Atualmente, muitas mulheres têm conquistado posições de liderança nas organizações. O próprio Nube, por exemplo, conta com 70% da gestão feminina. Com isso, as novas ideias e conceitos acompanhados por elas proporcionaram algumas revoluções corporativas. Em especial, no atendimento ao cliente. Então, continue lendo e entenda melhor sobre o assunto!

Sucesso feminino na prática

A Honey Be, case de sucesso em vendas on-line, foi indicada para concorrer ao prêmio devido os excelentes índices de satisfação com o atendimento. Isso, se deve ao trabalho em equipe da companhia junto com suas sete diretoras, conhecidas como “super poderosas”. Segundo elas, o engajamento do time do setor fez toda a diferença para o resultado positivo.

Para a gerente da área de relacionamento da Honey Be, Nathália Muzy, a dificuldade inicial foi estar próximo ao cliente, pois com a chegada do home office o atendimento telefônico sofreu impactos. “Nos moldamos realizando vídeo-chamadas, mensagem de voz por meio do WhatsApp e comunicação direta via Instagram. Nesse momento era ainda mais importante estar conectado com o consumidor oferecendo conforto, segurança e até mesmo um ombro amigo”, explica.

Em 2019, a empresa conquistou o selo de RA 1000 do portal Reclame Aqui e para Nathália o segredo está no cuidado com o público. “Como trabalhamos com produtos voltados para mulheres, nosso staff é 100% feminino, assim como 77% dos cargos de diretoria. Para nós, a feminilidade tem em conjunto uma maior atenção aos detalhes, com mais empatia. Ou seja, estar ao lugar do usuário desde a escolha do look até a entrega do pedido”, analisa a gerente.

De acordo com o CEO, Eliedson Jardim, agora em especial, é preciso construir uma relação sólida com o comprador. Dessa forma, os efeitos são diretamente no rendimento e resultado da corporação. "Entender a importância desse serviço para a reputação da marca é essencial e esse também foi um dos nossos desafios durante a quarentena”, ressalta.

Acredite nas pessoas

Esse é um exemplo positivo. Contudo, apesar do Brasil estar acima da média global em relação ao gênero em cargos de chefia, elas ainda precisam lidar com questões culturais e comportamentais. Tudo isso em relação ao esperado de seus comportamentos. Com isso, muitas instituições ainda estão perdendo tempo e dinheiro por estarem presas nesses pensamentos retrógrados.

Segundo o relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT), da ONU - realizado em 70 países - a presença feminina em direções é um dos fatores mais contribuintes para o maior desempenho e lucratividade. Isso porque, conforme pesquisas, elas são mais persuasivas e dispostas a assumir riscos.

Nesse sentido, conforme o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), já são mais de nove milhões de brasileiras à frente de um negócio. O motivo para esse empreendedorismo é previsto pela tamanha desvalorização das profissionais. Então, de acordo com o Sebrae, entre os setores mais procurados estão o de beleza, alimentação e vestuário.

Por isso, a força delas é sinônimo de aumento do potencial criativo, empático e inovador. Ou seja, além de quebrar barreiras históricas, novas fronteiras também estão sendo superadas. Assim, resulta-se em uma ampla visão de diversidade, compreensão da pluralidade e inclusão, características fundamentais para organizações modernas.

Portanto, não julgue, pelo contrário, invista nas pessoas. Acompanhe nosso blog e as redes sociais, pois publicamos conteúdos diários com a participação de grandes especialistas. Vamos evoluir nossas mentes juntos!. O que tem pensado sobre o assunto?

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe