Ninguém conseguiu prever os acontecimentos de 2020. O Covid-19 trouxe o caos político, econômico e emocional, testando os limites dos indivíduos, famílias, sistemas de saúde e setores inteiros da sociedade. No entanto, como destaca o nono Relatório de Tendências da Ford, a pandemia também revela como as pessoas podem ser resilientes e encontrar maneiras de se adaptar.

A mente humana evoluiu com a pandemia

Segundo o levantamento, 69% dos adultos dizem se sentir oprimidos com as mudanças, enquanto para 47% tem sido mais difícil em relação às expectativas. “Conforme avançamos em 2021 e vislumbramos um mundo pós-pandemia, fica claro como as transformações trazidas pelo isolamento nos mudaram”, diz a gerente de tendências de consumo global e futuro da Ford, Sheryl Connelly, Michigan nos Estados Unidos.

Ainda de acordo com o relatório, para 53% essa situação tem sido mais fácil em confronto com as estimativas. Assim, gerações mais novas tiveram mais dificuldade: para 63% da Geração Z, se adaptar foi mais complicado, contra 42% dos Boomers.

O documento examina as mudanças no comportamento e nas atitudes dos consumidores em todo o mundo para ajudar os tomadores de decisão a entender como poderão influenciar o mundo em 2021 e depois. Nesse sentido, as tendências destacadas na análise incluem alguns pontos. Veja:

Pontos de pressão - mundialmente, a ansiedade está alta, motivada pelo medo de contrair o vírus e preocupações com o impacto desse cenário nas comunidades, no emprego, educação e outras áreas. Nesse âmbito, 63% dos adultos dizem estar mais estressados em relação há um ano. Logo, quatro em cinco deles precisam cuidar melhor do bem-estar emocional.

Hora de escapar - a expressão “que dia é hoje?” tornou-se uma pergunta comum, pois os limites entre trabalho e vida pessoal desapareceram. Então, para vencer a monotonia e o confinamento, os compradores estão buscando novos meios de escapar. Assim, quase um em cada cinco indivíduos dizem usar o veículo para encontrar privacidade e 17% o utilizam como local de serviço.

Preservando a companhia - o distanciamento destacou a necessidade das pessoas por companhia e remodelou o senso de família. A solidão é generalizada em todo o mundo - metade dos seres humanos dizem se sentir sozinhos com frequência. A juventude sente isso de forma mais aguda: os da Geração Z são quase duas vezes mais propensos a dizer-se solitários em comparação aos Boomers (64% contra 34%).

Preocupação com as diferenças - em todo o mundo, o nível de desigualdade é grande - especialmente porque a crise sanitária teve um impacto desproporcional nas comunidades de baixa renda, minorias étnicas e mulheres. Com isso, 76% dos entrevistados dizem esperar por um posicionamento das marcas em relação às questões sociais.

Apesar de tantos avanços, ainda há muito a se fazer. Para o diretor de Acesso ao Mercado e Relações Públicas da Medtronic, Renato Arruda, o tema deveria ser rotina, algo intrínseco ao mundo corporativo, mas ainda existem muitos obstáculos a superar. “Vários dirigentes e marcas, infelizmente, não conseguem perceber a riqueza da pluralidade e acabam reforçando desigualdades de oportunidades. Um dia chegaremos lá, estamos no caminho, mas ainda precisamos de muitos aliados, energia, tempo e recursos para fortalecer este movimento”, explica.

Desviando do trânsito - o transporte pessoal está em alta. As vendas de bicicletas dispararam e cidades fecharam ruas para dar espaço aos ciclistas. Também, as compras de carros aumentaram pela busca por segurança.

Sustentando a sustentabilidade - no início da quarentena, a qualidade do ar surgiu como uma possível vantagem desse período. Contudo, esse otimismo caiu rapidamente com o aumento no uso de plásticos e outros descartáveis. Ou seja, ser sustentável e se manter assim nem sempre estão em sincronia. Por isso, os mais jovens estão particularmente preocupados: 46% da Geração Z viu nesse cenário mais desperdício e para 47%, a longo prazo, isso terá um impacto negativo no meio ambiente.

Portanto, mantenha-se informado! Tendências apontam para novos caminhos a seguir. Então, fique ligado e acompanhe nosso blog e as redes sociais, pois publicamos conteúdos diariamente com a participação de diversos especialistas. Vamos nos adaptar a essa realidade juntos. Conte com o Nube!

Como você se ajustou nesse caos?

Seja nosso seguidor no Twitter (@nubevagas) e veja notícias diárias de ações, vagas de estágio e aprendizagem, palestras e muito mais. Assista nossos vídeos de dicas no YouTube e participe da nossa página no Facebook. Agora estamos também no Instagram e no Linkedin. Esperamos você em nossas redes sociais!

O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de estagiários e aprendizes. Basta acessar o link www.nube.com.br/ead. Todos os serviços para o estudante são gratuitos. Já instalou nosso aplicativo "Nube Vagas" em seu celular? Com ele você será notificado a cada nova oportunidade. Disponível na Apple Store e Play Store.

Compartilhe