A economia global sempre esteve à mercê de vários fatores, alguns deles jamais imaginados. Isso causa diversos efeitos, inclusive para as empresas. Assim, muitos estabelecimentos têm enfrentado esse conflito nesses últimos tempos, devido à pandemia do Covid-19. Se essa preocupação faz parte da sua realidade, vale ficar atento às nossas dicas!

O foco é minimizar os danos

Esse caos de saúde mundial expôs diversas fragilidades estruturais e administrativas dos países e isso encolheu o cofre deles, aumentando os riscos de qualquer negócio. No Brasil, o cenário não foi diferente. O produto interno bruto (PIB) nacional retraiu 4,1 % em 2020, trazendo insegurança do empresariado em relação aos investimentos.

Nesse sentido, para as companhias é necessário planejar. “Embora a maioria das instituições brasileiras siga a linha “agir-corrigir”, algumas passaram por essa crise de maneira menos dolorosa, ao programar suas estratégias e implementar ações a partir do gerenciamento de riscos (projetar-agir-checar-corrigir) inerentes ao mercado”, avalia o sócio-diretor da Qualyteam, Ivan Gonçalves.

A gestão eficaz de qualquer organização pressupõe o controle de riscos. Para tanto, as marcas precisam identificar e agir para eliminar ou mitigar as ameaças para o sucesso de seus investimentos. Quando bem executado, isso constitui uma das mais assertivas metodologias de gerência.

Observe!

Assim, o diretor elencou algumas segmentações desse processo em etapas claramente definidas. Veja:

1. Identificação do risco
Consiste em compreender quais atitudes da entidade são falhas e quais os efeitos disso para a jornada comercial da corporação.

2. Análise e avaliação do problema
Com base na probabilidade e impacto dos pontos identificados na etapa anterior, a organização mede a capacidade de suportar as consequências negativas decorrentes desse provável acontecimento.

3. Tratamento da ameaça
Após essa análise, é preciso planejar e implementar ações preventivas para minimizar a recorrência dessas situações prejudiciais. Assim, esse tratamento protege o negócio de potenciais perdas econômicas.

4. Análise da eficácia
Esse processo para evitar ruídos para a companhia é uma atividade contínua e ininterrupta. Se bem executada, ajuda até em investimentos corretos e evita perdas financeiras associadas.

Portanto, uma equipe de gestão de crise, com o devido conhecimento, pode auxiliar a instituição a proteger os funcionários e a reputação da marca. Ou seja, garantindo a continuidade das operações. Assim, ao longo de todo o esquema é preciso ser ágil e transparente com o público externo e interno.

Inclusive, diante da conjuntura atual essa administração é essencial. Assim, a gestora de riscos e compliance, Elaine Favaro, enxerga esse momento como potencial de mudanças. “Vejo com toda essa circunstância, uma chance de conseguirmos algumas alterações rotineiras minimamente necessárias. Só assim os empregos sobreviverão, do contrário, a rua será o destino de uma massa ainda mais gigantesca”, explica.

Acompanhe nosso blog e as redes sociais, pois publicamos conteúdos diários com a participação de grandes especialistas. Assim, você se mantém alinhado às novas necessidades do mundo corporativo e se destaca. Conte com o Nube!

Se deseja saber mais sobre o tema e descobrir como estimular ações positivas em sua instituição, assista também a matéria do programa "Conexão Ilimitada" da TV Nube: como proteger a saúde mental durante a pandemia? e a prevenção corporativa em tempos de pandemia.

Como sua empresa lida com essa questão?

 

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe