A cultura do trabalho remoto já é realidade há alguns anos. Com a chegada da Covid-19 no Brasil e mundo, a modalidade ficou ainda mais evidente, colocando à prova a realidade de quais empresas estão, ou não, preparadas para o funcionamento de suas operações a distância.

O teletrabalho traz diversos benefícios, tanto para a instituição quanto para a equipe. No entanto, é necessário saber como operar e conduzir de forma eficiente o serviço, sem dispersões. Débora Costa, UX Design Lead na ilegra, empresa global de design, sugere algumas dicas para os gestores investirem durante a atividade remota.

Comunicação é tudo

Simples ações podem nortear o expediente, como dar bom dia aos companheiros de equipe, repassar as atividades ao longo da jornada de trabalho, dar visibilidade da evolução das funções por meio de relatórios, bem como se despedir ao término das funções.

Débora ressalta a importância de escolher um canal em comum para a comunicação entre o time. “Plataformas como Discord, Google Meeting e Zoom estão entre as mais populares. Já no caso de uma dinâmica, workshop ou palestra, o essencial é fazer alguns acordos. Colocar o celular no modo silencioso é o primeiro deles. Distrações no momento da condução desses eventos são muito comuns. Vale lembrar os ‘microfones abertos’ são os grandes desafios dos eventos on-line”, afirma.

Em relação às videochamadas, deixar a câmera aberta também é uma maneira de aproximar os participantes. A especialista aconselha ainda colocar alguém para mediar o chat, fazendo dele um canal aberto para a troca.

Tecnologia a seu favor

Para Roberto Wik, diretor de indústria e varejo da Cognizant, os caminhos para as corporações estão justamente no uso da tecnologia. "Os executivos em posição de liderança precisarão aprender não somente como se recuperar dessa crise, mas como impulsionar os negócios por meio da rápida e necessária digitalização", recomenda Wik.

Para ele essa saída acontece por meio de projetos e soluções automatizadas capazes de aumentar a produtividade e lançar produtos para o novo perfil de consumidor. “Cada indústria precisa prever os impactos em sua área, gerenciar sua cadeia de suprimentos, fazer planos de contenção de gastos e investir na experiência do consumidor. É imperativo se preparar para o novo normal”, menciona.

Alguns dos principais aspectos levantados por Wik como práticas coerentes para essa nova realidade são:
Repense seu programa de armazenamento de dados: é preciso definir quais tipos de informação são essenciais para o funcionamento do seu negócio e como devem ser armazenadas, em conformidade com as leis de proteção de dados.

Modernize a experiência dos seus clientes: por causa das medidas de isolamento social, o atendimento aos clientes tem sido feito a distância. Esse é um hábito capaz de sobreviver no futuro pós-pandemia. Portanto, será necessário investir em interfaces de aplicações voltadas para o consumidor.

Invista em espaços inteligentes e seguros: uma preocupação comum de todos é como voltar a trabalhar em escritórios sem expor ninguém a um risco de contaminação. A Internet das Coisas é uma tecnologia capaz de ajudar escritórios e prédios comerciais nesse processo. Com a instalação de câmeras e sensores em elevadores, portas e ambientes compartilhados, promove-se experiências mais confortáveis aos colaboradores e claro, hábitos básicos de higiene são essenciais. 

Quais práticas sua empresa adota para sobreviver e se destacar no mercado? Acompanhe as matérias e conteúdos do Nube para mais orientações. Leia também 5 elementos de liderança estratégica para impulsionar o novo normal.

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe