Um relacionamento estreito com seus líderes e colegas permite aos funcionários se sentirem mais à vontade no dia a dia de e mais valorizados, tanto como seres humanos quanto como profissionais. Isso se reverte em muitos benefícios para seu negócio. Afinal, as empresas são feitas por e para pessoas as quais possuem sentimentos, necessidades e diferenças e as questões humanas interferem no rendimento, criatividade e no estímulo no trabalho.

Um estudo da Universidade de Warwick, no Reino Unido, mostra: colaboradores satisfeitos e felizes são 12% mais produtivos. Segundo outra pesquisa, da Universidade da Califórnia, nos EUA, funcionários da equipe de vendas, os quais se dizem felizes e positivos, conseguiram vender 37% a mais em relação aos demais colegas.

Com melhores relacionamentos:

  • O ambiente fica mais agradável, elevando o clima organizacional;
  • Os contratados se sentem mais motivados, aumentando também a produtividade e entrega dos serviços e produtos;
  • O gargalo de comunicação entre diferentes hierarquias é reduzido, possibilitando um canal mais estreito. Isso ajuda a otimizar e aprimorar processos, além de evitar retrabalho;
  • Os funcionários criam um senso de pertencimento em relação à companhia - o famoso "vestir a camisa" -, afetando no engajamento com a marca.

Entretanto, muitos líderes se perguntam: como melhorar o relacionamento? Vantagens para funcionários e corporação são fundamentais. Para colocar isso em prática, existem quatro estratégias para aproximar o relacionamento com ações viáveis para aplicar em sua organização:

  1. Comunicação aberta e transparente

O primeiro passo para aprimorar os relacionamentos internos, seja top-down ou bidirecional, é ter canais de comunicação abertos.

Os trabalhadores precisam ter a liberdade de expor suas ideias e necessidades aos gestores e pares, sem receios. Uma comunicação mais horizontalizada, sem julgamento de valores, é fundamental para o fluxo de informações dentro da companhia. Isso reverbera em mais criatividade, agilidade nas tomadas de decisão e consistência na execução dos processos.

Na prática:

  • Procure implantar a cultura da escuta e respeito durante reuniões;
  • feedbacks claros e regulares aos funcionários;
  • Tenha canais estruturados de comunicação interna - newsletters, mídias sociais, murais internos, campanhas promocionais;
  • Promova eventos de integração e confraternização entre colaboradores, dentre outros.
  1. Faça uma capacitação das lideranças

Melhorar o relacionamento com os funcionários não depende apenas deles. Os gerentes precisam ter as habilidades necessárias para garantir a satisfação da equipe. Para isso, existem cursos e treinamentos específicos para desenvolvimento de lideranças.

A questão aqui é: não basta ser chefe e, sim, ter empatia e outras competências para motivar o time e retirar dele o máximo de sua capacidade.

Um bom líder deve:

  • Saber ouvir;
  • Conseguir delegar as funções e descentralizar o poder;
  • Compreender as necessidades dos seus liderados e buscar formas de atendê-las;
  • Reconhecer o mérito do grupo e compensá-lo por isso;
  • Saber tomar decisões e levar em conta os interesses coletivos;
  • Incentivar a inteligência coletiva.
  1. Promova saúde e bem-estar

Para melhorar a satisfação dos profissionais com é também importante garantir sua saúde e bem-estar. A redução de problemas de saúde minimiza também as taxas de turnover e absenteísmo.

Além de um ambiente saudável dentro da instituição, isso é possível com os benefícios para funcionários por meio da política de RH, como por exemplo:

  • Oferecer plano de saúde, seguro de vida e plano odontológico como bônus corporativo;
  • Garantir os benefícios de licença médica, licença maternidade e paternidade e até estender o prazo para além do exigido por lei;
  • Fornecer equipamentos de proteção individual (EPIs) ou monitoramento pessoal, em caso de atividades de risco, dentre outros;
  • Ter uma jornada flexível pode tornar os funcionários mais satisfeitos, pois assim podem programar sua vida pessoal ou passar mais tempo com os filhos, por exemplo. Essa vantagem dá uma sensação de liberdade e de parceria entre líder e liderados, melhorando seu relacionamento.
  1. Saúde financeira e o Empréstimo Consignado

Aliada ao bem-estar e à saúde está a estabilidade financeira. Contratados com tranquilidade para pagar suas contas ficam mais seguros e confiantes para o trabalho.

Um estudo feito pela consultoria Blue Numbers constatou: um funcionário endividado perde cerca de uma hora por dia para resolver seus problemas relacionados ao dinheiro. Além disso, para 69% dos entrevistados pela Associação Americana de Psicólogos, as questões relacionadas a dinheiro são a principal causa de estresse na vida.

Para prover melhores condições monetárias ao colaborador, existem diversas estratégias, como oferecer uma remuneração salarial justa e condizente com o mercado, dar bonificações por bom desempenho ou participação nos lucros.

Empréstimo Consignado

O Empréstimo Consignado é outra forma de motivar e pode ajudar a reduzir o endividamento e, consequentemente, aumentar o rendimento. Essa modalidade de investimento consiste em oferecer empréstimos para as pessoas pagarem dívidas ou alcançar seus sonhos, a juros mais baixos e com desconto em folha de pagamento.

Todos os seus contratados em regime CLT poderão usufruir e ter condições mais atrativas para pagamento se comparadas aos bancos tradicionais. Para isso, basta sua organização ter um convênio com uma instituição financeira ou fintech especializada, como a EmCash.

Com todas essas estratégias em andamento, provavelmente seus colaboradores se sentirão mais satisfeitos. A tendência é isso se transformar em produtividade na empresa e, como resultado, lucratividade.

Como você cuida do bem-estar dos funcionários?

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe