Lidamos com pessoas com pensamentos e sentimentos diferentes umas das outras. Isso pode ser um complicador na hora de dialogar, principalmente quando o motivo da conversa é um erro ou um comportamento indevido do colaborador, por exemplo. Por isso, todo gestor deve saber como dar um feedback negativo para seu subordinado.

O relacionamento com os contratados deve ser empático

Para o especialista em compliance e sócio da S2 Consultoria, Renato Santos, dar esse retorno é essencial para promover o crescimento profissional, mostrando ao cooperador os pontos nos quais ele está realizando bem o serviço e aqueles a serem melhorados. Afinal, é difícil para qualquer indivíduo ter uma visão completa sobre o seu desempenho e essa devolutiva dá uma percepção muito mais clara. “Mesmo sendo uma resposta negativa, ela não deixa de ser importante, pois desperta o amadurecimento do sujeito com habilidades a longo prazo, como a resiliência”, explica.

De acordo com o jovem estagiário de criação da Noticiando, Rodrigo Vedeschi, depois dessa orientação é hora de parar e refletir. “Muitas vezes esses insights vêm para nos alertar e nos ajudar a desenvolver pontos mais críticos da nossa personalidade, os quais podem atrapalhar na execução das tarefas”, expõe.

Apesar da necessidade da prática, essa avaliação pode ser uma situação estressante e desconfortável para todos os envolvidos. Todavia, algumas atitudes podem ser adotadas para aliviar o momento. Veja:

Tenha uma conversa privada

Fazer os apontamentos na frente de toda a equipe pode causar uma situação extremamente constrangedora. Se o retorno dado ao colega na mesma ocasião for somente de elogios, a circunstância fica ainda pior. Por isso, procure fazer esse bate-papo em privado, preservando a imagem do contratado. Assim, a recepção às informações será muito melhor.

Aplique a comunicação não-violenta

Essa forma de comunicação vale não só para o espaço corporativo, como também para a vida pessoal. Essa abordagem baseia-se na construção de uma conexão com o outro, evitando críticas, julgamentos e falas inadequadas. Logo, o diálogo torna-se muito mais produtivo.

Para Vedeschi, a forma como o líder fala pode influenciar muito na captação e compreensão da mensagem. “O tom de voz determina o peso da instrução. Logo, isso é capaz de gerar muitas interpretações por quem recebe”, analisa.

Mostre-se colaborativo

A intenção de um feedback deve ser sempre auxiliar no crescimento do funcionário, dando insumos para a correção de comportamentos, visando construir um profissional maduro e completo. Ao compreender a motivação do papo, o ouvinte fica mais aberto às sugestões e absorve melhor os apontamentos.

Comece pelos pontos positivos

Comece criando um ambiente acolhedor e despertando a confiança. Os pontos desfavoráveis podem ser tratados como conselhos, mostrando táticas a serem feitas para resultados melhores. Além disso, nessa hora o gestor também deve estar aberto a receber réplicas sobre questões a serem reparadas na companhia.

Assim, o líder consegue provocar a sensação de pertencimento no cooperador, mostrando o quão importante é para o time e para a empresa. Adotar um comportamento respeitoso é essencial para a integridade da relação e para isso não se tornar um assédio”, complementa Santos.

Acompanhe nosso blog e as redes sociais, pois publicamos conteúdos diariamente e temos opiniões de diferentes especialistas. Veja também a matéria: escuta ativa para as relações interpessoais

Como seu chefe faz esse feedback com você? 

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe