Após o período difícil vivido nos últimos meses, as crianças retornaram às salas de aula. Porém, esse momento afastado foi prejudicial para grande parte delas. Nem todas conseguiam ter acesso aos materiais e explicações. Algumas tinham mais dificuldade para aprender no ambiente virtual. A falta de contato diário também atrapalhava os professores a passarem o conteúdo. Dessa forma, é fundamental estar mais alerta nesse final de ano para conseguir as notas suficientes e passar para a próxima série.

“A pandemia afetou principalmente os jovens da rede pública, pois não dispunham de equipamentos ou Internet. Muitos não obtiveram nenhuma aprendizagem e a maioria recebeu uma quantidade de conhecimento muito menor em comparação às épocas normais. Por outro lado, uma parte aprendeu a estudar de novas formas. De maneira geral, há um caminho longo a percorrer para recuperar o tempo perdido”, explica o coordenador pedagógico do Centro de Ensino Fundamental - CEF 01, de Brasília, Luciano Aviani.

A retomada das aulas

Retomar a rotina de estudos depois dessa turbulência exige alguns cuidados para o aluno encarar a reta final com bastante atenção e responsabilidade, especialmente no caso de quem não teve um primeiro semestre com boas notas ou vai encarar os vestibulares. Após tanto tempo dentro de casa, retornar à escola, com regras e costumes tão bem definidos, pode ser um desafio.

Porém, para a psicopedagoga e diretora do Colégio Renovação, Sueli Conte, esse papel deve ser dos educadores. “Acho importante pontuar as defasagens dos estudantes para as famílias e elas precisam atuar em parceria com a escola, aceitar estas orientações e colaborar trazendo a criança para as aulas de apoio. Percebo alguns pais se acomodando demais fazendo tudo em casa e não querendo levar os filhos para o colégio”.

Entretanto, a tarefa não é fácil. O Brasil não estava preparado para o estudo remoto e colherá frutos dessa fase durante um bom tempo. “Para mim, apenas em 2022 conseguiremos iniciar realmente o resgate das perdas sofridas. As aulas retornaram apenas nos meses finais do ano. Por isso, o tempo é curto para restaurar. O foco é fazer o melhor para encerrar essa temporada e iniciar a próxima com um planejamento melhor e mais forte”, complementa Aviani.

Sendo assim, voltar para o modo presencial pode ser a esperança para quem está com notas ruins, para conseguir aprovação e, em 2022, começar uma nova série com tudo e dar sequência na jornada acadêmica. Nesse sentido, Sueli traz algumas dicas para não precisar ir para a recuperação final:

- Estabeleça um horário diário para fazer uma revisão;
- Realize as tarefas e trabalhos continuamente, não deixando para depois;
- Anote e tire dúvidas com os professores e colegas de classe;
- Acompanhe as explicações, ressaltando os pontos determinantes de um conteúdo;
- Aproveite ao máximo as oportunidades oferecidas, como: plantões, reforço, grupos de estudo;
- Não falte ou chegue atrasado para não perder o raciocínio desenvolvido pelos docentes;
- Refaça as questões de provas com erros. Eles são fortes indicadores de uma dúvida existente;
- Evite distrações externas para manter o foco;
- Acate outras sugestões auxiliadoras no processo de aprendizagem;
Não desista. Estabelecer uma meta de conquista implica no esforço contínuo e diário.

“Estamos trabalhando bastante para dar o suporte necessário. Para isso, contamos com a colaboração dos responsáveis. Não conseguiremos atingir 100% do nosso objetivo, mas estamos empenhados nessa missão. Adianto, no entanto, um apoio ainda mais intensificado para 2022”, finaliza a psicopedagoga.

Novas formas de ensino

As instituições de ensino procuram agora trazer soluções e buscar uma estratégia para compensar esse lapso. Quem não recebeu estímulo na idade correta não terá maturidade cerebral para a próxima fase e esse fato retardará sua evolução. Por isso, será necessário se reinventar para alcançar um nível de instrução bem superior ao de 2019.
Em pesquisa realizada pelo QEdu, os educadores da rede privada analisaram a qualidade dos materiais oferecidos a eles. O projetor multimídia foi bem avaliado por 48%, o computador por 27%, o software por 17%, a Internet por 24% e o acervo digital por 18%. Os resultados apontam para a necessidade de investimento na modernidade.

Portanto, se esforce nessa reta de chegada e faça o possível para conseguir boas notas. Esses tempos difíceis estão acabando e, em breve, tudo estará normal novamente. Se você estiver matriculado no ensino médio, superior ou técnico, já pode concorrer a vagas no Nube. Aproveite!

Seja nosso seguidor no Twitter (@nubevagas) e veja notícias diárias de ações, vagas de estágio e aprendizagem, palestras e muito mais. Assista nossos vídeos de dicas no YouTube e participe da nossa página no Facebook. Agora estamos também no Instagram e no Linkedin. Esperamos você em nossas redes sociais!

O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de estagiários e aprendizes. Basta acessar o link www.nube.com.br/ead. Todos os serviços para o estudante são gratuitos. Já instalou nosso aplicativo "Nube Vagas" em seu celular? Com ele você será notificado a cada nova oportunidade. Disponível na Apple Store e Play Store.

Compartilhe