilho, discente de jornalismo na Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ) e redator publicitário (SEO e copywriter) na Agência Contato, exerce seu cargo virtualmente e acredita na continuação dessa prática, por diversos motivos. “Permite às pessoas do interior trabalhar em organizações das grandes capitais, uma oportunidade incrível para muita gente. Pessoalmente, gosto bastante”.

Ademais, é recorrente perceber o adentramento gradual de diferentes segmentos a essa inovação. Conforme um levantamento desenvolvido pela Betania Tanure Associados (BTA), 43% das corporações brasileiras aderiram a esse modelo. Embora não vire a única modalidade de ofício existente, sua predisposição é estar cada vez mais presente nas entidades, com um sistema mais flexível, até mesmo híbrido. Inclusive, as vagas de estágio aumentaram em todo Brasil, graças a essa aderência. 

Regras de conduta no home office

De acordo com Bruna Borges, analista de desenvolvimento humano na DISYS Brasil, organização na qual aproximadamente 70% dos cooperadores estão trabalhando remotamente, o desempenho está diretamente ligado a um processo bastante comum atualmente: a reunião via web.

Isso porque diversas atitudes durante a call, segundo ela, podem desviar o foco do encontro, prolongar o assunto e até demonstrar falta de profissionalismo. Castilho também concorda, “algumas regras devem ser respeitadas em qualquer ambiente corporativo.” A seguir, a profissional lista cinco atitudes para se evitar:

1: Se ausentar da call sem justificativa: 

Se fosse presencial, você levantaria e sairia da sala para atender ao telefone, por exemplo? O raciocínio, aqui, deveria ser o mesmo. “Devemos ter responsabilidade e consideração com os demais participantes. Se houver algum imprevisto, procure avisar antes”, orienta Bruna. 

2: Roupas inadequadas: 

Evite aparecer de pijamas, sem camisa ou usando outras vestimentas inadequadas, como camisetas mais cavadas e trajes de banho. Essa conduta não só pode demonstrar falta de respeito com os colegas como também reflete negativamente na produtividade. Em Enclothed Cognition, os pesquisadores americanos Hajo Adam e Adam Galinsky conseguiram provar: a roupa influencia nosso estado mental e, consequentemente, o desenvolvimento das nossas atividades diárias. 

3: Testar os equipamentos em cima da hora: 

Câmera, microfone e outras ferramentas necessárias devem ser testadas com antecedência. Parece óbvio, mas muitos trabalhadores deixam para verificar tudo em cima da hora e acabam atrasando ou criando ruídos. Além de agilizar o compromisso, essa dica demonstra uma preparação para a ocasião e seriedade quanto ao tempo e a disponibilidade dos outros.

4: Comer durante as reuniões: 

Com exceção daqueles encontros com o objetivo de confraternização, comer em frente à câmera pode indicar certo desleixo, além de desviar a atenção de todos. Caso a videoconferência se estenda por horas, a sugestão é pedir licença para beliscar algum petisco, mantendo a câmera ligada e o microfone mudo, sempre.

5: Deixar o microfone sempre ligado: 

Cuidado com esse instrumento ativo integralmente. A regra geral é mantê-lo no mudo durante todo o tempo, alterando apenas quando for sua vez de falar. Desse modo, você evita barulhos externos, pois eles podem atrapalhar o andamento das pautas, assim como também previne possíveis gafes. “O melhor é sempre deixar desligado para evitar possíveis interferências. Entretanto, é preciso ter muita atenção para ligá-lo quando for necessário”, ressalta o redator publicitário. 

“Por fim, em uma reunião on-line é sempre importante dar um retorno ou sinal de vida para quem está falando. Presencialmente é mais fácil perceber a recepção dos colegas e da diretoria, porém remotamente essa dinâmica é prejudicada pela distância”, completa Castilho. 

Enfim, o Nube posta diariamente conteúdos para facilitar a sua jornada no home office, acompanhe o nosso blog e fique por dentro de sugestões, dicas e oportunidades. Além disso, aqui você encontra a vaga remota ideal para o seu perfil, basta cadastrar seu currículo e acessar o Painel de Vagas. Conte sempre conosco para trilhar um caminho profissional de sucesso!

Seja nosso seguidor no Twitter (@nubevagas) e veja notícias diárias de ações, vagas de estágio e aprendizagem, palestras e muito mais. Assista nossos vídeos de dicas no YouTube e participe da nossa página no Facebook. Agora estamos também no Instagram e no Linkedin. Esperamos você em nossas redes sociais!

O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de estagiários e aprendizes. Basta acessar o link www.nube.com.br/ead. Todos os serviços para o estudante são gratuitos. Já instalou nosso aplicativo "Nube Vagas" em seu celular? Com ele você será notificado a cada nova oportunidade. Disponível na Apple Store e Play Store.

Compartilhe