Diante desse cenário, da pandemia do coronavírus, o modelo laboral passou por transformações. Assim, muitas empresas deram seu primeiro passo com home office. Dessa forma, como manter a cultura organizacional bem enraizada? Nesse momento é preciso focar na comunicação.

Desenvolva a intercomunicação

Essa coletividade remete à maneira de pensar e agir de todos os envolvidos de um empreendimento - conjunto de hábitos, crenças, valores e comportamentos compartilhados no ambiente corporativo. Isso vale para a instituição toda, do estagiário ao CEO. Por isso, é importante estar bem fundamentado, pois assim independe do local. “Não importa onde você está, se presente ou remoto, mas o serviço deve ser feito”, explica coach empresarial certificado da ActionCOACH, Marcos Yabuno Guglielmi.

Contudo, a sensação de solidão e isolamento pode ser um problema real dos funcionários atuando a distância. Logo, “o trabalho remoto, apesar de ser uma recomendação para essa ocasião, precisa de confiança e comprometimento mútuos entre gestores e colaboradores para dar certo, sem perdas ou atrasos significantes”, complementa Guglielmi. Então, é preciso estimular o senso de pertencimento e o companheirismo para fortalecer essa relação.

Consolidando a cultura

Com isso, veja algumas dicas para consolidar a cultura institucional, principalmente, nesse período intenso:

  • Manter o contato periódico entre líder e liderados - é essencial alinhar periodicamente as tarefas, dificuldades, pendências, os resultados, cronogramas e assim por diante. Além disso, o diretor de capacitação da Great Place to Work Brasil, Cauê Oliveira, salienta: “No momento de turbulência, o líder deve demonstrar para a equipe, de forma muito clara, quais são os caminhos a seguir. Afinal, para superar os obstáculos e atingir os objetivos é necessário ter as pessoas dando o melhor de si e trabalhando em conjunto”.
  • Ter uma cultura de feedbacks eficiente - por meio de críticas construtivas e elogios honestos, todos são essenciais para o desenvolvimento da organização e devem entender o seu papel. Assim, uma técnica interessante para usar é a SCI (Situação, Comportamento e Impacto), em geral, o ideal é ser simples e objetivo.
  • Valorizar a força de trabalho - a demonstração de importância com o prestador de serviços por parte da entidade é fundamental. “A inteligência emocional e resiliência serão muito requisitadas nesse tempo de incerteza. O essencial sempre será preservar a saúde e segurança do grupo e posteriormente engajá-lo para superar os desafios”, acrescenta Oliveira.

    Nesse sentido, diversas companhias passaram a oferecer terapia virtual, aos contratados. Com essa atitude busca-se aliviar a ansiedade e o estresse em meio a uma fase tão instável. Essa atividade promove o desenvolvimento de habilidades, inclusive de liderança, aumento da produtividade e capacidade de conviver de maneira equilibrada.

  • Realizar imersões especiais - os dirigentes podem criar eventos para reforçar a integração entre o público interno. Ou seja, mentorias e treinamentos on-line ou até mesmo happy hour em videoconferências para proporcionar um tempo descontraído em meio às dificuldades e problemas.

    No entanto, é preciso deixar clara a diferença entre engajamento e diversão. Por isso, crie um clima de participação, assim, o staff entende aquilo como um voto de confiança para aperfeiçoar as competências e crescer profissionalmente.

Para enfrentar essa conjuntura mundial é preciso ter empatia. Saiba cuidar das pessoas e tenha uma influência estimada. O Nube está com você!

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe