O mercado de trabalho vivencia uma verdadeira invasão dos membros da chamada Geração Z, ou seja, pessoas nascidas após 2001. Segundo um levantamento do Departamento de Censo dos Estados Unidos, as pessoas dessa faixa etária já representam 20% da força de trabalho no país. Diante dessa realidade, as empresas precisam de atenção e disposição para atualizar suas estratégias de atração e retenção de talentos.

O contexto no qual cada pessoa cresce ajuda a definir os valores, crenças e comportamentos. Contudo, isso não significa uma igualdade entre todos, caso tenham uma realidade similar. Cada um vive, sente e reage de uma maneira diferente às suas experiências. Porém, um perfil geral pode ser traçado.

A professora da pós-graduação em Liderança e Gestão de Pessoas no Centro Universitário Newton Paiva, Fabiana Lana, explica: “é preciso considerar essa garotada chegando com uma relação diferente com o trabalho. São automotivados, autodidatas, impulsivos, imediatistas e capazes de realizar várias ações ao mesmo tempo. A corporação deve buscar investir no potencial dessas pessoas e no desenvolvimento de suas competências por meio de tarefas desafiadoras, treinamentos, mentorias e aprendizagem contínua associada a oportunidades de crescimento".

A nova geração também busca ambientes inovadores, abertos a mudanças e inclusivos, respeitando e acolhendo as diferenças. Além disso, a especialista também chama atenção para a humanização. Segundo ela, as empresas precisam ter consciência do impacto das emoções no desempenho. Hoje em dia, os jovens consideram isso em suas escolhas profissionais.

Diferenças entre Millennials (Geração Y) e Geração Z

Muito diferentes um do outro, cada um tem suas peculiaridades e maneiras de pensar - surgindo assim, conflitos em alguns momentos e, em outros, interações. Os Millennials (nascidos entre 1981 e 2000) cresceram em uma realidade já ditada pela tecnologia, então sabem se virar muito bem. São resilientes, voltados para resultados e possuem espírito empreendedor.

Já os menores de 21 anos, nasceram em um mundo ainda mais tecnológico e imediatista, no qual foram levantadas pautas sociais, étnicas e sobre sustentabilidade. O consultor em planejamento estratégico e governança corporativa, Uranio Bonoldi, comenta: “como resultado são, de maneira geral, pouco pacientes, não têm medo de mudança, são ótimos e rápidos em aderir às modernidades e vivem nas redes sociais".

As características não são absolutas, mas todos os estudos mostram a existência de peculiaridades conectando os indivíduos da mesma faixa etária, confirmando alguns padrões de comportamento. Tudo isso se mantém no ambiente de trabalho. A organização, eventualmente, vai se deparar com diferentes grupos ao longo de sua história, seja internamente, com os colaboradores, ou externamente com clientes e fornecedores.

Para Bonoldi, o convívio de diferentes idades é uma oportunidade de se adaptar às mudanças e adquirir novos conhecimentos. "A troca entre gerações Z e Y é importante para ambos, o primeiro ajuda a pensar fora da caixa e se adaptar, enquanto os mais velhos ensinam a não desistir e se empoderar - um complementa o outro", ressalta.

A rede global de agências de publicidade McCann entrevistou 32 mil jovens nascidos depois da mudança do milênio em 26 países dos cinco continentes e divulgou os resultados em "A verdade sobre a geração Z". Alguns dados chamam a atenção.

Cerca de 48% de todos os entrevistados disseram não pertencer a um país ou a uma cultura em particular. A maioria (66%) se sente frequentemente sozinho, apesar de estar rodeado de pessoas e, 76% consideram as ligações emocionais mais fracas hoje em dia.

Diversas pesquisas indicam um mix de profissionais mais experientes com os novatos como algo positivo para o crescimento e desenvolvimento dos empreendimentos. Porém, as lideranças e RHs têm um papel fundamental nessa equação. Juntos têm a missão de mitigar a tensão geracional nas equipes.

O dever da diretoria é estimular essa troca de conhecimentos, aumentar a inovação, combater o preconceito, promover a comunicação e aprendizado de uns com os outros. Dessa forma, tem espaço para todos e quem souber equilibrar o quadro de funcionários da maneira correta, terá um grande trunfo.

Portanto, abra as portas do seu negócio para pessoas capacitadas e com o perfil ideal. Cada um tem suas valências e isso independe do ano de nascimento. Se procura fortalecer o seu time com novos talentos, entre em contato com o Nube. Será um prazer atendê-lo!

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe