Demitir nunca é uma tarefa fácil. Contudo, em alguns momentos, se faz necessário, seja por resultados pouco satisfatórios, clima ruim no ambiente corporativo ou desânimo. É recomendável saber a hora e maneira mais amigáveis de cumprir a incumbência. Por isso, o Nube traz algumas dicas!

 

Em meio aos acontecimentos de 2020, os departamentos de recursos humanos precisaram se reinventar. Afora as questões práticas, como rearranjar escalas de trabalho e viabilizar estruturas de home office, as lideranças da área necessitam criar estratégias para tornar as corporações verdadeiros espaços de acolhimento e apoio.

Demissão ou divórcio?

Segundo pesquisa da Universidade de East Anglia, no Reino Unido, a dor de ser mandado embora causa maior insatisfação com a vida se comparada a um divórcio. De acordo com os dados, empregados dispensados nunca recuperam plenamente o mesmo nível de bem-estar.

 

Há ocasiões nas quais a situação pode ser positiva para os dois lados. “Muitas vezes, um funcionário insatisfeito contamina o meio com afirmações negativas, postura inadequada e, consequentemente, diminui a produtividade de toda a equipe”, explica Susanne Andrade, especialista em desenvolvimento humano. Ela também lista sinais, os quais indicam ser a ocasião de tomar a atitude:

 

  1. Falta de trabalho em grupo.
  2. Comprometimento zero.
  3. Indisposição com os colegas.
  4. Conduta questionável.
  5. Desmotivação evidente.

 

Vale lembrar: o colaborador deve receber feedbacks sobre seu comportamento e suporte para mudar. Afinal, quem ouve devolutivas tem mais chances de evoluir. É preciso entender o motivo dessa queda de rendimento e erros frequentes em atividades as quais já eram rotina do empregado. Muitas vezes, uma conversa e direcionamento honesto pode ser o suficiente para uma mudança notória de comportamento.

 

Processo humanizado

 

Fernanda Medei, CEO e fundadora da Medei, localizada em São Caetano do Sul (SP), ressalta a importância desse processo e deixa dicas:

 

  • Quando há demissão humanizada, a imagem do gestor da equipe fica fortalecida, gerando maior confiança no seu time e cria uma reputação de empresa cidadã e preocupada com pessoas;

 

  • O clima organizacional se torna muito mais leve. Indivíduos trabalhando em um ambiente mais amigável, transparente e com confiança na corporação trabalham com menor índice de estresse, diminuindo as faltas e garantindo melhores desempenhos;

 

  • Um espaço com melhor influência no comportamento e no engajamento, gerando resultados criados por gente mais satisfeita e com menos problemas com a liderança - e onde, mesmo no momento da demissão acabam por não entrar com processos trabalhistas, pois não têm queixas grave.

 

  • Implantar a demissão humanizada é uma escolha com custo-benefício muito positivo, a qual demanda um esforço processual um pouco maior do RH e treinamento para os gestores e líderes. Contudo, se paga até mesmo no curto prazo. Além disso, gera um ambiente melhor para se trabalhar, possíveis processos trabalhistas mitigados e uma imagem fortalecida no mercado.

 

Como é o processo de desligamento na sua corporação?

Mais dicas

Quer ver mais dicas como essa? Então, continue acompanhando as atualizações aqui do blog! Diariamente publicamos novos conteúdos sobre carreira, mundo corporativo, mercado de trabalho, educação, estágio, aprendizagem e muito mais! Também recomendamos exposições, concursos e cursos para você participar. Nosso objetivo é ajudar você a crescer pessoal e profissionalmente. Aproveite e conte com o Nube!

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe