Ética no trabalho trata-se de um conjunto de valores e princípios necessários a se seguir em uma corporação. Ela também pode ser encarada como um passaporte para maiores chances de sucesso, até porque isso pode trazer mais credibilidade e confiança interna e externa. 

Vivemos dentro de um contexto no qual grandes companhias foram envolvidas em escândalos de corrupção, trabalho escravo, assédio moral e sexual. Tudo isso leva a uma maior desconfiança dos consumidores e investidores com as demais organizações, tornando o compromisso com os valores morais um diferencial muito valorizado. 

Além disso, não se pode deixar de mencionar como quem tem o poder de compra está cada vez mais exigente e consciente de seus direitos. Isso indica como a sua empresa ou conduta pode ser tanto valorizada quanto desmoralizada publicamente, em casos de falha com as normas corretas. 

A seguir, Renato Santos, especialista em compliance e sócio da S2 Consultoria, explica como promover esse tipo de conduta no contexto profissional, principalmente a partir de investigações internas bem-sucedidas. 

  1. Incentive o respeito e sigilo 

Existem informações as quais precisam ser compartilhadas com outras pessoas. “Porém, quando elas são sigilosas e o vazamento disso pode comprometer muito além do emprego e contrato, é fundamental garantir a preservação da privacidade e criar um manual de regras com resguardo jurídico para a entidade não ser prejudicada”, diz. 

  1. Reconheça os méritos 

Oferecer feedbacks justos aos colaboradores ou colegas de trabalho é uma forma de reconhecer e demonstrar valor para quem ajuda no crescimento. “Afinal, atuar com pessoas promovidas por questões de afinidades, favoritismo e até parentescos com o chefe não causam uma boa impressão, especialmente na Internet e pode gerar frustrações dentro do quadro”. 

  1. Saiba fazer crítica 

Quando falamos da necessidade de fornecer devolutivas justas e reconhecendo méritos é importante saber comunicar isso de forma clara, empática e respeitosa. “Ainda, não esqueça de como comentários e atitudes preconceituosas, além de antiéticas, podem ser consideradas criminosas”, comenta. 

Muitos, inclusive de altos cargos, já perderam a posição por tecerem comentários inadequados, dentro ou fora do escritório. “Sendo assim, procure fazer críticas construtivas e respeitosas, além de não ser tolerante com atitudes responsáveis por ferir o princípio da ética. O silêncio dos líderes reflete muito em como os demais colaboradores levam a sério essa questão”. 

  1. Valorize uma cultura seguindo normas

Conforme mencionado, algo tão vital quanto esse tema não pode ser tratado de forma rasa, mas sim ser trazido para dentro da cultura. “Especialmente os gestores precisam dar o exemplo. Em outras palavras, para não perder um cliente, muitas entidades prometem soluções falsas as quais não podem ser cumpridas”. 

  1. Exalte o trabalho em equipe 

Valorizar a diversidade também é crucial para aumentar a pluralidade de visões e fazer as estratégias adotadas terem efetividade para não se restringir a um pequeno público. Portanto, além de garantir a pluralidade, exalte a coletividade para isso se refletir no respeito a opinião alheia, empatia com os desejos e necessidades do público a ser atendido. Isso gera “mais cooperação e produtividade nas relações das demandas, humildade nas relações trabalhistas e etc.”.  

Seguir essas orientações pode favorecer, inclusive, a motivação  e engajamento dos times. Bárbara Mendes acredita nisso. Como estagiária do setor financeiro, ela diz sentir-se mais confortável em executar suas tarefas sabendo do respeito dos seus colegas e líderes em relação às normas. “Se todos dão o seu melhor, isso me estimula a nível pessoal a fazer o mesmo”, conta. 

Você tem uma postura sempre ética?

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe