Mapear colaboradores alinhados com uma companhia nem sempre é uma tarefa fácil. Em contrapartida, reter quem já está trabalhando de forma positiva é ainda mais desafiador. Por isso, implementar uma cultura organizacional e rotina direcionada aos interesses do time é uma estratégia eficaz para mantê-los interessados e estimulados.

Nesse sentido, o country manager da Deel no Brasil, Cristiano Soares, elencou alguns pontos de atenção para se ter com a equipe, principalmente, a distância. Veja:

Saúde

Para a diretora médica da heathtech Precavida, Nathalia Viana e Silva, a pandemia agravou ainda mais a vitalidade. “A crise destacou as divergências nos momentos de tomar decisões a respeito da força de trabalho devido à falta de acesso a dados, em tempo real, sobre a saúde dos internos e potenciais riscos”, observa.

O acesso a cuidados relacionados à saúde é uma necessidade básica e não deve ser descartada. Esse tipo de benefício promove economia no fim do mês do seu contratado, fazendo-o enxergar valor na marca e se sentir acolhido. “Estamos passando por um caos sanitário no mundo todo e cuidar do corpo e da mente nunca foi tão importante”, contextualiza o executivo.

Embora o departamento de Recursos Humanos (RH) não estivesse preparado para a pandemia, a atual situação cria uma grande chance para intervir e desempenhar um papel crítico e fundamental aos funcionários, os quais estão sobrecarregados no serviço e na vida. “Isso impulsiona o retorno do investimento em saúde de uma organização e melhora o foco e a produtividade, fornecendo recursos mais acessíveis para permití-los estarem bem”, avalia a CEO da Precavida, Laís Fonseca.

Educação

O incentivo à educação e ao conhecimento é uma via de mão dupla, relevante para os dois lados. Além de impulsionar o desenvolvimento pessoal e profissional do indivíduo, isso impacta diretamente na performance e no dia a dia laboral. “Seja aprender um novo idioma ou se especializar em sua área de atuação, cursos livres são sempre uma excelente ferramenta para reter talentos”, esclarece o manager.

Internet e materiais

Para ele, com a ascensão do trabalho remoto, muitas companhias apenas se adaptaram à nova rotina e os gestores acabaram não se preocupando tanto com outros fatores, como a ergonomia. “Cadeira confortável, ajuda de custo com Internet e telefone, notebook, entre outros, são itens essenciais para o cumprimento das atividades e simplesmente não podem ser exigidas do sujeito e sim concedidas a ele”, continua.

Alimentação

Independentemente de estar em casa ou no escritório, todos realizam suas refeições diariamente, concorda? Assim, se atentar a isso demonstra interesse em otimizar ainda mais o cotidiano do trabalhador. “Atualmente, existem diversas possibilidades no mercado, de vale-refeição a voucher em aplicativos de delivery”, ressalta Soares.

Viagens

Um time remoto pode sentir ainda mais necessidade de mudar de ambiente. Com a tendência do workation, torna-se ainda possível presenteá-los com descontos em viagens ou passagens aéreas, por exemplo.

Segundo o country manager, essa nova relação de ofício deve se manter e crescer ao longo dos anos, logo, vale se atentar a esse direcionamento. “Sem dúvida, essa é mais uma maneira de valorizar e ainda estimular experiências e contatos com novas culturas e outras realidades”, finaliza Soares.

Acompanhe nosso blog e as redes sociais, pois publicamos conteúdos diariamente e temos opiniões de diferentes especialistas. Dessa forma, você se destaca no universo corporativo. Conte com o Nube!

Como funciona tudo isso na sua instituição?

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe